Flamengo: em busca de ir além do “cheirinho”

Rubro-Negro carioca vai atrás de um título importante após a Copa do Mundo

(Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

Por: Antônio Cláudio Rodrigues – MG

Há um bom tempo, a história do “cheirinho” tem sido um incômodo no Flamengo, principalmente para seus torcedores. Por mais que isso tenha começado com eles próprios, o olfato não se transformou em tato, ou seja, as taças dos grandes campeonatos não vieram, e o “cheirinho” se tornou munição para piadas dos rivais. Agora, logo após a parada para o Mundial da Rússia, o Fla terá sua grande chance de, enfim, conquistar um torneio importante, mas o caminho, logo de cara, não será fácil.

Apesar do início de 2018 ter sido conturbado, o clube da Gávea conseguiu, depois de três edições seguidas parando na fase de grupos, chegar às oitavas de finais da Libertadores e à parada liderança do Campeonato Brasileiro, a frente do segundo colocado, São Paulo. Com a demissão do até então treinador Paulo César Carpegiani e do diretor executivo Rodrigo Caetano, após eliminação no estadual para o Botafogo, em março deste ano, o jovem Maurício Barbieri, de 36 anos, assumiu o cargo de técnico interinamente e, daí em diante, o rendimento do time só cresceu.

Sob o comando de Barbieri, o Flamengo conseguiu 12 vitórias, seis empates e somente duas derrotas em 21 jogos. Coincidência ou não, o trabalho do profissional contou com a melhora no rendimento individual de alguns atletas. Diego passou a jogar mais avançado e a prender menos a bola, Everton Ribeiro agora atua na sua posição predileta, como meia pela direita, Paquetá é praticamente um segundo volante e, com a saída de Everton, Vinícius Jr finalmente assumiu o posto de titular pelo lado esquerdo do ataque. Além deles, Renê demonstrou um futebol que era desconhecido dos torcedores flamenguistas, e os jovens zagueiros pratas da casa, Léo Duarte e Thuler, tiveram ótimos desempenhos.

No entanto, para conquistar qualquer um dos três títulos em disputa, o Rubro-Negro precisará passar por alguns obstáculos, tais como grandes adversários e problemas no elenco. No Brasileirão, o clube vem de vitória sobre o Botafogo, por 2 a 0, e enfrentará o Santos, fora de casa, nesta quarta (25/07). Ademais, o Fla terá pelo frente o Cruzeiro, pelas oitavas da Libertadores, e o Grêmio, na mesma fase da Copa do Brasil.

Com relação ao plantel, as laterais são as posições que mais preocupam. A saída de Vinícius Jr  para o Real Madrid foi resolvida com a contratação do meia-atacante Vitinho, revelado pelo Botafogo. O clube desembolsou 10 milhões de euros para contar com o jogador.

Nas laterais, no entanto, os questionamentos não são recentes, já que Rodinei e Renê não passam muita confiança, principalmente para os torcedores, apesar da boa fase do lateral esquerdo. Os reservas tão pouco fazem sombra. Pará não é lembrado nem nas piores atuações do titular da posição, enquanto que Trauco é visto pelos dirigentes do clube como uma boa opção de venda, já que disputou a Copa da Rússia pelo Peru e pode ter despertado o interesse de alguma equipe do mercado internacional.

A boa notícia fica por conta da contratação do atacante colombiano Fernando Uribe. Vindo de três temporadas com o Toluca do México, o atleta teve bom desempenho em termos de gols, marcando 61 vezes em 116 partidas, gerando uma ótima média de gols. O reforço é uma resposta ao mau desempenho de Henrique Dourado até aqui, além da pouco provável permanência de Paolo Guerreiro, que além dos problemas judiciais com o doping, tem contrato com o clube somente até 10 de agosto deste ano.

(Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

Dessa forma, o Flamengo chega para a segunda parte da temporada em busca de se livrar desse estigma recente do “cheirinho”, de clube que só bate na trave, ou nem isso. Há, ainda, muita pressão sobre a gestão do presidente Eduardo Bandeira de Mello por grandes conquistas, e isso só acabará se a equipe conseguir passar pelos difíceis jogos que tem pela frente, seja com o elenco reforçado ou não. Mas, mesmo com as inúmeras dificuldades, a última impressão deixada dentro de campo foi boa.

 

Fontes: Uol, Extra

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*