Corinthians x Palmeiras: O Derby que nunca termina

UM CENTENÁRIO DE RESPEITO

Por: Daniel Bravo, MG

Amigo torcedor, amigo leitor. Chegou o ano de comemoração e disputa de um dos maiores clássicos do mundo e para muitos, o maior clássico do futebol brasileiro. Nesse dia 22 de fevereiro de 2017 será disputado o clássico centenário entre Sport Clube Corinthians Paulista e Sociedade Esportiva Palmeiras. O Derby, como foi carinhosamente denominado pelo jornalista Thomás Mazzoni em alusão ao Derby Epsom, a maior corrida de cavalos do mundo. O duelo acontecerá às 21h45, horário de Brasília e como um histórico e grandioso clássico, tende a durar pra sempre.

O início e as maiores goleadas

O primeiro clássico entre as duas equipes aconteceu em 6 de maio de 1917, com vitória palestrina por 3×0. O Corinthians que vinha de 25 jogos e três anos de invencibilidade acabou perdendo no Palestra Itália, mas ganhando um rival histórico. Já a primeira vitória do Timão veio em maio de 1919 em partida disputada no estádio da Floresta. Em 1921, no ainda pequeno e acanhado Parque Antarctica, o Alvinegro precisava de um triunfo no Campeonato Paulista para se sagrar campeão. No entanto, o Alviverde não aliviou e emplacou mais um 3×0, dando o título da competição ao Paulistano.

Ainda no começo desta história, em 1933, ocorreu aquela que é a maior goleada entre os clubes e a maior derrota da história do Corinthians, um 8×0. O confronto era válido por dois torneios distintos: o Paulista e a Taça Rio-São Paulo. Em pleno Parque Antarctica, os imigrantes italianos marcaram para sempre seus nomes com o triunfo de tirar o fôlego.

Em 1936 os dois times disputariam o primeiro Derby valendo uma taça. Foram necessárias três partidas. A primeira vencida pelo Palmeiras. A segunda terminou empatada, no Parque São Jorge. Por fim, o Alviverde venceu mais uma e carimbou o título do Paulista de 1936.

Palestra Itália, campeão paulista de 1933 (Foto: Arquivo / Agência Estado)

O Verdão também abocanhou o primeiro troféu da história do Pacaembu, apesar do estádio sempre ser lembrado como a antiga casa da Fiel. Em 1940, na inauguração do local, foi criado o Torneio da Cidade de São Paulo. O Palestra derrotou o time do Parque São Jorge por 2×1 e sagrou-se campeão.

Em 1942 foi o ano do primeiro clássico com o Palmeiras usando este nome.  O time era campeão paulista invicto e chegou na última rodada tendo como adversário o Corinthians. Dessa vez, a equipe do Parque São Jorge colocou água no chopp dos antigos palestrinos e venceu por 3 a 1.

A maior goleada do Timão viria em um dos mais belos momentos da história do clube, em 1982, auge da Democracia Corintiana, com três gols de Casagrande, um do inesquecível Dr. Sócrates e um do Biro-Biro. O Alvinegro aplicou um histórico 5×1. A agremiação chegaria ainda ao título do paulista e o Palmeiras ficaria com o terceiro lugar.

 

12986555_1001123883316935_902033247_o-800x280
A Democracia Corinthiana, um marco (Foto: Reprodução internet)

Duelos que marcaram a história

O Verdão continuaria na fila por mais 11 anos, totalizando um tabu de 16 anos sem gritar “é campeão”. Ficar todo esse tempo sem vencer nada é muito difícil de suportar e só um elenco forte poderia acabar com esse jejum. Essa foi a missão do Palmeiras de Luxemburgo, Zinho, Edílson, Evair e companhia, justamente contra o maior rival. Era a final do Paulista de 93. No primeiro jogo Corinthians venceu por 1×0, com Viola imitando um porco. No segundo o antigo Palestra fez 3×0 no tempo normal e levou para a prorrogação. Com gol de pênalti marcado por Evair, o Alviverde voltou a conquistar o Paulista e lavou a alma.

