Argentina x Peru: 1969 se queda

Argentinos apostam em mesma fórmula do fatídico ano.

La Bombonera: palco da partida entre Argentina e Peru (Foto: Divulgação/Boca Juniors)
Por Marcella Lorandi, RS

Faltam só duas rodadas para o fim das Eliminatórias e a Argentina ocupa a quinta colocação, na zona de repescagem, com 24 pontos. Ou seja: um a mais que o Chile que está em sexto, e a mesma pontuação do Peru, em quarto lugar — e seu adversário na próxima rodada. Mesmo com tanto alarde lá para aqueles lados da imprensa dos hermanos, a Argentina ainda depende do seu próprio futebol para finalmente comprar as passagens para Rússia. O próximo compromisso de Jorge Sampaoli e seus comandados é dia 05 de outubro na Bombonera. Sim, no mítico estádio do Boca Juniors, com paredões humanos, cânticos incansáveis e o temido “bafo na nuca”. A FIFA e a Conmebol autorizaram e será um espetáculo lindo de se ver. Os argentinos enxergam o estádio como uma forma de intimidar os peruanos. Na última rodada, a partida é contra o Equador em território adversário.

O fantasma do medo de estar fora da Copa do Mundo da Rússia em 2018 está mesmo assombrando todos os cantos da Argentina, seja no deserto de sal ao Norte ou na neve de Bariloche ao Sul, o fantasma del fracaso pouco se importa com as amenidades do clima. Ele invade sem pressa, quase que com desdém, as residências dos hermanos e causa mais pavor que Adriano Imperador na final da Copa das Confederações de 2005.

Nossos vizinhos já estiveram fora de quatro Copas, e já levantaram a tão cobiçada taça do Mundial duas vezes em sua história. Mesmo que de forma duvidosa, são duas as estrelas que se acalentam tranquilas no topo do escudo argentino e indicam essas conquistas a qualquer um que duvidar do poder de decisão de Mario Kempes, em 1978, ou da habilidade de Diego Maradona, em 1986.

Das quatro Copas em que a Argentina não esteve presente, somente uma foi consequência do seu insucesso dentro de campo. Duas delas foram burocracias da Associação de Futebol Argentino (AFA). Outro infortúnio foi na Copa de 1938, episódio em que a seleção desistiu por discordância do local que sediaria a Copa. A única vez que a Argentina não se classificou dentro das quatro linhas, teve de disputar a última rodada das Eliminatória de 1969 justamente contra o Peru. Justamente no templo La Bombonera. Justamente esse roteiro. Justamente assim.   

Como em 1969

Foi a melhor seleção que o Peru já formara, com nomes que ainda hoje surgem, num sopro, nos pesadelos argentinos e os faz se recordarem com dor da não ida para Copa de 70, no México. E para completar a tragédia com acordes de um bom tango de Buenos Aires, a Copa ainda foi vencida pelo Brasil com autoridade e espetáculo do Rei Pelé.

Naquele ano, em 69, a seleção argentina precisava de uma vitória sobre os peruanos, que eram treinados pelo brasileiro Didi, para carimbar o passaporte para o Mundial do México.

Os argentinos escolheram a Bombonera como palco da partida, porque esperavam exercer uma maior pressão sobre o Peru. Que equívoco. Empate em 2 x 2, um estádio inteiro incrédulo, e os peruanos de malas prontas para o México. Em uma alusão ao episódio que conhecemos bem, o acontecimento ficou conhecido durante anos como El Bombonerazzo.

 

E se for necessário se apegar em alguma força divina, até os mais céticos usam da fé para juntar as mãos, entrelaçar os dedos e pedir pelo melhor da seleção albiceleste. Se os céus não derem conta de interceder pelo bem do espetáculo, que as forças de Messi em terra sejam capazes de finalmente assumir o protagonismo que sempre lhe foi esperado. E se ainda assim não for suficiente, os argentinos ainda têm a vantagem de furar a fila nas orações do Papa Francisco, um ilustre torcedor de uma hinchada ensandecida.

Fonte: Goal, Trivela

3 Comentários em Argentina x Peru: 1969 se queda

  1. nem o barulho da Bombonera
    Nem da ajuda do apito amigo
    nem a mão de maradona
    nem o sonífero contida na água das garrafas
    nem o gás com pimenta no tunel
    nem o merthiolate na mão do Bilardo
    nem as moedas jogadas pela torcida
    farão o messi, Dybala, e Kun
    a ter inspiração,
    bye bye classificação
    No llores por mi Argentina!

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*