Goleiro é muito maior que uma falha

Heróis também falham

Ronaldo, o Fenômeno ajudando Oliver Kahn (Foto: Placar)
Por: Daniel Bravo, MG

Amigo torcedor, amigo leitor. Faz um tempo que eu, juntamente com o grande Wagner Ponce, escrevemos sobre os goleiros, suas dificuldades e como os donos são, por vezes, desvalorizados. Ser goleiro é, para mim, a posição mais difícil e a mais ingrata. Falo isso por conhecimento de causa. Por maior e mais respeitado que seja um goleiro, ele jamais será poupado das críticas e xingamentos se “entregar” uma decisão. Claro que com o tempo ele será perdoado, mas a falha jamais será esquecida. Bom, por mais que me doa e dói, chegou a hora de falar sobre as falhas dos arqueiros.

Por muito tempo no Brasil, Barbosa, goleiro de 50 ficou marcado como o culpado pela derrota mais significativa do nosso futebol. Quando se fala em derrotas da seleção, a mais lembrada era a de 1950 no famoso e dolorido Maracanazo, onde após falha de Barbosa, o Uruguai venceu o Brasil e conquistou a Copa de 50 em um Maracanã lotado. Claro que houve o erro, mas perdurar por mais de 70 anos é um ato de crueldade sem tamanho.

7-barbosa
Barbosa, perdoado somente após o vexame de 2014 (Foto: Reprodução internet)

Outro caso que me deixa deveras pensativo quanto a respeito com goleiros ídolos é o caso de Iker Casillas no Real. Casillas foi titular por anos e anos, campeão de tudo e após começar uma fase ruim foi logo perdendo espaço até se transferir para o Porto. Lembrando que Iker é o goleiro a passar mais jogos da Champions sem sofrer gols e deveria ser muito mais respeitado do que foi no Real.

Voltando ao futebol brasileiro, muitas vezes, com um pouco mais de respeito pelos clubes, mas nem sempre da torcida, alguns são os casos de goleiros ídolos que ao passarem por uma fase ruim ou mesmo falhar, não foram poupados. São Marcos é um exemplo. Marcão sempre foi um paredão, mas ainda assim não deixava de colecionar suas falhas. A pior delas e aquela que quase levou o goleiro a uma prematura aposentadoria foi a falha no Mundial de 1999 contra o Manchester United. Muito se acreditava no título palmeirense e na capacidade de São Marcos, contudo, após cruzamento de Giggs e uma “caçada de borboletas”, Marcos viu o Manchester fazer 1 a 0 e vencer a partida pela diferença mínima de gols.

Quis o destino que Marcos voltasse a ter uma chance de conquistar o mundo, dessa vez com a camisa canarinho. Se a seleção brasileira tinha no gol Marcos e o medo de falhar em outra final (dizem até que Marcão prometeu doar parte do prêmio caso não falhasse) a Alemanha vinha com o goleiro até então menos vazado. Oliver Kahn vendia confiança e segurança, já havia sido eleito antes mesmo da final o melhor jogador da Copa ~ Que Deus perdoe a FIFA por não eleger Ronaldo ~ e era considerado o grande ponto forte alemão. Não atoa o futebol é o que é, Kahn acabou rebatendo o chute de Rivaldo no pé do Fenômeno e viu o brasileiro fazer o primeiro de dois gols na final e trazer o penta pra o Brasil.

esporte-itacc81lia-homenagem-goleiro-buffon
“Às vezes até o Super-Homem é apenas Clark Kent. Gigi, sempre o nosso super-herói”, apoio da torcida da Juventus após falhas de Buffon (Foto: Reprodução da Internet)

Pois bem, confrades, vida de goleiro não é fácil, muitas vezes ídolos, jogadores com mais partidas pelo clube, mas heróis que também erram. Por isso, fica aqui minha dica: Por mais ídolo e por melhor que seja o arqueiro do seu time, ele também irá ter dias ruins, fases em que o simples ficará complicado e partidas onde a culpa infelizmente será dele. O atacante pode ter duas chances de se tornar herói, mas para o goleiro, basta uma falha, um deslize, uma saída em falso para se tornar o grande vilão.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*