Estádio Governador Magalhães Pinto: o Mineirão

O gigante da Pampulha foi o palco das memórias futebolísticas de todos os mineiros

Mineirão iluminado para as Olimpíadas Rio 2016 (foto: Estádio Mineirão/Reprodução)

A cidade de Belo Horizonte, em Minas Gerais, possui um dos mais importantes estádios da história dos esportes brasileiros. O bairro da Pampulha e seu complexo arquitetônico guardam no alto da montanha um gigante: o Mineirão. Um lugar que já foi imortalizado em todas as áreas da arte e que foi palco de  inacreditáveis partidas de futebol. Abrigou jogos de Atlético Mineiro, América, Cruzeiro, da Seleção Brasileira de Futebol e de vários outros clubes, além de espetáculos de música inesquecíveis.

O poderoso e imponente estádio teve suas obras iniciadas na década de 1960. A Universidade Federal de Minas Gerais cedeu o terreno para o estado e o projeto arquitetônico foi feito pelo célebre Oscar Niemeyer. O sonho mineiro se tornou realidade em 1965 e foi inaugurado para o público com um jogo da Seleção Mineira contra River Plate da Argentina. Dois dias depois, o primeiro jogo da Seleção Canarinho contra o Uruguai traria a segunda vitória nacional dentro do gigante da Pampulha.

O estádio recebeu seu nome oficial em 1966 para homenagear o antigo governador de Minas Gerais, Magalhães Pinto (ARENA). Magalhães sairia de Minas com esta grandiosa homenagem em direção ao Ministério das Relações exteriores durante o governo militar de Costa e Silva. O nome popular, entretanto, já era falado em todos os cantos do estado: o Mineirão.  Sua capacidade oficial era de 130.000 pessoas e possuía os setores de arquibancada, geral e as tribunas.

mineirão 4
O Mineirão antigo com seu placar analógico (Foto: Superesportes/Reprodução)

Ao longo de sua história o estádio recebeu jogos dos mais diversos campeonatos nacionais e também internacionais. Atlético e Cruzeiro fizeram suas histórias dentro do campo ao longo das décadas e caminharam em direção ao protagonismo no estado. A Seleção Brasileira por sua vez fez vários jogos e o ápice veio com a Copa do Mundo de 2014.

O estádio teve suas primeiras reformas e modernizações no final da década de 1990 e uma grande reforma foi feita em 2006 para receber jogos das eliminatórias da Copa. Devido à Copa do Mundo de 2014, em 2010 o estádio foi fechado e demolido a exceção de sua fachada histórica. O interno foi totalmente reconstruído e adaptado para os padrões mais exigentes da FIFA e tornou-se um dos estádios mais modernos do Brasil e do mundo. O estádio foi reformado em regime de PPP (parceria público-privada) e custou pouco mais de R$600 milhões. O Mineirão agora pode receber 60.000 pessoas com conforto, mais perto do campo e com dois grandes telões para ajudar na visão.

mineirão 1
Mineirão após a reforma para a Copa do Mundo (Foto: Estádio Mineirão/Reprodução)

O Mineirão em 2003 foi tombado como patrimônio do município e em 2016 alcançou as honras de patrimônio da humanidade da Unesco, apenas confirmando o que todos os mineiros sabiam: o Mineirão é um dos mais importantes estádios do Brasil e do mundo. Este templo do futebol merece ser sempre reverenciado não só pelo grandes espetáculos futebolísticos que passaram aqui, mas pelas grandes decisões que também serão travadas.

Momentos difíceis:

Brasil 1 x 7 Alemanha – Copa do Mundo 2014 – (08/07/2014)

mineirão 3
A tragédia do Mineirão (Foto: Ricardo Matsukawa / Terra)

O episódio que ficou conhecido como “Mineiraço” foi o ponto mais baixo da história da Seleção Brasileira. A seleção alemã entrou para vencer e mesmo com o favoritismo do dono da casa não tomou conhecimento dos oponentes. Foram sete gols do time do de Joachim Low, onde os torcedores nas arquibancadas não conseguiram acreditar no que estava acontecendo. O prestígio da camisa amarelinha caiu com a torcida desde então e os torcedores esperam que a volta por cima não demore tanto.

Cruzeiro 1 x 2 Estudiantes – Copa Libertadores da América (15/07/2009)

mineirão 4
Verón levanta a taça de campeão (Foto: Uol Esportes/reprodução)

O primeiro jogo da decisão da Libertadores de 2009 entre Cruzeiro e Estudiantes de la Plata, na Argentina, marcou um empate sem gols. A volta esperava-se um resultado positivo para a equipe celeste que contava com público favorável e atmosfera positiva. O time que tinha o craque Ramires contava com os gols de Kléber Gladiador e o sólido Fábio debaixo das traves. Após o primeiro gol de Henrique esperava-se que os ânimos ficassem mais tranquilos, mas a garra argentina não pode ser questionada. O time do grande meio campo Verón trouxe a campo toda sua força e determinação e bateram de virada os donos da casa. O sonho do tri continental foi adiado.

