A dificuldade de pessoas com deficiência nos estádios brasileiros

Caminhamos a passos lentos para possibilitar uma experiência totalmente positiva às pessoas com deficiência

"Precisamos falar sobre acessibilidade nos estádios" (Foto: Reprodução/Ronald Capita/Torcedores.com)
Por: Victor Portto, CE

Ser uma pessoa com deficiência no Brasil é bem complicado. É lidar constantemente com a sensação de que você não deveria estar naquele espaço ou não poderia tentar fazer algo por ter a condição diferente. Da prateleira mais alta do supermercado à escada de acesso em um estádio. São as pequenas coisas do dia a dia que reproduzem esse discurso de separação e marginalização. De vez em quando, algumas reportagens abordam de um modo geral as dificuldades para se transitar nas cidades sendo uma pessoa com deficiência. Entretanto, a imprensa esportiva fecha os olhos para esta questão nos locais das partidas. É por isso que resolvemos abordar esse tema no texto do Cenas Lamentáveis hoje

Sempre sonhei em ir a um campo de futebol, por exemplo, com o meu pai, mas nunca consegui ter esse momento. Aprendi a amar as quatro linhas ao lado dele inicialmente pela TV. Pois o meu coroa me falou que nas poucas vezes (leia-se década de 70 e 80) que frequentou o estádio se sentiu o centro das atenções pela sua condição. Ele ainda ressaltou o quanto foi difícil chegar lá pela falta de acessibilidade e que por isso nunca mais quis voltar a uma praça esportiva. Eu frequento o Castelão e o “PV”, mas as palavras dele me marcaram muito. Ele não se sentiu à vontade no local onde todo apaixonado por futebol deveria sentir-se incluído, mas que o preconceito nas suas várias faces ainda é dominante (machismo, homofobia, racismo e por aí vai).

"O jogo que não é visto" (Foto: Reprodução/turismoadaptado.wordpress.com)
“O jogo que não é visto” (Foto: Reprodução/turismoadaptado.wordpress.com)

Este texto não é somente sobre a tristeza de não poder ir com o meu velho ao estádio. Escrevo essas palavras também com o objetivo de reforçar o quanto a cultura das arquibancadas não está preparada para possibilitar uma experiência totalmente positiva do futebol a uma pessoa com deficiência. Vemos iniciativas pontuais como a instalação de cadeiras adaptadas, locais destinados a cadeirantes, vagas nos estacionamentos destinadas às pessoas com deficiência, dentre outras, mas ainda não é o suficiente. E os acessos aos locais de jogo, por exemplo, dessas pessoas que ainda tem que ir de ônibus? A cidade tem suas calçadas danificadas ou não pensadas para cadeirantes e muitas também para as pessoas com deficiência visual. As vagas de estacionamento costumam ser longe das entradas, os locais para cadeirantes às vezes tem uma visão ruim do campo, os elevadores em vários momentos estão desligados ou em manutenção. Cegos que levem o seu rádio porque não há preocupação com esse público.

Sei que é linda a cena para quem vê a foto de uma pessoa com deficiência visual no estádio com o seu rádio para entender a partida ou apenas pelo barulho da torcida entendendo o que se passa, “isso é paixão” ou “muito mais que apenas um jogo” seriam os comentários que mais veríamos nas redes sociais. Entretanto, vocês já pararam pra pensar o quanto é sofrível você ter que assistir a um jogo nessas condições? Seria lindo mesmo o deficiente visual ter disponível uma narração com audiodescrição e o piso tátil ser realidade. Ao deficiente auditivo ter um intérprete da linguagem de sinais nos telões, as pessoas com nanismo terem cadeiras adaptadas e por aí vai. Promover a acessibilidade de forma integral ao futebol deveria e poderia ser uma coisa simples de se resolver.

Sentir a torcida, apreciar completamente o jogo, entender tudo o que está acontecendo é pedir muito? Caminhamos a passos lentos para possibilitar uma experiência totalmente positiva às pessoas com deficiência no futebol. Já houve avanços, mas ainda é preciso muito para que abracemos a todos nos estádios e enquanto esse dia não chega, eu vou seguindo assistindo os jogos do time do meu pai com ele na TV e esperando/lutando pelo momento em que vai ser fácil ir a um jogo com o coroa.

1 Comentário em A dificuldade de pessoas com deficiência nos estádios brasileiros

  1. INCLUSÃO JÁ!!!!!
    Hoje foi um dia muito triste para meu irmão PNE Cadeirante, e para nós.
    Hoje fui até o estadio do palmeiras comprar o ingresso para ele, e qual foi a minha surpresa me pediram o laudo e que sem laudo não era possível a venda, ok, liguei para ele e dei a noticia.
    ele me disse: vou tentar comprar online concordei ok tenta ai, ligou para a FUTEBOLCARD.COM, e para a decepção total dele, a atendente lhe disse que não era possível a venda online que somente presencial, ele então disse a ela que iria no outro dia presencialmente efetuar a compra a atendente emendou traga seu laudo, mas a minha deficiência e visível sou cadeirante e perdi meu laudo, então o sr. não poderá comprar rebateu a atendente, tudo bem não quero pagar meia disse meu irmão vou pagar inteira, ela rebateu na hora mesmo assim tem que ter laudo, pois o sr. não poderá mesmo comprando inteira, ocupar o lugar de um deficiente sem laudo, ele respondeu vou rastejando e deixo a cadeira para o lado de fora, disse ele ela disse sem laudo não será possível, enfim meus amigos a FUTEBOL CARD conseguiu fazer o meu irmão se sentir mais deficiente do que ele já e, estou indignado com o descaso e a falta de bom senso.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*