Laranjeiras: o centenário do primeiro grande templo do futebol brasileiro

Estádio completa 100 anos no dia 11/05 | Foto por: Bruno Haddad
Por Kley Taboada, RJ

Inaugurado em 11 de maio de 1919, o Estádio das Laranjeiras se tornou o primeiro palco da Seleção Brasileira de futebol. Projetado para ser a sede do campeonato Sul-Americano de Seleções, o estádio é o primeiro “Templo do Futebol” do Brasil, onde a seleção canarinho conquistou seu primeiro título na história.

Antes de ser construído o Estádio Manuel Schwartz já ocorriam jogos no campo das Laranjeiras. É onde foi realizado o primeiro jogo da seleção brasileira, contra o Exeter City da Inglaterra. Também foi onde o Fluminense conquistou seus primeiros títulos do campeonato carioca.

O projeto para a construção do estádio surgiu de Arnaldo Guinle, patrono e presidente do Fluminense de 1916 a 1931. O estádio foi projetado inicialmente para comportar 18 mil torcedores, algo que foi ampliado em 1922, quando o clube resolveu erguer mais um lance de arquibancadas em cima da arquibancada original. Na partida inaugural, Brasil 6 x 0 Chile, Arthur Friedenreich balançou pela primeira vez as redes do Estádio das Laranjeiras.

Foto por: Arquivo do Clube

O primeiro título da Seleção

Foi nas Laranjeiras que a Seleção Brasileira ganhou seu primeiro título, o Sul-Americano de Futebol (Embrião da atual Copa América). Após golear o Chile por 6×0, a Seleção ainda bateu a Argentina e acabou empatando com o Uruguai. Ao final das três partidas de cada equipe, Brasil e Uruguai acabaram empatados e, para decidirem o título, uma quarta partida teve que ser realizada. Na grande final do campeonato, o Brasil acabou batendo o Uruguai na prorrogação, com gol de Arthur Friendereich.

O jogo entre Brasil e Uruguai foi marcado por bastante ansiedade, e o governo chegou a decretar ponto facultativo nas repartições públicas no dia. O jogo estava marcado para as 14h mas às 9h torcedores já chegavam nas Laranjeiras. Cerca de 18 mil torcedores acompanharam a partida dentro do estádio mas muitos jornais da época diziam que pelo menos mais 10 mil pessoas viram do lado de fora.

Foto por: Arquivo JB

O estádio em seu auge

A primeira partida do Fluminense no Estádio das Laranjeiras foi na vitória por 4 a 1 sobre o Vila Isabel em 13 de julho de 1919, em partida válida pelo returno do Campeonato Carioca, com os gols tricolores tendo sido marcados por Welfare (3) e Machado.

Em 1922, o Estádio das Laranjeiras teve a sua capacidade aumentada para 25 mil espectadores, para sediar dois eventos de grande porte comemorativos do Centenário da Independência do Brasil: os Jogos Olímpicos Latino-Americanos (precursor dos Jogos Pan-Americanos) e o Campeonato Sul Americano de Seleções Nacionais daquele ano, também conquistado pela Seleção Brasileira. Este foi o segundo título internacional relevante da seleção canarinho.

Em duas das partidas, contra Chile e contra o Uruguai, o público foi calculado em 30 mil pessoas. Na final, o Brasil venceu o Paraguai por 3 a 0.

No dia 1º de outubro de 1922 foi realizada a primeira transmissão de uma partida de futebol por rádio da história do Uruguai. Direto de Laranjeiras foi transmitida para o país vizinho a partida entre as seleções nacionais do Brasil e do Uruguai, através de transmissões cabo gráficas, apontada também como a primeira transmissão de um jogo de futebol por uma estação de rádio no mundo.

Em alguns jogos o estádio teve público estimado maior que a sua capacidade, o recorde de público pagante foi na partida Fluminense 3 a 1 Flamengo, em 14 de junho de 1925, com 25.718 espectadores.

