CAP 0X0 CHA – Empate sem gols entre Furacão e Chape deixa a decisão em aberto para o segundo jogo

Time da Chapecoense deu trabalho ao Atlético-PR e sai com o empate de Curitiba

Momentos de briga pela bola foram comuns na partida (Gustavo Oliveira/Divulgação Atlético PR/esporte.uol.com)

Na noite desta quinta-feira (21), Atlético-PR e Chapecoense se enfrentaram na Arena da baixada pelo confronto de ida da terceira fase da Copa do Brasil. As equipes lutaram bastante, tentaram sair um pouco mais pro jogo a partir do segundo tempo, mas o placar não mudou durante a partida. O jogo foi de poucas emoções até os 20 minutos da etapa complementar, panorama que mudou somente com algumas alterações e aproveitando-se do nervosismo do dono da casa, a Chape conseguiu ser mais efetiva e levar bastante perigo ao gol dos paranaenses.

O primeiro tempo foi tecnicamente muito fraco e de muita marcação das duas equipes, com o Atlético-PR tentando ficar mais com a bola. Entretanto, tal estratégia do clube paranaense não surtiu o efeito desejado devido a falta de inspiração dos seus homens de frente e a uma boa estratégia defensiva dos catarinenses. Nos 10 minutos iniciais, a Chapecoense impediu o ímpeto dos donos da casa de fazerem uma pressão inicial com uma marcação no campo adversário e tentando também com isso chegar ao gol através de algum vacilo da defesa atleticana. Os lances de perigo da primeira etapa só saíram em finalizações de longa distância da equipe do Furacão, em chutes de Hernani e de Vinícius (aos 38′ e 39′, respectivamente).

O Atlético foi para o intervalo tendo jogado um pouco melhor que a Chapecoense. As equipes voltaram sem mudanças para o segundo tempo, o Furacão começou tentando atacar novamente de longe com Sidcley (aos 7′). Minutos depois veio a primeira alteração da Chape na partida, Hyoran entrou no lugar de Martinuccio, com os Atleticanos respondendo a tentativa de mudança de panorama com a entrada de Nikão no lugar de Juninho. De imediato, os paranaenses continuaram melhores no jogo chegando com perigo num chute cruzado de Pablo que Thiego afastou. Entretanto, depois disso os catarinenses começaram a melhorar na partida e chegaram com perigo em duas oportunidades seguidas com Gil (tentando cruzamento perigoso para Bruno Rangel) e Hyoran (que o goleiro Weverton salvou).

Nikão ficou em campo apenas 10 minutos e teve de ser substituído por lesão, entrando André Lima em seu lugar. Com a alteração o time do Atlético-PR ficou com menos movimentação e virou presa fácil para a boa marcação da Chapecoense, que cresceu no jogo e chegou com perigo com Bruno Rangel (de cabeça) e Lucas Gomes. Os dois atacantes foram substituídos aos 32 minutos, entraram Kempes e Ananias em seus lugares. Hyoran chutou com perigo mais duas vezes para os catarinenses e André Lima teve a última chance do jogo para os paranaenses, mas o atacante levou a bola com o braço e por isso levou o cartão amarelo.

O jogo foi até os 50 minutos devido as alterações e atendimentos de jogadores, mas o resultado não saiu do zero. A decisão ficou para a Arena Condá, na próxima quarta-feira (29). Antes disso os dois times voltam a campo pelo Brasileirão da Série A, no domingo (24), com o Atlético-PR recebendo o Fluminense em casa e a Chapecoense recebendo o Botafogo também em seus domínios.

 

FICHA TÉCNICA:
ATLÉTICO-PR 0 X 0 CHAPECOENSE

Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Data: 21 de julho de 2016, quinta-feira
Horário: 21 horas (de Brasília)
Árbitro: Grazianni Maciel Rocha (RJ)
Assistentes: Dibert Pedrosa Moises (RJ) e Patrícia Silveira de Paiva Retondário da Silva (Asp. Fifa-RJ )
Cartão amarelo: Léo (Atlético-PR)

ATLÉTICO-PR: Weverton; Léo, Paulo André, Thiago Heleno e Sidcley; Otávio, Hernani e Vinícius (Giovanny); Pablo, Walter e Juninho (Nikão) (André Lima).
Técnico: Paulo Autuori

CHAPECOENSE: Danilo; Gimenez; Rafael Lima, Thiego e Sérgio Manoel; Josimar, Gil, Matheus Biteco e Lucas Gomes (Ananias); Martinuccio (Hyoran) e Bruno Rangel (Kempes).
Técnico: Caio Junior

Público: 24.377 presentes
Renda: R$479.770,00.

 

Texto: Victor Portto

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*