Chelsea 1×1 Barcelona – Um dos jogos mais polêmicos da história da Champions

Com ao menos seis lances polêmicos, árbitro da partida foi o grande vilão

Drogba enfurecido com árbitro Tom Henning Ovrebo (Foto: Reprodução/espn.uol)
Por: Bruno Todaro (RJ)

Gol nos acréscimos, erros grotescos da arbitragem, classificação blaugrana histórica para a fase seguinte da Champions League… parece familiar? O mundo ficou em choque ao assistir a partida de volta entre Barcelona e Paris Saint-Germain. O time da casa conseguiu reverter um placar de 4 a 0 e se classificou com três gols nos últimos 10 minutos, para delírio da torcida. No entanto, o jogo ficou marcado por uma série de erros do árbitro Deniz Aytekin. Segundo a ESPN, o PSG irá a UEFA por oito erros a favor do time espanhol.

Mas o texto não é sobre esse jogo, e sim sobre um outro muito parecido. Há quase uma década, o mesmo Barcelona enfrentou o Chelsea, valendo uma vaga na decisão da Champions League 08/09, e a repercussão foi muito similar ao confronto citado anteriormente. O jogo de ida, no Camp Nou, havia terminado em um empate sem gols, reservando todas as emoções para o Stanford Bridge.

No jogo de ida, empate sem gols em Barcelona (Foto: Reprodução/goal.com)

Logo aos oito minutos de jogo, Essien deixa o Chelsea em vantagem com um belíssimo chute de fora da área. Com 1 a 0 no placar, e oferecendo muito mais perigo do que o adversário, o primeiro lance duvidoso acontece aos 25 minutos. Malouda é agarrado por Daniel Alves dentro da área, mas o juiz marca fora. Na cobrança, Drogba quase marca em chute forte. No minuto seguinte, mais polêmica. Drogba recebe lançamento e cai na entrada da área. Os jogadores reclamam pedindo um puxão de Abidal, mas o jogo segue.

No segundo tempo, o domínio inglês é ainda mais acentuado. Drogba quase chega ao segundo gol, após limpar Pique e chutar em cima de Valdes. Aos 11, Drogba se enrosca com Yaya Toure e é derrubado na área, mais uma vez ignorado. Aos 20 minutos, talvez o único momento em que a torcida da casa tenha ficado satisfeita com uma marcação no jogo. Abidal faz falta em Anelka e é expulso pelo árbitro norueguês Tom Henning Ovrebo. Aos 33, Anelka reclama de um puxão de Toure dentro da área, e novamente o árbitro manda o jogo seguir. Três minutos depois, Anelka dá um tapa na bola, que toca na mão de Pique dentro da área. Outro pênalti não marcado. Aos 47, após bate-rebate na área do Chelsea, Messi rola para Iniesta acertar um chute no ângulo do goleiro Petr Cech. Aos 50, e precisando de apenas um gol para se classificar, os blues vão com tudo para o ataque e mandam o goleiro tcheco para a área. Após cobrança de escanteio de Lampard, a bola sobra para Ballack chutar no braço de Eto’o, novamente ignorado.

Foram pelo menos seis lances polêmicos, nos quais ao menos três são bem claros, todos contra o Chelsea. Não que o Barcelona precisasse disso para se classificar, até porque essa foi a temporada do primeiro triplete da história do clube, mas é inegável que o árbitro foi um dos grandes responsáveis pela classificação. Na final, o clube espanhol derrotou o, até então atual campeão, Manchester United por 2 a 0 no Estadio Olímpico de Roma.

Aparentemente, os jogadores do Chelsea não ficaram satisfeitos com a atuação de Tom Ovrebo (Foto: Reprodução/metro.uk)

Protagonista do jogo sofre ameaças 

De acodo com o jornal inglês “The Guardian”, em entrevista concedida em 2012, o árbitro Tom Henning Ovrebo ainda sofria ameaças por parte da torcida londrina. Cerca de quatro mensagens pouco carinhosas por ano. Tom, que se aposentou em 2010, diz que isso nunca atrapalhou a sua vida nem a de sua família no entanto. Além das mensagens, grupos no Facebook foram criados com a intenção de matar (ou pelo menos expressar sua raiva) o norueguês.

Grupos do Facebook expressam todo o carinho do torcedor londrino com o árbitro (Foto: Reprodução/metro.uk)
Fontes: Uol, ESPN, Metro

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*