CRI 3X2 PAR – Em virada épica, Criciúma bate o Paraná e espanta a crise

Em jogo aberto até o fim, Criciúma fez virada digna de filme diante do Paraná Clube e consegue um triunfo após 1 mês

Criciúma consegue virada épica em SC (Foto: Reprodução/Globoesporte.com)
Criciúma consegue virada épica em SC (Foto: Reprodução/Globoesporte.com)

O jogo em Santa Catarina desta sexta (22) colocava frente a frente duas equipes separadas apenas por dois pontos na tabela de classificação da Série B, em situações diferentes. Do lado dos donos da casa, uma vitória serviria para acabar com o jejum de um mês sem vitórias na competição, sendo a última em cima do Vila Nova em Goiânia. Para o time paranaense serviria para se firmar na Série B como um dos reais candidatos ao acesso.

Para piorar a situação do Tigre na competição, o time paranista tratou de abrir o placar logo aos cinco minutos. Após boa tabela do ataque paranista, Nadson colocou Robson na cara do gol para abrir o placar com categoria, tirando a bola do alcance do goleiro Luiz. Paraná 1 a 0.

O Criciúma sentiu o golpe do time paranaense, e com muita dificuldade tentava responder o gol sofrido. A primeira chance real dos donos da casa aconteceu aos 12 minutos da primeira etapa. Após cobrança de escanteio, a bola foi desviada na primeira trave e sobrou limpa para Barreto perder um gol incrível na pequena área. Cenas lamentáveis em Santa Catarina.

A organização defensiva do Paraná Clube evitava que o Criciúma chegasse com perigo à sua área, porém o Tigre tentava com cruzamentos e bolas paradas. Aos 22 minutos, Raphael Silva subiu mais do que a zaga paranaense e cabeceou com perigo para a meta do goleiro Wendell, que fez ótima defesa garantindo a vantagem paranaense.

O segundo tempo começou, e o nervosismo do Criciúma por estar tropeçando mais uma vez na competição era notório. Bem organizado, o Paraná explorava com eficiência as falhas do time catarinense mesmo ficando menos tempo com a bola e criava as principais chances. Parecia questão de tempo para o time paranaense matar o jogo, e foi exatamente o que aconteceu.

Aos nove minutos, Jean roubou a bola da zaga do Tigre e tocou com força para Robson, que dividindo a bola com o goleiro Luiz, consegue finalizar para o gol. Paraná 2 a 0.

Após o segundo gol sofrido, os 4.000 torcedores presentes no Heriberto Hülse começaram a perder a paciência com o time da casa e a pressão só aumentava. Com muita dificuldade de criar chances claras de gol, o Criciúma se via preso à marcação do Paraná, que administrava o placar.

Porém, aos 32 minutos a torcida do Tigre teve motivos para acreditar. Após cobrança de escanteio, Gustavo subiu sozinho na área paranaense e cabeceou com força para as redes do goleiro Wendell. Paraná 2 a 1 Criciúma, e um novo jogo se mostrava.

A torcida voltava a cantar timidamente em Santa Catarina, e o Tigre começava a sentir a energia dos torcedores e buscava o empate a qualquer custo, na base da superação. E ele veio aos 45 da segunda etapa. A zaga paranaense fez péssimo recuo para o goleiro Wendell, e Gustavo aproveitou a oportunidade para chutar colocado. O placar estava em 2 a 2, e o futebol ainda guardava maiores emoções.

E não é que o improvável aconteceu? Aos 47 minutos, a Lei do Ex apareceu, e nem o torcedor mais otimista do Criciúma, juntamente com o torcedor mais pessimista do Paraná Clube, poderiam imaginar o que aconteceu. Após cruzamento na área paranaense, a bola ficou livre para Ricardinho. Sozinho, ele fuzilou o gol do goleiro Wendell e fez o estádio Heriberto Hülse ir à loucura com uma virada digna de filme. Placar final: Criciúma 3 a 2.

Na próxima rodada, o “renovado” Criciúma tem tarefa dificílima e encara o Vasco em São Januário. Enquanto o Paraná Clube recebe o Ceará na Vila Capanema.

FICHA TÉCNICA:
CRICIÚMA 3X2 PARANÁ CLUBE

Local: Heriberto Hülse
Data: 22/07/2016 – 19:15
Árbitro: Castro Júnior (PE)
Auxiliares: Francisco Chaves Júnior (PE) e Ricardo Bezerra Chianca (PE)

CRICIÚMA: Luiz, Lucas Taylor (Andrew), Raphael Silva, Nathan (Roberto), Diego Giaretta, Barreto (Gabriel Leite), Ricardinho, Douglas Moreira, Juninho, Niltinho e Gustavo.
Técnico: Roberto Cavalo

PARANÁ CLUBE: Wendell, Diego Tavares, Leandro Silva, Alisson, Henrique Gelain, Basso, Jean (Claudevan), Válber, Murilo Rangel (Lucas Otávio), Nadson (Henrique) e Robson.
Técnico: Marcelo Martelotte

 

Texto: Bruno Gabriel (@Um_Vocalista)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*