Grandes Clássicos Sul-Americanos: Caracas FC x Deportivo Táchira

Os maiores campeões da Venezuela protagonizam duelos quentes há mais de três décadas

Com 33 anos de história, El Clásico Moderno é o maior da Venezuela (Foto: Reprodução - El Nacionalista)
Por Dudu Nobre, PR

Grandes rivalidades se caracterizam pelo longo tempo de existência. No Brasil algumas são centenárias, caso de Fla-Flu, Gre-Nal e Corinthians x Palmeiras. No entanto, o duelo que vamos conhecer tem pouco mais de três décadas, reflexo de um futebol que ainda não é a maior paixão nacional. Próxima parada: Venezuela, o país do Beisebol.

Na terra da seleção Vinotinto, Caracas e Deportivo Táchira são os clubes mais populares e fazem um clássico acirrado entre times relativamente “jovens”. Em 11 de janeiro de 1974 era fundado o Deportivo San Cristóbal, equipe localizada na cidade de mesmo nome à oeste da capital Caracas (região Andina do país).

Criado por imigrantes italianos, o Táchira já foi Juventus no início dos anos 1970 (Reprodução - site oficial Táchira)
Criado por imigrantes italianos, o Táchira já foi Juventus no início dos anos 1970, antes da profissionalização (Foto: reprodução – site oficial Táchira)

Após disputar partidas amistosas usando um uniforme semelhante ao da seleção italiana – devido à influência dos imigrantes fundadores, em 1975 estreou no torneio nacional carregando o preto e o amarelo da bandeira do município. A agremiação foi se expandindo, conquistando torcedores para além da cidade. Devido ao grande apelo da população do estado tachirense (onde fica San Cristóbal), o clube mudou de nome em 1978, nascendo assim o Deportivo Táchira Fútbol Club.

Na década seguinte, a fábrica de motocicletas Yamaha tinha o interesse de profissionalizar seu time amador que vinha tendo sucesso em terras venezuelanas, mas queria que a população local criasse vínculos para além de um clube-empresa. Sendo assim, em 29 de setembro de 1984 nascia o Caracas-Yamaha Fútbol Club. Após cinco temporadas regulares, a diretoria teve problemas econômicos com a RCTV (canal de televisão local) e vendeu o clube a Organización Deportiva Cocodrilos, instituição que incentiva o esporte na capital. A equipe trocou o azul pelo vermelho e passou a ser simplesmente Caracas Fútbol Club.

Empresa japonesa investiu no futebol venezuelano por cinco anos (Foto: Arquivo - Javier Minniti)
Empresa japonesa investiu no futebol venezuelano por cinco anos (Foto: arquivo – Javier Minniti)

Foi ainda nos tempos da Yamaha que as equipes se enfrentaram pela primeira vez, em 14 de julho de 1985 – vitória Aurinegra por 1 a 0 fora de casa. O resultado foi reflexo da supremacia do Táchira nos anos 1980, vencendo três títulos nacionais (1981, 1984 e 1986). Todavia o time de San Cristóbal passou a década de 1990 inteira sem ganhar um torneio venezuelano, enquanto que Los Rojos faturaram quatro canecos (1992, 1994, 1995 e 1997). A disputa para conquistar a hegemonia no país já era uma fagulha pra rivalidade, que literalmente incendiou na virada do milênio.

Em 17 de dezembro de 2000 Caracas e Táchira fizeram a decisão da Copa República Bolivariana de Venezuela. Os Aurinegros já haviam se livrado da seca ao conquistar o campeonato nacional de pontos corridos, mas aquela finalíssima era a chance de dar o troco esperado por uma década. A vantagem estava do lado vermelho, já que o clube da capital havia vencido o jogo de ida por 2 a 1.

Em San Cristóbal Los Rojos conseguiram segurar a vantagem com o empate em 2 a 2 e ficaram com o título, mas a torcida local não engoliu a festa rival dentro de sua casa, ainda mais com as provocações do atacante Juan “El Lagarto” García. Alguns membros da hinchada Aurinegra entraram em campo e trocaram golpes com os jogadores caraqueños.

A partir daí, Cenas Lamentáveis ao extremo. Invasão generalizada, o que obrigou os atletas visitantes a correrem pro vestiário como se não houvesse amanhã. Enfurecidos, os torcedores resolveram descontar a raiva no ônibus que trouxe o clube da capital. Levaram o veículo para o gramado do Estádio Polideportivo de Pueblo Nuevo, apedrejaram e queimaram o “busão”, deixando apenas a carroceria e um letreiro com a frase “En esta unidad viaja el Caracas Foot-Ball Club”.

Este é um confronto marcante dentre as 100 vezes que o Clásico Moderno del Fútbol Venezolano foi disputado. Foram 33 vitórias do Táchira (que ganhou a primeira peleja e a mais recente), 32 do Caracas e 35 empates. Os caraqueños levam vantagem nas taças levantadas:  11 Campeonatos Venezuelanos contra oito dos tachirenses e 5 Copas da Venezuela contra apenas uma do time de San Cristóbal.

Os dois times ainda podem se enfrentar no campeonato nacional desse ano, ambos se classificaram para as quartas de finais do Torneo Clausura – em chaves diferentes. Se Rojos e Aurinegros estiverem frente a frente, tenha certeza de que será um jogo disputado palmo a palmo, afinal Caracas x Táchira é o maior clássico da Venezuela.

Fontes: As, Caracas FC, Correo del Orinoco, Deportivo Táchira, Desde la Plaza, El Nacional, El Nacionalista, Eliezerperez, ESPN, Forovinotinto, Futbolestodo, La Red Vilena, Meridiano, Papo DesportivoSobrefutbol.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*