Eu quero morar na Libertadores – O jogo épico de Medellin!

Atletico Nacional x Rosario Central

¡Hola, mis amigos! No hay torneo en el mundo como la Copa Libertadores de América, no hay! Hoy no vamos a celebrar solamente um jugador, entonces todos los hombres que ya han entrado en las canchas de nuestro continente el respeto que se merecen.

[Ativando Google Tradutor]

Que jogo épico! Faltam palavras para descrever o quanto a partida entre Atlético Nacional e Rosário Central foi fantástica. Um duelo onde vinte e dois jogadores disputaram um dos embates mais emocionantes do ano, um jogo completo, digno de Libertadores da América!
Tivemos pênalti mal marcado, expulsões, médico invadindo o campo, golaço, provocações, catimba, gol decisivo após o tempo regulamentar, confusão, gandulas tomando a cena, e crianças emanando toda a sua paixão e devoção por um clube. Todos os ingredientes necessários para explicarmos aos hereges que isso aqui não é “apenas futebol”!

O futebol é muito mais do que podemos explicar
O futebol é muito mais do que podemos explicar

O estádio Atanasio Girardot foi o palco perfeito para esse jogo decisivo das semifinais do maior campeonato de clubes do planeta. Com casa cheia, o time da casa precisava reverter a derrota por 1 a 0 no jogo de ida, mas logo aos 6min de jogo, o árbitro marcou pênalti de Copete, após ele, sem querer, tocar a mão na bola quando dava um carrinho para desarmar o adversário, Marco Rubén cobrou com categoria e fez 1 a 0 para os argentinos. Após um momentâneo silêncio, a torcida alviverde começou a cantar incessantemente, empurrando o time do Atlético Nacional para cima do Rosário Central, começava aí a blitz do time de Medellin. Aos 46 min do primeiro tempo, as arquibancadas explodiram em festa com o gol de Mac Torres, era a esperança sendo reacendida no coração daqueles torcedores, e mesmo faltando ainda dois gols, não havia um só coração naquele estádio que não acreditasse numa reviravolta.

Em nenhum momento a torcida verdolaga deixou de acreditar na classificação (foto: Ricardo Mazalan /AP)
Em nenhum momento a torcida verdolaga deixou de acreditar na classificação (foto: Ricardo Mazalan /AP)

Com o final do primeiro tempo, a equipe argentina esperava esfriar um pouco a inflamada torcida colombiana, mas, mal começou a segunda etapa, “los hinchas” continuaram a sua festa entoando todos os seus gritos de guerra pedindo a Libertadores para seus jogadores, foi quando que aos 5min, Donatti falha, e Marlos Moreno deixa Guerra na cara do gol para virar a partida. As imagens da transmissão da tv eram tremidas, devido a festa da torcida!

Enquanto o time do Rosário se fechava ainda mais, o técnico Reinaldo Rueda colocava cada vez mais atacantes em campo. Parecia que a catimba argentina iria mais uma vez resolver uma classificação a seu favor, pois o tempo parecia correr cada vez mais rápido para cada um daqueles 42 mil colombianos que estavam no estádio. Aos 40 min, Berrío se choca com o goleiro Sosa, que cai e se retorce como se tivesse batido de frente com um trem! Isso irrita completamente a torcida e o time do Atlético Nacional, e qualquer contato já era motivo de um princípio de confusão. Com o juiz anunciando 6min de acréscimo, o time da casa praticamente abdicou da defesa e se lançou completamente ao ataque. Até que em um contra ataque, Marco Rubén perde o gol da classificação do Rosário, ao perder o gol sozinho frente a frente com o goleiro Armani.

Após uma jogada de pura habilidade de Marlos Moreno, Burgos comete falta próxima à linha da área e leva o segundo amarelo, deixando a equipe argentina com um jogador a menos. O desespero começa a tomar conta do Atlético Nacional, até que aos 49min, após um cruzamento, Berrio toca para o fundo das redes do goleiro Sosa. Era a tão esperada hora da “vingança”. Ele e alguns jogadores do Nacional foram comemorar o gol em cima do goleiro uruguaio, o volante Musto tomou as dores do “arqueiro” e partiu para cima do jogador colombiano. – Pronto, cenas lamentáveis em Medellin!
Ao final da confusão, Berrio foi expulso de campo, mas o juiz ainda queria jogo e anunciava mais 2min. No total desespero, o time do Rosario Central ainda conseguiu ser guerreiro e por pouco não consegue jogar o balde de água fria sobre os jogadores do  Atlético, quando Rubén chuta por cima do gol colombiano em um ataque extremamente perigoso. No último minuto de jogo, o meia Lo Celso, ainda foi expulso de campo por agredir com um soco o jogador Mejia, do Atlético Nacional. Final de jogo e festa na Colômbia, o Nacional estava classificado para uma semifinal de Libertadores da América após 21 anos!

Provocação colombiana após o gol da classificação
Provocação colombiana após o gol da classificação

Vejam os melhores momentos desse jogo épico:

[Desativando Google Tradutor]

Hasta luego, hermanos!


Texto: Wagner Ponce 
https://twitter.com/wagnerponce

4 Comentários em Eu quero morar na Libertadores – O jogo épico de Medellin!

  1. Jogaço de bola, uma aula de Libertadores, memorável, uma final antecipada entre a melhor equipe argentina e a melhor equipe colombiana. Não duvido, os dois times se encontrarem novamente nas próximas edições da Libertadores.

    • Com certeza, Demóstenes. Foi literalmente uma aula de futebol no padrão Libertadores da América, ou seja, em seu capítulo mais avançado!

      Tomara que ambos consigam manter seus elencos para a próxima temporada, pois a tendência é que muitos jogadores acabem saindo.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*