I Torneio de Futebol de Travinhas do Desterro

Quem nunca jogou bola na rua e parou para os carros passarem, que atire a primeira pedra. Quem já se gabou por terminar o dia sem perder uma, ou, foi zoado por ter ficado a maioria do tempo na barreira, não sabe a verdadeira alegria de jogar travinhas na rua, sejam elas de pedra, chinelos ou mesmo marcas de giz no chão, de ruas tanto de capitais como de interior.

E se existisse um campeonato dessa tal travinha? E se esse campeonato valesse mais que um refrigerante? E se em jogo estivesse o maior troféu de todos, a diversão? Pois confrades, é com prazer que venho lhes informar que sim, esse campeonato existe e ocorreu no último domingo (5) na comunidade do Desterro em São Luis do Maranhão. O I Torneio de Futebol de Travinhas do Desterro, realizado em parceria pela Secretaria de Esporte e Lazer (Sedel) e a Secretaria do Estado da Cultura e do Turismo (Sectur) reuniu dezenas de crianças, com o mesmo sonho, que certamente muitos de vós carregou por toda a infância: ser jogado de futebol.

Pois bem, na manhã do último domingo a bola rolou, valendo um sonho infantil, isso tudo teve como cenário o antigo prédio do convento das mercês. Não houve a necessidade de uniforme para os time, nem ao menos tênis, contudo, isso não impediu as crianças de suarem as camisas e darem o melhor de si na competição. Como o coordenador e assessor técnico para o Lazer da Sedel, Gigi Moreira mesmo resaltou: “O Convento das Mercês tornou-se uma grande arena de lazer e atividades esportivas para toda criançada. O nosso prazer foi ver a grande participação e envolvimento do bairro na realização desse evento”

Torneio de futebol de Travinha foi uma das atrações do Mais lazer para Todos especial. Foto:Divulgação
Torneio de futebol de Travinha foi uma das atrações do Mais lazer para Todos especial. Foto:Divulgação

Tal torneio serviu também para homenagear Djalma Campos, grande jogador, tanto no campo quanto nas quadras e um grande atleta no cenário maranhense. “O Torneio foi muito bom. Reuni meus colegas, montamos nossa equipe e saímos em busca da medalha”, falou Railson da Silva, 12 anos, morador do Desterro. Para muitos desses atletas mirins que, como a maioria dos sonhadores vive nos subúrbios de grandes centros ou no recanto interiorano, e essa provavelmente foi uma das poucas oportunidades que terão de mostrar seu talento.

Para Michael de Oliveira, 10 anos, que tambem carrega esse sonho, o torneio foi a primeira oportunidade de colocar em prática sua habilidade com o jogo de travinha. “É a primeira vez que disputo um torneio com os colegas aqui do bairro, mas já sou ‘fera’ na travinha. Esse é o primeiro jogo de muitos que vou participar. Obrigado por essa chance”, comentou sorridente. De fato, essa atitude do Governo do Maranhão foi louvável e deve ser encorajada nos demais estados, deve-se valorizar o esporte para a juventude e principalmente para as comunidades, que vivem o pior desse país, em diversos aspectos.

Texto: Pedro Weverton

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*