II Copa CL – Edição BH: O Maior Espetáculo da Terra

Amigo torcedor, amigo secador. No último sábado,  dia 18 de junho de 2016, Belo Horizonte deixou de ser a terra do 7×1 e se tornou o ponto de encontro da maior confraria desse país: a comunidade Cenas Lamentáveis, esta que é símbolo da sobrevivência da raiz do futebol e que teve seus membros protagonizando o maior torneio do mundo, a II Copa CL. O evento reuniu pais e filhos, amigos e amigas, casais ou mesmo desconhecidos.

Dollynho e manequim (Foto: Pedro Perona)

Na Copa CL a rivalidade ficou dentro de campo, com entradas duras, trocas de “carícias”, GOSTAMOS e muitos gols. Já fora da quadra, uma festa maravilhosa regada a papel higiênico, sinalizador, rojão, bateria e mascotes como o “Dollynho” e uma manequim. Boatos  de que ambos terminaram a noite juntos. DESCUBRA!

Na cabeça do torcedor CL cheio de Danone, pouco importava se o time estava jogando ao som de cânticos maravilhosos, como “Acabou o amor, isso aqui vai virar o inferno!” ou “Arerê, lá fora a porrada vai comer!”. Fãs da comunidade travavam o Nintendo e cantavam para as duas equipes. Hora ou outra perguntavam o resultado do placar. Estavam todos muito entregues.

O evento contou ainda com a invasão da torcida bêbada antes mesmo do final da partida. Tinha torcedor pendurado na grade e subindo nas traves após o termino do jogo, além do consumo desenfreado de bebidas de procedência duvidosa e cigarros suspeitos. Para embalar a tarde, muito pagode noventista cantado pelos confrades do Garotos do Samba com coro dos jogadores e espectadores, tornando o evento ainda mais inesquecível.

Mais marcante que o resultado foram os momentos de alegria proporcionados aos brasileiros que não mereceram sequer a bola na trave do Chile. Amizades foram feitas, casais reconciliados (“Te amo patroa, bebeu comigo até o final e cantou o tempo todo”), além de um depoimento de escorrer suor dos olhos do grande Symonsen Acorroni e seu filho que, após a Copa CL, merece ser genro de qualquer admirador de um cidadão Lentra A.

Pai e filho na Copa CL BH (Foto: Symonsen Acorroni)

É, confrades. Na CL ainda se alimentam nossas raízes no futebol com festa de verdade, sem frescura, sem medo de deixar o torcedor ser feliz. Na Copa CL o futebol e a festa vivem!

Texto: Daniel Bravo

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*