Jogos Memoráveis: Bangu – 1985, o ano do quase

O ano de 1985 tinha tudo para ser mágico para o Bangu Atlético Clube. Contudo, como vários sábios já disseram: o futebol é uma caixinha de surpresas

(Foto: Reprodução)

O ano de 1985 foi tão marcante para o Bangu que não seria justo falar apenas de um jogo, mas sim de duas campanhas: a do brasileiro e do carioca do mesmo ano.

“Fico triste, pois lutei muito pela conquista daquele título. Mas, também fico alegre por ter chegado na decisão de um Campeonato Brasileiro. É minha maior alegria no futebol fazer parte dessa história. Não ganhamos, mas tenho muito orgulho de ter lutado até o fim”  –  Márcio Nunes, defensor do time em 1985

Apesar de ter sido um mero figurante em 1984, no ano seguinte o Alvirrubro ganharia um lugar de honra na história do campeonato brasileiro. De fato, o título não foi para o o Rio, mas apesar da tristeza dos torcedores, não sobrou orgulho da equipe que levara o nome do clube tão longe. Na primeira fase, o Gigante da Zona Oeste não tomou conhecimento de seus adversários, se classificaram fácil com 14 vitórias, cinco empates e apenas três derrotas. É bem verdade que nessa primeira fase a equipe não jogou contra clubes de expressão, mas apesar disso eram clubes tradicionais, como Ponte Preta, Joinville e Vila Nova-GO.

Em 1985, Marinho (dir.), do Bangu, foi eleito o Bola de Ouro (Foto: Reprodução/Arquivo PLACAR)

Depois da fácil classificação, chegava a hora da segunda fase, que já complicaria um pouco, pois a equipe teria pela frente dois dos maiores clubes do pais: Vasco e Internacional. Mixto-MT ainda completava  a chave. Para aumentar a dificuldade, apenas um time conseguiria a classificação às semifinais. O Alvirrubro bateu a equipe Cruzmaltina duas vezes. As vitórias no Maracanã por 2 a 0 e 3 a 1 deixaram o time a um empate da classificação.

Escalação do Bangu (Foto: Reprodução)

Contra o Internacional no Beira-Rio, o Gigante da Zona Oeste fez mais do que precisava e bateu a equipe gaucha por 2×1. Nas semifinais, o Bangu enfrentaria o Brasil-RS. Acabou vencendo os dois jogos. Primeiro, venceu no Estádio Olímpico por 1 a 0. Depois, em casa, triunfou por 3 a 1. O título nacional estava mais próximo do que antes o torcedor sonhara, bastava ultrapassar o Coritiba.

“Fico arrepiado quando lembro. Os torcedores do Inter falavam que iam passar fácil pela gente e que seriam campeões na sequência. O Beira-Rio estava lotado, com todo mundo esperando a vitória do Inter. Mas, o nosso time era bom. Foi marcante na vida de todo mundo que participou daquele jogo. Ver a torcida calada no Beira-Rio foi marcante. Eles tinham vários craques”   –  Márcio Nunes

Bangu 1 a 1 Coritiba (Foto: Arquivo/Tribuna do Paraná)

Na final, o time fluminense tinha a torcida a seu favor. O Maraca, desta vez completamente lotado – 91 mil pessoas – era o palco do espetáculo. A equipe paranaense saiu na frente, mas os cariocas buscaram heroicamente o empate. A igualdade no placar persistiu na prorrogação e o jogo seria decidido nos pênaltis. Ado desperdiçou para o Bangu e a série terminou 6 a 5 para o Coxa.

O Bangu, após a derrota, foi para o campeonato carioca com o intuito de esquecer o algoz paranaense e buscar o título. Afinal, nesse momento a equipe era a segunda melhor do país e apostava em Marinho para isso. Assim, a equipe chegou à final contra o Fluminense precisando apenas de um empate para ficar com o caneco. Dessa vez, a história parecia ser a favor do Bangu. Aos 4 minutos, Marinho marcou, terminando assim o primeiro tempo.

O Fluminense, que antes precisava de um gol para o título, agora necessitava de dois. Aos 18 minutos, Romerito deixou o jogo mais tenso e empatou a partida. A torcida tricolor estava enlouquecida nas arquibancadas. Aos 31 minutos, Jair fez falta em Washington. Paulino fez dessa falta o gol do título tricolor. Mais um revés para aquele time mágico banguense.

Será que 1985 foi um ano para os torcedores do Bangu esquecerem ou guardarem fundo na memória?

 

Texto: Pedro [email protected]

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*