Copa do Nordeste 2017- Análise de Grupos (Parte 2)

(Foto: Alexandre Lago/GloboEsporte.com)
Por: Pedro Pereira, MA| Dudu Nobre, PR

Continuando as análises de grupos da Copa do Nordeste, partimos para os últimos, e não menos importantes, grupos D e E.

Grupo D

Foto: Frankie Marcone / ABC FC
(Foto: Frankie Marcone / ABC FC)

Equilíbrio é, sem dúvida, uma das marcas da Copa do Nordeste e no Grupo D não podia ser diferente. Com direito a clássico alagoano, temos três candidatos fortes à classificação.

O ABC tenta novamente conseguir o tão sonhado acesso para a fase seguinte da Copa do Nordeste. Em 2016, o alvinegro não fez uma boa campanha e somou apenas quatro pontos em toda a primeira fase. Porém, o ano terminou em festa com a volta do Alvinegro Potiguar para a segunda divisão. O ano de 2017 começou com renovação em alguns setores, principalmente o meio campo e ataque. Algumas peças importantes da campanha do acesso não continuaram no clube, como Lúcio Flávio, Caio Mancha e Jones Carioca. O principal nome para comandar o ataque é o centroavante Nando, que, no estadual, estreou com dois gols e, juntamente com ele, Fábio Gama deve ser o responsável por chefiar o meio campo com a 10 alvinegra.

O CRB teve um bom 2016. Além de conquistar o Campeonato Alagoano pela 29° vez, fez uma bela campanha na Série B e lutou pelo acesso, que não veio. Com o elenco bem alterado, o Galo perdeu uma de suas principais peças: o goleiro Julio Cesar, que se aposentou após o campeonato. Por outro lado, Neto Baiano, o principal nome do ataque, foi mantido e o meio de campo foi um dos setores mais reforçados com a chegada de quatro meias e quatro volantes, o que trará mais opções para o técnico Léo Condé,  substituto de Mazola Junior que foi para o Vila Nova. Com um elenco extenso, o CRB poderá substituir peças, mas sem perder a qualidade de jogo, o que certamente será uma grande vantagem para o alvirrubro. Na primeira fase, a principal motivação do time e da torcida, além da classificação para a próxima fase, serão os clássicos contra o CSA, seu principal adversário.

A atual temporada do CSA, com calendário cheio, é fruto de um excelente trabalho na temporada passada. A melhor coroação para este trabalho seria o título da Série D, mas infelizmente não aconteceu. Em seu retorno à Copa do Nordeste, o azulão caiu justamente no mesmo grupo do seu rival CRB, o que certamente renderá dois maravilhosos jogos e Rei Pelé lotado. Com relação ao elenco da temporada passada, o trabalho começou com a manutenção do treinador Oliveira Canindé, além de peças da conquista do acesso, como os volantes Panda, Marco Antonio, Everton Heleno e o lateral Rayro. No entanto, outras foram perdidas, como os atacantes Marcelo Nicácio e Jônatan Obina. Com essas perdas, o ataque foi totalmente reformulado, com a chegada de Luís Soares (ex Atlético-GO), Jeam (ex Bahia) e Daniel Cruz (ex Boa Esporte). Certamente o Azulão dificultará a vida de ABC e principalmente do CRB, porém, a Copa do Nordeste não deverá ser a prioridade da temporada, apesar de ser um bom parâmetro para a Série C. O Alvi-Celeste tentará quebrar o jejum de oito anos sem conquistar o estadual.

Após bater na trave em 2016 e não conquistar o acesso, o Itabaiana começa 2017 com a mesma missão da temporada. O grupo complicado não deve intimidar a equipe sergipana, que já foi campeã do Nordeste em 1971 (antigo formato). A equipe está totalmente mudada com relação ao ano passado e um dos principais nomes do ataque, Fabiano Tanque, saiu do time após a eliminação no brasileiro. Agora, com novas competições, o Tremendão da Terra tentará fazer bonito e surpreender no grupo.

Grupo E

 

(Foto/Reprodução: Gazeta Press)
(Foto/Reprodução: Gazeta Press)

O América de Natal tenta se reconstruir de um 2016 desastroso. O time potiguar foi o pior segundo colocado da competição, eliminado na primeira fase. A situação se agravou na Série C, quando somou 20 pontos em 18 rodadas e caiu para a quarta divisão do Brasileiro. Para ter um 2017 diferente, a diretoria reformulou o elenco e trouxe um novo técnico: Felipe Surian, comandante do Volta Redonda no título da Série D do ano passado. De lá, o Mecão trouxe quatro reforços: o lateral direito Osmar, os meias Michel Cury e Dija Baiano e o atacante Marcos Junior.

O Botafogo da Paraíba é outro que não quer repetir o filme do Nordestão 2016, quando foi lanterna do Grupo D. Na Série C o Tricolor do Contorno foi melhor, avançou as quartas de final, mas deixou escapar o acesso aos 50 minutos do segundo tempo. Nesta temporada o time manteve a base de jogadores e o técnico Itamar Schülle, mas perdeu o zagueiro Marcelo Xavier e os atacantes Carlinhos e Rodrigo Silva. Nas contratações, destaque para o experiente volante Robston e o atacante Diogo Campos, vindo do xará paulista.

O Vitória volta a participar da Lampions League após não se classificar para a edição de 2016. Para esta temporada, o time não terá o atacante Marinho – fundamental para que o Leão permanecesse na Série A do Brasileiro. Em compensação, a diretoria usou o dinheiro chinês para trazer um time inteiro de reforços. Destaque ao zagueiro Fred (ex Grêmio), aos meias Cleiton Xavier (ex Palmeiras) e Dátolo (ex Atlético MG) e o atacante André Lima (ex Atlético PR). Devido ao grande investimento, o rubro negro é favorito para comandar o grupo, mas não pode esperar tranquilidade de seus oponentes.

O Sergipe estava com saudades do Nordestão, torneio que não joga desde 2014. Mesmo vencendo o estadual passado, o Gipão quer dar mais alegrias ao seu torcedor, já que na Série D foi o lanterna do grupo A9. De lá pra cá, O Mais Querido contratou Betinho como seu novo técnico e só manteve cinco atletas de 2016. Dentre as caras novas, destaque para os experientes Ramalho (volante ex Vitória e São Paulo) e Vicente (lateral com passagens por Ceará e Ponte Preta).

Leia aqui a primeira parte da análise.

Fontes: Globo Esporte/RN, Globo Esporte/SE, Globo Esporte/AL

1 Comentário em Copa do Nordeste 2017- Análise de Grupos (Parte 2)

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*