Atlético 0 x 0 Vasco – Campeonato Brasileiro 2005 (27/11/2005)

Disputa de bola – (Foto: Pedro Vilela/Agência O Globo/Gazeta Press/Reprodução)

O jogo pelo Brasileirão de 2005 marcou o ponto mais difícil que o Mineirão assistiu na história do Galo. Precisando desesperadamente vencer, o time capitaneado por Rafael Miranda não conseguiu o resultado positivo e distanciou-se demais do meio da tabela. A descida em direção a Série B pôs em cheque o alvinegro e testou o amor da sua torcida. O mesmo estádio foi palco da campanha que venceu a série B e voltou para elite em 2007.

Momentos inesquecíveis:

Cruzeiro 6 x 2 Santos – Taça Brasil – (30/11/1962)

mineirão 1
Esquadrão campeão da Taça Brasil em 1962 (Foto: Superesportes/Reprodução)

O Cruzeiro, em 1962, teria um grande desafio para conseguir levantar a Taça Brasil: o Santos de Pelé. O time lendário santista encontrou um Mineirão lotado com um oponente a altura para enfrentá-lo. Na grande final, o jogo de ida disputado em Belo Horizonte teve oito gols, sendo seis da raposa. O grande destaque fica para o Hat-Trick de Dirceu Lopes. O jogo de volta, disputado no Pacaembu, também teve vitória celeste por  3 a 2 para selar a conquista e começar a escrita da história vitoriosa do clube.  Em votação popular no site do jornal Estado de Minas, o esquadrão foi escolhido o melhor time de todos os tempos da Raposa.

Atlético 2 x 0 Olímpia (Paraguai) – Copa Libertadores da América – (24/07/2013)

mineirão 5
A massa durante a partida (Foto: Globo Esporte/Reprodução)

O jogo mais importante da história do Atlético foi visto por quase 60.000 pessoas. O estádio viu o craque Ronaldinho Gaúcho ajudar sua equipe e contar com toda a qualidade do goleiro Victor para defender os penais após a prorrogação. Os atleticanos também nunca esqueceram o momento que o gramado do Mineirão “desarmou” Ferreyra. O atacante driblou o goleiro Victor, quando estava cara a cara com o gol, escorregou e evitou o que seria um desastre para a Galoucura. A torcida alvinegra fez grande festa e o título foi largamente festejado por todo estado. O jogo também é detentor do recorde de arrecadação em bilheteria: mais de 14 milhões de reais.

Brasil 1 (3) x 1 (2) Chile – Copa do Mundo 2014 – (28/06/2014)

mineirão 6
Comemoração da vitória (foto: Terra Esportes/Reprodução)

O jogo pelas oitavas de final da copa do mundo foi assistido por um Mineirão lotado de camisas amarelinhas. Um jogo que na teoria seria tranquilo, apresentou um excelente nível técnico e muita dificuldade para a seleção. O jogo teve alguns lances polêmicos como o pênalti não marcado em Neymar logo no começo da partida e o gol do atacante Hulk que foi anulado. A grande atuação do jogo entretanto veio do titular com mais dúvidas: o arqueiro Júlio César. Os céticos disseram que Felipão tinha perdido a cabeça em convocar um goleiro que estava no fim da carreira. Mas sua estrela brilhou forte e os dois penais defendidos justificaram a sua convocação.

O que faz o Mineirão ser mais incrível para além do futebol:

mineirão 3
O prato típico: Tropeirão (Foto: Superesportes/Reprodução)

A culinária mineira é consagrada por todo Brasil. Seus pratos e iguarias são degustados internacionalmente e possuem características marcantes. O Mineirão traz uma parte desta cultura dentro de seus bares: o Tropeirão. O estádio durante todo seu funcionamento ofereceu o prato típico do estado durante os jogos, e era uma necessidade para todos que iam ver futebol.Um marmitex com arroz, feijão tropeiro, ovo frito e couve tinha um gosto especial e diferente dentro do campo. Na reforma do estádio para a copa do mundo, o prato sofreu uma repaginada para ficar mais saudável dentro dos padrões da vigilância sanitária. Seja nos bares dentro do mineirão, ou nas barraquinhas ao redor do estádio, o Tropeirão sempre terá espaço no estômago e no coração dos torcedores.

 

Texto e pesquisa: Lucas Poeiras (@pueira)

2 Comentários em Estádio Governador Magalhães Pinto: o Mineirão

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*