Bahia 5 x 6 Vitória – O último Ba-Vi da antiga Fonte Nova

11 gols junto uma história eterna em um estádio histórico

A antiga Fonte Nova teve uma partida à altura de sua história (Foto: Reprodução/EC Vitória Noticias)
Por: Max Galli – SP

A partida já tinha a rivalidade como tempero principal. Porém, meses depois seria marcado como o último Ba-Vi na antiga Fonte Nova. Em novembro de 2007 foi anunciada a implosão do estádio por conta do desabamento de parte da arquibancada superior que matou sete pessoas na partida que marcava a volta do Bahia à Série B do Campeonato Brasileiro. Assim, iniciou-se a construção de uma nova Arena para receber partidas da Copa do Mundo de 2014 e, depois, das Olímpiadas de 2016.

O Ba-Vi histórico foi válido pela primeira rodada da fase final do Campeonato Baiano de 2007 e tudo que o futebol pode oferecer aconteceu naquele campo em 90 minutos. Gritos, choro, emoção, viradas, comemorações provocativas e gols nos minutos finais. Certamente, os mais de 65 mil presentes nunca esqueceram da história do dia 22 de abril de 2007.

Salvador, 22 de Abril de 2007, 17h. Estádio da Fonte Nova.

Na entrada, as torcidas faziam uma festa à parte, todos unidos e praticando brincadeiras um com outro. Os rubro-negros faziam o gesto do seu atacante artilheiro Índio que comemorava seus gols com flechadas para a galera. Já os tricolores dançavam com uma perna só e falavam que a traquinagem do personagem folclorico Saci iria aparecer no jogo, em referência ao atacante da equipe, Fábio Saci. Os ingressos estavam esgotados, 65 mil pessoas. Mal sabiam que ali estavam comprando um passaporte para o épico, para o histórico, para a eternidade.

A partida deu início com muita correria, logo aos quatro minutos, falta na lateral da área rubro-negra e o meia Danilo Rios bateu direto pro gol enganando o goleiro Emerson, 1 a 0 para o Bahia. O Tricolor vinha dominando a partida, colocando bola na trave e levantando ainda mais a torcida que empurrava os jogadores no campo, mas aos 30, a famosa “lei” do quem não faz, toma, aconteceu. Empate e virada do Vitória. Jackson, que mesmo com um corte profunda na cabeça, continuou em campo e empatou a partida, cinco minutos depois, o artilheiro mostrou suas armas, ou melhor, sua flecha. Índio virou a partida, 2 a 1. Mas a correria continuou e ainda dava tempo para mais uma virada, agora do Bahia. Fausto acertou grande chute na entrada da área e empatou o confronto. No último lance do primeiro tempo a virada, Danilo Rios marcaria o terceiro gol, o quinto da partida. 3 a 2 para o time da Fonte Nova.

Na segunda metade da partida, o folclórico atacante do Vitória deu mais uma flechada na festa tricolor, empate com gol batendo pênalti. Logo em seguida, contra-ataque rubro-negro e Apodi surgiu como um raio na área e bateu forte dando mais uma virada no hall da partida. Aos 25, parecia ser o último prego no caixão do Bahia. Índio marcou mais um colocando 5 a 3 no placar e dando um adeus antecipado para vários torcedores tricolores.

Entretanto, o time da casa tinha um atacante travesso que estava sumido na partida e resolveu aparecer no final do espetáculo. Aos 42, Fábio Saci aproveitou a sobra de bola na área e estufou as redes, 5 a 4. Três minutos depois Rafael Bastos recebeu e tocou na saída de Emerson e saiu comemorando ironizando o rival atacante rubro-negro lançando flechas para os torcedores do Vitória. Muitos que estavam na porta da saída voltavam para festejar com os jogadores e conseguiram o empate no campo: 5 a 5. Placar inimaginável nas apostas caseiras e de amigos.

Mas só um tiro de flecha deixava feridas, o tiro do artilheiro do Leão. No último lance do jogo, Índio recebeu no meio de campo e partiu para o gol chutando forte no canto do goleiro tricolor, Paulo Musse. Quarto gol do atacante na partida, 6 a 5 no placar, 11 gols. Partida para entrar na história dos torcedores e dos jogadores que fizeram parte dessa festa eterna.

O artilheiro Índio lançou quatro flechadas na equipe tricolor (Foto: Reprodução/EC Vitória Noticias)
O artilheiro Índio lançou quatro flechadas na equipe tricolor (Foto: Reprodução/EC Vitória Noticias)

Por intermedio do destino, o último clássico dos dois grandes da Bahia seria o último no histórico arco da Fonte Nova antiga onde no último dia 22 de Abril comemorou 10 anos do acontecido. A história vista por 65mil pessoas foi mais um capítulo no livro do futebol brasileiro de grande jogos. A memória há de ter o trabalho de guardar o antigo estádio, as flechadas de um artilheiro e uma partida épica, sorte que temos o futebol para facilitar esse trabalho. Viva o Bahêa, viva o Leão do Barradão. Viva a festa futebolesca.

Fonte: EC Vitória Noticias

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*