Em 1994 os dois times fariam o maior clássico, aquele que definiria o Campeão Brasileiro. Com dois jogos no Pacaembu, a equipe alviverde tratou de resolver logo no primeiro deles, com três gols de Rivaldo, o Palmeiras abriu 3 a 0 e só administrou o placar na partida da volta. Após empate por 1×1, a equipe se sagrou campeã em cima do maior rival.

FUTEBOL - HISTÓRIA DO PALMEIRAS - ESPORTES - ACERVO - Os jogadores Edmundo(E) e Edílson(com a bola); Ricardo(o segundo da esquerda para a direita) e Henrique, do Corinthians, durante partida válida pela final do Campeonato Paulista de 1993 - Estádio Cícero Pompeu de Toledo(Morumbi) - São Paulo - SP - Brasil - 12/06/1993 - Foto: Acervo/Gazeta Press
Edílson, o capeta, nessa época ainda pelo lado verde (Foto: Acervo/Gazeta Press)

Já em 1999 o confronto valia vaga para a semifinal da Libertadores. Em dois jogos no Morumbi o primeiro com vitória palmeirense e o segundo com vitória corintiana a disputa foi para os pênaltis e consagrou o goleiro Marcos como São Marcos. A competição terminou com o Palmeiras campeão.

Com a derrota o Alvinegro enfrentaria novamente o rival um mês depois, dessa vez pelo Campeonato Paulista. Aproveitando o primeiro jogo com o Verdão atuando com os reservas, a equipe emplacou um 3×0 e encaminhou o título. No duelo da volta e com a América pintada de verde, Marcelinho Carioca abriu o placar e aumentou a vantagem, mas com dois gols de Evair o time campeão da Libertadores virou e buscou uma reação que foi encerrada aos 28 minutos, quando Edílson, agora pelo lado da Fiel, empatou o confronto. Com a vitória e título garantido, o capetinha não perdeu a oportunidade de tirar sarro do lado verde e deu inicio a uma confusão generalizada histórica e lembrada até hoje. As embaixadinhas do capeta irritaram Paulo Nunes que partiu pra cima do jogador e viu o tempo fechar. Resultado final teve Corinthians com a taça e a partida com final antecipado.

Em 2000 os dois clubes voltaram a se enfrentar, dessa vez pela semifinal da Copa Libertadores, outra vez no Morumbi, outra vez com dois grandes duelos e a busca corintiana por revanche. No primeiro jogo, deu Timão 4×3 e a expectativa de conquistar a América. No segundo 3×2 para o time palmeirense e a decisão outra vez por pênaltis. Marcos, São Marcos, sempre ele pegou o último pênalti, cobrado por Marcelinho e levou sua equipe para mais uma decisão. Na final da Libertadores, contudo, o time acabou derrotado pelo Boca Juniors.

99pdp5dy8b5p0ekpxerri8yyl
Uma das cenas mais famosas do Derby (Foto: Reprodução internet)

Na década atual, outros confrontos foram marcantes. O clássico em 2011 que definiu o Timão campeão Brasileiro, na última rodada do Campeonato. A estreia da Arena Corinthians e da nova Allianz Parque, entre outros. Hoje, 22 de fevereiro de 2017 é dia de mais um grande clássico, sorte de quem irá jogar e ter a chance de fazer história, sorte nossa de poder acompanhar.

Corinthians x Palmeiras, um encontro de respeito, um dos maiores clássicos do mundo e a certeza de futebol com vontade e determinação. Um Derby visto de Norte a Sul do país e por várias partes do globo. A oportunidade de entrar para sempre para a história do futebol em um clássico que hoje se tornará centenário.

Pesquisa: Globoesporte

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*