FRA 0x1 POR – A festa da Eurocopa foi de Portugal

Com futebol raçudo e digno, Portugal levou o título pra casa

Portugal é campeão da Euro 2016 (Imagem: Cmxjornal)
Portugal é campeão da Euro 2016 (Imagem: Cmxjornal)

Na final da Euro deste ano, duas seleções com diferentes histórias. De um lado, a França, campeã mundial, e que tentava se igualar à Espanha e dividir a maior vencedora da Eurocopa. Do outro, Portugal, que em 40 anos já não ganhava um título. A seleção apostava todas as suas fichas no craque Cristiano Ronaldo, muito criticado, junto ao argentino Lionel Messi, por não ganharem nada pela suas respectivas seleções. Mas aconteceu: Portugal foi o verdadeiro dono da festa e levou o título da Eurocopa 2016.

A atmosfera era incrível no Stade de Fránce. Os franceses se consideravam favoritos, porque, no papel, o elenco francês era realmente superior ao português. A torcida queria, além da festa pelo título, a união do país. A imprensa francesa, contava com o título para melhorias no país em relação à união dos povos e conflitos políticos. Portugal chegou na grande final desacreditado, aos trancos e barrancos, vencendo apenas um jogo no tempo regulamentar (a semi-final contra País de Gales), sem falar de estar jogando nos domínios do adversário.

Quando a bola rolou, a França manteve o estilo de jogo e foi pra cima. Iniciou uma pressão. Logo aos seis minutos, Payet alçou bola na área, Cedríc afastou mal e o atacante Griezmann bateu cruzado na sobra. A bola passou perto da meta portuguesa. No minuto seguinte, o lance que mudaria por completo a história do jogo. Cristiano Ronaldo dominou a bola, e Payet chegou forte no português, sem maldade. O craque sentiu muitas dores e saiu mancando, mas voltou ao jogo, o que não diminuiu preocupação a torcida portuguesa. Aos oito, Payet levantou na área, Griezmann subiu e testou. A bola ia morrendo no fundo das redes, só que Rui Patrício fez uma defesa espetacular, jogando pra escanteio.

Pouco depois, acontecia a cena que nunca – nem nos piores pesadelos – passou pela cabeça dos portugueses: CR7 caía no gramado. Muito irritado, jogou a faixa de capitão no chão e, chorando copiosamente, deixou o gramado. Mesmo assim, voltou novamente, com uma faixa no joelho. Aos 22, Portugal finalmente assustou. A bola sobrou limpa para Adrién Silva na entrada da área. O meia português bateu forte, passando rente à trave francesa. Aos 23, acabava definitivamente o sonho de Cristiano Ronaldo. O atacante do Real Madrid caía pela terceira vez no gramado e a Eurocopa se encerrava para ele. O português saiu ovacionado de campo, aplaudido tanto pelos portugueses quanto pelos franceses. Em cena emocionante, o futebol respirava. Quaresma entrou no lugar de CR7, para manter a velocidade portuguesa. Pouco depois, França começou a pressionar. Sissoko, que fazia uma baita partida, deu um drible de corpo sensacional e bateu forte. Rui Patrício salvou mais uma. O primeiro tempo se encerrou com o placar em branco e muitas chances de gol.

No segundo tempo, com as duas equipes mais desgastadas, a primeira oportunidade aconteceu somente os 12 minutos. Coman, que havia entrado no lugar de Payet, fez bela enfiada para Griezmann, que invadiu a área e bateu cruzado. Mais uma boa defesa de Rui Patrício. Aos 20, outra vez Coman, colocou na cabeça do artilheiro da Euro. Griezmann subiu sozinho e escorou, a bola raspou o travessão e saiu pra fora. O Stade de France foi à loucura com a melhor chance do jogo.

Depois que o jovem Coman entrou em campo, o panorama foi outro. A França melhorou muito. Em uma jogada, ele passou por dois marcadores, fez o cruzamento para Giroud, que soltou uma bomba mas Rui Patrício salvou Portugal. O goleiro do Sporting fazia partida incrível. Aos 34, a melhor chance de Portugal: Nani tentou cruzar, a bola enganou Lloris, que teve que fazer uma baita defesa. No rebote, Quaresma quase marcou um golaço de voleio, mais Lloris defendeu novamente. Que jogo!

Aos 38, Sissoko encheu o pé de fora da área, Rui Patrício se esticou e fez uma defesa incrível mais uma vez. Os franceses estavam loucos pelo gol, a bola não entrava. Aos 46, Gignac girou lindamente em cima de Pepe, deixando o zagueiro estatelado no chão. A bola bateu na trave e quase que o atacante escreve seu nome na história, mas o jogo foi para a prorrogação.

Quando começou a prorrogação, CR7 apareceu e foi a campo incentivar os companheiros. Fez efeito. Os portugueses foram muito melhores no tempo extra. Aos 13 do primeiro tempo, Quaresma bateu escanteio, Éder subiu livre, testando forte, para defesa incrível de Lloris. Foi a grande chance da prorrogação. No segundo tempo, Portugal continuava melhor. Aos dois minutos, em cobrança de falta perto da área, o lateral Guerreiro bateu muito bem. A bola bateu no travessão, depois na linha e saiu.

Logo no minuto seguinte, o improvável aconteceu. O camisa 9 português, Éder, que entrou no final do segundo tempo regulamentar, recebeu de fora da área, se livrou de Koscielny e bateu forte, sem chances para Lloris. Um golaço de um jogador antes desacreditado por não estar numa boa fase. Portugal abria o placar: 1 a 0, com franceses perplexos.

Daí em diante, a França tentou uma reação, mas pararam em Rui Patrício. Portugal era campeão da Eurocopa 2016. Festa da torcida portuguesa no Stade de Fránce. Os Franceses choravam e não acreditavam no que havia acontecido.

Com o título, Cristiano Ronaldo cravou seu nome na história do futebol. Sem dúvidas, agora figura no top 5 de melhores jogadores da história. Fez o que Figo, Pauleta, e outros craques portugueses não conseguiram. Infelizmente, a a Euro chegou ao fim. No final, com um futebol raçudo e digno, Portugal levou o título pra casa.

Texto: Daniel Ribeiro (@danielrib9)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*