Ataque e defesa: o que é mais importante na conquista de um título?

Você já pensou que seria melhor que seu time não levasse gols ao invés de marcar muitos?

Claudio Taffarel em sua antológica defesa na copa de 1998 (foto: Trivela Uol/Reprodução)
Por: Lucas Poeiras – MG

O fim do primeiro turno do campeonato brasileiro evidenciou todas as forças e fraquezas dos vinte clubes participantes desta edição. Muitos clubes superaram suas expectativas, alguns se encontram dentro delas e outros são decepções dentro das suas possibilidades. Desta vez trazemos ao Cenas Lamentáveis uma pergunta que sempre fez o mundo da bola pensar: quem leva o título do campeonato é o melhor ataque ou a melhor defesa?

Um ataque fulminante, para muitos, é a solução que qualquer time precisa para ir em direção ao título. O valor da defesa muitas vezes é subestimado no decorrer do campeonato. Um time equilibrado talvez teria a melhor chance em um campeonato longo? São perguntas e afirmações que iremos comparar com as edições anteriores do Brasileirão. Iremos considerar o formato de pontos corridos a partir de 2006, quando a disputa foi consolidada em 20 clubes.

Um ataque fulminante é a solução para qualquer torcida

Os saudosistas do futebol certamente têm uma lista de ataques inesquecíveis. Ronaldo e Rivaldo em 2002, Casagrande e Doutor Sócrates em 1982, Romário e Bebeto em 1994, entre outros. Mas seriam os gols a razão de todo o sucesso em um campeonato? Veremos primeiro os resultados do fim do turno do campeonato.

Os melhores ataques no fim da 19ª rodada (dados:futpédia)
Os melhores ataques no fim da 19ª rodada (dados:futpédia)

Os ataques que se destacaram ao fim da 19ª rodada mostram como a força ofensiva dos times faz diferença nas suas campanhas. Apenas o Barueri em 2009 terminou a primeira parte da competição fora do G-4. Na metade das disputas o melhor ataque era também o líder da divisão. Os goleadores do primeiro turno também conseguiram vagas no G-4 em oito de dez competições, sagrando-se campeões em cinco vezes. Os clubes de força ofensiva também brigaram pelas posições do topo. A pergunta que restou é: os outros cinco campeões tinham ataques grandiosos também?

Os campeões de cada ano e seus ataques (dados: futpédia)
Os campeões de cada ano e seus ataques (dados: futpédia)

A tabela acima mostra  com clareza como os ataques no fim do turno têm relação com os clubes campeões. Apenas o São Paulo em 2007 e o Flamengo em 2009 tinha ataques abaixo do top 5. Mesmo assim correram atrás do prejuízo para estarem entre os 10 primeiros ataques da competição. O pior ataque entre os que levantaram o caneco é do Corinthians de 2011, que era apenas o 8º melhor ataque. Já a partir de 2012 os ataques foram destaques do campeonato e foram melhores que os adversários.

As melhores defesas fazem boas campanhas? 

A defesa é o número considerado chave para o andamento do campeonato. Times que levam poucos gols geralmente têm sucesso no decorrer da competição. Então novamente iremos analisar os números da 19ª rodada e da 38ª rodada. Visualizaremos os dados da melhor defesa no turno e sua posição no fim do campeonato, juntamente com os números do clube campeão daquele ano.

A tabela com as melhores defesas do turno (Dados: Futpédia)
A tabela com as melhores defesas do turno (Dados: Futpédia)

Na tabela acima temos as melhores defesas ao fim da 19ª rodada, com sua respectiva posição na tabela. Na parte final, a posição que o clube terminou no campeonato e a posição da defesa comparada às demais. É notório que as melhores defesas estavam nas primeiras posições do campeonato, com exceção do Ceará em 2010. A consistência das defesas também foi determinante para o seguimento do campeonato. Apenas o mesmo Ceará de 2010 e o Corinthians de 2016 não mantiveram suas defesas entre as cinco melhores ao fim do campeonato. As melhores defesas do turno também garantiram vagas na Libertadores em seis de dez edições analisadas: 2006, 2007, 2008,2012, 2014,2015.

A defesa campeã e seus números na 19ª rodada (dados: futpédia)
A defesa campeã e seus números na 19ª rodada (dados: futpédia)

A segunda tabela mostra os números das defesas dos clubes que foram campeões nos respectivos anos. Nas 10 edições dos pontos corridos com vinte clubes não houve uma defesa abaixo do top 5 que foi campeã. As agremiações sofreram em média 34 gols durante o campeonato, menos de um gol por jogo em média. O São Paulo de 2007 tem um número muito expressivo de apenas 19 gols sofridos, ou seja, o clube paulista sofria um gol a cada dois jogos, em média. Se o clube consegue solidez defensiva, fica evidente que seu caminho pela competição será em direção ao sucesso.

O São Paulo FC campeão em 2007 levou menos de um gol por jogo (Foto: RUBENS CHIRI/PERSPECTIVA)
O São Paulo FC campeão em 2007 levou menos de um gol por jogo (Foto: RUBENS CHIRI/PERSPECTIVA)

O veredito 

A relação direta dos campeões pesa um pouco mais com a defesa. O ataque é ligeiramente menos importante, já que em 10 edições a pior defesa campeã era ainda a quarta melhor do Brasileirão. Mesmo em edições como a de 2013, na qual o Cruzeiro-MG marcou impressionantes 77 gols e quebrou o recorde de tentos, o time ainda possuía a 3ª defesa menos vazada. É notório o quanto uma boa defesa é muito mais exigida para vencer um título. Clubes marcaram menos de que a média de gols dos clubes, mas ainda se sagraram campeões.

Everton Ribeiro comandou o ataque celeste recordista (foto: Globo Esporte/Reprodução)
Everton Ribeiro comandou o ataque celeste recordista (foto: Globo Esporte/Reprodução)

O famoso “equilíbrio” que os técnicos falam em diversas coletivas de imprensa é demonstrado quando os clubes conseguem ser bastante eficientes e equilibrados nas duas fases do jogo.

Analisando o saldo de gols podemos dar um veredito: a defesa influencia diretamente no resultado final. Segundo a nossa análise, os times mais defensivos sustentavam suas colocações. Muitos times continuaram a fazer muitos gols, mas sequer conseguiram manter suas vagas no G-4 e sem o equilíbrio e a força defensiva não alcançaram grandes pretensões.

O que você acha confrade? Prefere que seu time jogue tudo para frente, ou acredita na solidez defensiva? Deixe sua opinião nos comentários. 

Fontes: Futpédia

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*