Desculpe informar, mas sua torcida perdeu a essência

Bonito era ver a geral cheia e personagens folclóricos...

Os geraldinos do Maraca que viraram filme (Foto: Extra.globo)
Por: Daniel Bravo, MG.

Amigo torcedor, amigo leitor, caro rival. Você que finge ser mais fanático que o resto, que acredita ser mais torcedor por ir ao estádio, que diz ser seu time o maior porque canta o tempo todo, eu te digo uma coisa: grande parte da sua torcida é ‘modinha’, meu caro.  Resta agora a saudade da “geral”, das famílias reunidas no estádio mais simples mas também o mais justo. Os geraldinos eram o simbolo do amor e do esforço aos clubes. De uma festa de gente simples e feliz.

Sim, com a mudança de estádio para a arena, com a criação do sócio futebol, o torcedor genuíno quase acabou. São agora “investidores” em um hobby, não aficionados por uma paixão. Amigo, o cara que ralava a semana inteira e pegava ônibus lotado, que levava a “quentinha” pra economizar a grana do almoço e juntava 5 reais do leite pra estar na geral NÃO EXISTE MAIS! Agora existem os “sócios Ouro”, o “Cadeira Vip”, o “Sócio black” e o escambau! Esse torcedor “raiz”, como gostam de dizer, está em casa, assistindo pelo Gato Net, esperando um ingresso cortesia do patrão, esperando uma chance pra voltar aos campos.

No antigo Mineirão, na geral, Marcilena e sua família fizeram parte de uma das mais belas fotos do estádio (Foto: Elmo Alves)
No antigo Mineirão, na geral, Marcilena e sua família fizeram parte de uma das mais belas fotos do estádio (Foto: Elmo Alves)

O Mineirão agora é Arena (“essa cadeira é minha, amigo, esse lugar foi eu quem reservei pelo meu sócio que pago por mês”), lá entram pessoas que preferem o WhatsApp ao canto, o aplicativo de lanterna ao sinalizador. “Roubaram meu sinalizador”, “meu bandeirão não cabe mais aqui”. Roubaram meu estádio e minha torcida, fanatismo saiu de moda. “A culpa não é mais minha, eu pago meu cartão em dia. O que falta é meia flutuante, volante que sabe jogar, zagueiro que não dá chutão”. Zagueiro tem que dar bico pra frente, centroavante bico pro gol, meu 8 levanta a cabeça e sai pro jogo, meu craque usa a 10 não a 17, 22 ou 49.

Devolvam minha festa, liberem minha bandeira, meu sinalizador, minha bateria. Por onde anda a charanga? Devolvam meu camisa 9 matador. Meu volante que bate até na mãe, se precisar. Meu lateral que sabe cruzar, devolvam os dribles em direção à zaga, a jogada “sem objetivo” com objetivo de alegrar a massa. Onde esta a alegria dos estádios, na foto cheia de filtro, num momento que resolveram fotografar? Eu quero mais, eu quero é a camisa pro alto e abraçar o desconhecido que emocionado chora comigo.

Originalmente em “O Canto das Torcidas

2 Comentários em Desculpe informar, mas sua torcida perdeu a essência

  1. Eu só acho que não se pode culpar o torcedor que vai ao estadio e paga ingresso caro e chamalo de “modinha que não sabe oque é futebol”, pra mim não existe alguem mais ou menos torcedor só porque a pessoas esta na geral ou no camarote, não importa se o cara passa o jogo todo cantando ou passa o jogo todo calado, torcedor é torcedor e se alguém é culpado pela atual situação dos estádios brasileiros são os cartolas que só pensam no ST e em ingressos caros.

    • Fazer essa generalização dizendo que todo mundo que vai pro estádio hoje não ama o clube de verdade é uma generalização bem forçada e saudosista, até mesmo porque antigamente o maracanã não ficava lotado em todo santo jogo como alguns amam falar por ai e a torcida antigamente como é até hoje em sua grande maioria só ia a jogo quando o time estava ganhando e era tão corneteira quanto hoje.

      PS: Procurem a média de publico/ocupação de estádio antigamente e vocês vão ver que essa “paixão raiz” não é tão romantica como alguns amam falar.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*