BOA 1×0 POR – Boa Esporte bate Portuguesa e entra no G-4 da Série C

Foto: Lucas Soares (Reprodução/Twitter)

Na sessão matinal do domingo de Série C, Boa Esporte Clube e Portuguesa se enfrentaram em partida válida pela 7ª rodada do Grupo B da competição. Em campo, muita disputa dado que o vencedor passaria a integrar o G-4 da chave e, diante disso, o estádio municipal de Varginha, o popular Melão, presenciou um jogo amarrado, com ambas as equipes criando poucas chances, principalmente no segundo tempo. No fim das contas, melhor para os donos da casa, que venceram por 1 a 0.

Desde que Jorginho reestreou pela Lusa há duas rodadas atrás, a equipe mantém uma mesma postura e padrão. Se livrando do estilo “catadão” do início do campeonato, o técnico que foi campeão da Série B em 2011 mantém uma postura razoavelmente cautelosa e, mantendo a posse de bola, ganha terreno de pouco em pouco. A estratégia mostrou-se eficaz, tanto que a equipe, nos 45 minutos iniciais, ditou as melhores ações ofensivas da partida, muito em função do toque de classe dado por Felipe Alves no meio-campo. No entanto, apesar de algumas boas oportunidades criadas, nenhuma delas foi convertida em gol e o jogo foi perdido justamente nesse aspecto.

Seguindo a velha e famosa máxima do “quem não faz, toma”, endossando o famoso lema difundido pelo grande pensador contemporâneo Muricy Ramalho de que a bola pune, já perto do intervalo,a Portuguesa viu o Boa alçar uma bola na área em uma cobrança de falta e esta acabou sobrando nos pés de Caio Renan, que, sem medo de ser feliz, encheu o pé e correu pro abraço. O marcador estava inaugurado.

Para a etapa final, Felipe Alves saiu e deu lugar ao jovem Caio César. A partir daí, o tradicional clube paulista passou a apostar na velocidade, não mais na paciência do toque e abdicou das rédeas do jogo. Apesar de ter conseguido chegar com perigo a área dos anfitriões em alguns momentos, a Lusa não revelou grande criatividade, dando margem, inclusive, para que os mineiros passassem a comandar o ritmo do jogo, contudo, com o resultado já favorável, a preocupação maior era segurar a bola na frente e aguardar o fim do jogo. E funcionou, mantendo a invencibilidade do Boa em casa e fazendo a Portuguesa conhecer a sua primeira derrota com Jorginho no comando.

 

Texto: Felipe Pereira

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*