II Copa CL – Edição BH: O sonho é real

Um dia que começa com oitavas e termina na final, um dia de glória

(Foto: Arquivo CL)

Alguém faz ideia do que é ser jogador de futebol? Muitos dizem que o futebol é a única forma dos excluídos da nossa sociedade em almejar algo melhor. Outros pensam que jogar futebol é uma maneira fácil de ganhar dinheiro, e por fim, existem os que dizem que ser jogador de futebol é coisa de “malandro”, que não possui aptidão para os estudos.

Mas estes que dizem estas asneiras são aqueles que não sabem o que é ser um jogador de futebol. Os jogadores de futebol podem não vestir “terno e gravata” ou um “capacete e luvas”, mas vestem o manto de um clube que representam com amor e alegria. Enquanto para eles o “terno e gravata” é apenas um “terno e gravata”. Para nós, a camisa daquele clube é tudo: é amor, é respeito, é trabalho, é determinação, é querer. É tudo.

A beleza da Copa CL está em proporcionar, mesmo que por algumas horas, o sentimento de ser um verdadeiro atleta. Sentir a pressão, a emoção, a frustração e o prazer que somente o futebol é capaz de proporcionar. Isso tudo regado a boas doses de “danone” e samba de qualidade “descubra” promovido pelos nossos irmãos cariocas.

Campeões da Copa CL Edição BH: Netos do Givanildo (Foto: Arquivo CL)

Conseguem imaginar o que é ser criticado quando erra um passe? Sabem o que é ouvir “elogios” vindos da arquibancada? Sabem o que é ouvir gritarem para dentro de campo “artilheiro”, “filho da p…” e os torcedores enlouquecidos quando seu time marca um gol? O prazer de mandar a torcida ficar em silêncio? Pois então, na Copa CL isso acontece a cada segundo, a cada momento. Um dia que começa com oitavas e termina na final, um dia de glória. Quando a bola chega no seus pés, sua cabeça se ergue, a meta adversária se torna um alvo prazeroso, você tem a certeza de que nasceu para isso.

Os que nunca jogaram futebol não fazem ideia do que é planejar uma semana inteira e ser barrado quando o time está em apuros. É revoltante! É nesse momento que você soca a grade e xinga até a décima geração do seu “treinador”. Porque às vezes quem escala é um “professor” e o futebol não é para teóricos.

(Foto: Arquivo CL)

Somente os que entraram em uma alçapão ao som ensurdecedor dos foguetes, no clima hostil promovido pela cortina de fumaça e o piscar dos sinalizadores em uma final com clima de Libertadores, uma final moralizadora, sabem o sentido do lutar, correr, aceitar e perdoar essas pessoas ruins…

E por quê? Por que estamos dispostos a todos estes sacrifícios para jogar futebol? A resposta é simples, porque o futebol é tudo para nós. Sem o que considero como a minha segunda família eu não seria feliz, a união do grupo, o partilhar de um pré-jogo, as nossas brincadeiras, as brigas, as vitórias e derrotas, enfim, por tudo isto que os jogadores de futebol são os mais felizes. É por isso que existe a Copa CL, um dia mágico, que o sonho torna-se real, mesmo que por algumas horas…

(Foto: Arquivo CL)

“O autor (Pedro Portugal) foi jogador do time Unidos de Seu Ragão, vice-campeão da II Copa CL , empunhou a camisa 10 com muito orgulho, e realizou seu sonho de criança.”

 

 

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*