Em cada jogo, o Botafogo

O impossível é logo ali para o Botafogo.

Glorioso Botafogo (Foto: Reginaldo Pimenta/Raw Image))
Glorioso Botafogo (Foto: Reginaldo Pimenta/Raw Image))
Por Léo Leal, RJ

Um ano atrás. Doze meses, só. Você vinha de uma vitória sofrida contra o Santa Cruz e, enfim, estava fora da zona de rebaixamento. O próximo confronto era contra o Coxa, no Couto Pereira, onde um empate seria lucro. Você conseguiu, inclusive. Era um seríssimo candidato ao rebaixamento. Vivia o limbo, a busca pelo pouco, o contentamento com o medíocre, que era o máximo a ser alcançado ali. Você se via longe do topo, do protagonismo, da sua história, de si mesmo.

Riam de ti, desprezavam-lhe.

Então o mundo – ou só uma determinada estrela – resolve brilhar novamente em sua direção. Aos poucos, passo a passo, num processo que parecia o acaso. Encontra-se uma ilha para refugiar-se, um vento para lhe comandar e orgulhar o pai furacão. Acha-se um caminho. De repente, o topo volta a ser enxergue, ainda de longe, pelo binóculo. A tragédia, antes senso comum, foge da cogitação. E você, nos trancos e barrancos mais organizados, se encontra.

Os sorrisos de deboche amarelam-se.

Seus sonhos mudam. Crescem, se alimentam. Juntos com ele, os questionamentos. Até onde você pode ir? O que pode alcançar? Até que ponto continuará surpreendendo, ou, simplesmente, deixará de ser surpresa? Onde será que o encontraremos?

Enquanto isso, você foge. Da imprensa, dos prognósticos, de uma realidade estereotipada feita por quem taxa uma regra esquecendo-se que o mundo gira.

Ria destes, despreze-os. Devaneie-se enquanto deita pra dormir depois de mais uma noite histórica.

Há 365 dias, você vivia de cabeça baixa. Há alguns dias, você derrotava um dos mais tradicionais da América. Faltam 7 jogos, sabia? Lembra do impossível? Ele é logo ali.

Não se explica o ato de sonhar. Entende-se a verdade, o concreto. E neles, seu sonho é real.

Vende-se um binóculo. Tratar com Botafogo de Futebol e Regatas.

4 Comentários em Em cada jogo, o Botafogo

  1. Tudo vai fazendo nós acreditarmos. Eu ainda não sei onde esse time vai chegar, mas não dá para imaginar qualquer um encerrando, se não for do time aplaudido com sentimento de orgulho no peito.
    Que seja longa essa estada, Botafogo.

3 Trackbacks & Pingbacks

  1. A epopeia botafoguense na Libertadores - Cenas Lamentáveis
  2. A caminhada do Grêmio e o sonho pelo Tricampeonato - Cenas Lamentáveis
  3. Angra dos Reis Esporte Clube: uma história que vai além das redes sociais - Cenas Lamentáveis

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*