O Estádio de Laranjeiras recebeu iluminação artificial já em 21 de junho de 1928, inaugurada na partida disputada entre a Seleção Carioca de Futebol e o Motherwell Football Club, da Escócia.

Foto por: Arquivo do Clube

A demolição de parte das arquibancadas

No final da década de 1950, a administração carioca entrou em conflito com o clube por causa das obras de duplicação da Rua Pinheiro Machado, cujo novo traçado passaria pelo terreno do estádio. Em 1961, após dois anos de entendimentos iniciados com a Prefeitura do antigo Distrito Federal e, posteriormente com o Governo do então Estado da Guanabara, o Flu teve parte de seu terreno desapropriado, em uma faixa de terreno situada na Rua Pinheiro Machado, com a demolição parcial tendo ocorrido em 21 de dezembro de 1961

O Fluminense Football Club, pela desapropriação de uma área de 1.084,95 metros quadrados, recebeu a quantia em dinheiro de Cr$ 49.703.000,00 e mais as áreas remanescentes dos terrenos da esquina das Ruas Álvaro Chaves e Pinheiro Machado, no valor de Cr$ 31.355.000,00. Embora perdendo uma lateral de arquibancada, o Fluminense prestava novamente à cidade mais um serviço, embora com o sacrifício de seu próprio patrimônio.

Fluminense prestava novamente à cidade mais um serviço, embora com o sacrifício de seu próprio patrimônio| Foto: arquivo do Clube

O alçapão chamado Laranjeiras

O Fluminense disputou cerca de 842 jogos no estádio até 2003, e sempre manteve números extremamente positivos como mandante. São 533 vitórias, 156 empates e 153 derrotas. Dentro das Laranjeiras o Fluminense marcou o incrível número de 2.198 gols e sofreu apenas 1.042. O Tricolor ainda conquistou 12 títulos no estádio. O Fluminense jogando nas Laranjeiras sempre foi um time extremamente difícil de ser batido.

O século XXI

Após deixar de jogar partidas no Estádio, em 2003, o Fluminense viu seu patrimônio se deteriorar com o tempo. Atualmente o estádio não se enquadra em nenhum dos requisitos exigidos pelo estatuto do torcedor, e com isso, nenhuma partida do time profissional pode ser disputada nas Laranjeiras. Além disso, parte das arquibancadas populares está condenada.

É triste ver como o estádio está nos dias de hoje. Com as últimas chuvas ocorridas na capital fluminense, parte da cobertura das sociais desabou e deixou o Estádio numa situação ainda mais calamitosa.

Com o Centenário das Laranjeiras, um grupo formado por arquitetos e engenheiros tricolores apresentaram um projeto de restauração do Estádio à imprensa e aos presidenciáveis que disputarão a eleição para a direção do clube em junho. O projeto visa deixar o estádio em pleno estado de uso novamente, cumprindo todas as regras presentes no Estatuto do Torcedor. O grupo ainda busca realizar todas as obras de restauração com custo zero para o clube, usando as leis de incentivo de cultura e de esporte.

O projeto tem chances de restaurar a esperança de todo torcedor tricolor e brasileiro em geral, já que o atual estado das Laranjeiras não é ruim apenas para o Fluminense, mas sim para toda a história do futebol nacional. O estádio onde a Seleção Brasileira conquistou o seu primeiro título importante não pode e não deve ficar abandonado. A restauração das Laranjeiras não deveria ser uma prioridade de apenas alguns entusiastas tricolores, mas sim uma prioridade do clube e do Estado.

Projeto entregue a presidenciáveis prevê reforma e entrega do estádio aos torcedores | Foto por: Grupo Laranjeiras XXI

Como um clube que diz “Nós somos a História”, deixa o seu maior patrimônio histórico se deteriorar de tal forma? Cabe à diretoria tricolor buscar a todo custo reformar este templo onde o clube teve tantas glórias.

A história por trás das Laranjeiras jamais deveria ser perdida e para isso, o Clube tem a obrigação de tornar este campo um templo do futebol mais uma vez.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*