Lazio x Livorno: o clássico ideológico

Torcidas de Lazio e Livorno fazem um dérbi que ultrapassa as barreiras do jogo de futebol

Reprodução: http://www.dailymail.co.uk/

Existe um ditado que diz que futebol, política e religião não se discutem. Ao menos no Brasil, estas coisas, principalmente o futebol, andam relativamente separadas umas das outras. Na Itália, país do tradicional Calcio, duas torcidas de clubes de futebol roubam a cena e misturam os três componentes deste triângulo de discórdia. O tradicional Livorno e a grande Lazio travam uma rivalidade que excede os limites do futebol. De um lado, os fascistas, e de outro, os comunistas.

Reprodução: beyondthefieldonplay.com
(Foto: Reprodução/beyondthefieldonplay.com)

Livorno, na região da Toscana, é conhecida como a cidade símbolo da resistência ao regime fascista de Benito Mussolini. O Partido Comunista Italiano, por exemplo, foi fundado pelo marxista Antonio Gramsci na cidade. Historicamente, a maior parte dos moradores da cidade são de tendência esquerdista e com os torcedores do Livorno Calcio não poderia ser diferente.

Fundado em 1915 por trabalhadores portuários, o clube carrega desde sua fundação a fama de sua torcida. Bandeiras com a foice e martelo, faixas com o rosto de Che Guevara e cantos como “Bandiera Rossa”, a famosa canção do movimento operário italiano são tradição no Stadio Armando Picchi. O clube já revelou diversos jogadores de destaque como, por exemplo, Chiellini, Benascia e Lucarelli. Este último é um grande ídolo da equipe grená. Nascido na cidade de seu clube de coração, se destacou não só pelos gols marcados, como também pela postura extra campo. É um dos fundadores da torcida organizada do Livorno, e leva consigo a ideologia comunista. Certa vez, ao comemorar um gol pela seleção italiana sub-21, exibiu uma camisa de Che Guevara. Sofreu forte repreensão e nunca mais foi convocado pela Azurra.

Reprodução: http://holmesdale.proboards.com/thread/4550/lazio-irriducibili?page=10
(Foto: Reprodução/holmesdale.proboards.com)

No lado da Lazio, os fanáticos “Irriducibili” representam a extrema direita. Simpatizam com Benito Mussolini, ditador fascista. Nos jogos, exaltam as cruzes celtas e suásticas, símbolo do fascismo, e cantam “Duce! Duce!”, que significa “líder”, em referência a Mussolini. Em 1998, a torcida Biancocelesti, em uma atitude lamentável, exibiu uma faixa com a frase “Auschwitz vossa pátria, os fornos vossas casas!”. Por diversas vezes, faixas com frases de teor anti-judeus foram apreendidas. Assim como o Livorno, o time também já teve um representante de sua torcida em campo. Paolo Di Canio, ex-integrante da Curva Nord, repetiu um gesto fascista após marcar um gol. Foi suspenso por um jogo e multado em 10 mil euros. Vale lembrar que fora da Curva Nord, boa parte da torcida da Lazio não apoia ideologias fascistas. Inclusive, existe uma torcida organizada que busca acabar com esta fama negativa que o clube tem pelo mundo, a “Dissindenti”.

Reprodução: http://espn.uol.com.br/
(Foto: Reprodução/ESPN)

Atualmente, o Livorno disputa a Série B italiana e segue buscando seu espaço para voltar a brigar na Serie A. Já a Lazio segue na luta pelo protagonismo no continente, sempre brigando por uma vaga na Uefa Champions League.

 

Texto: Tobias Fernandes

25 Comentários em Lazio x Livorno: o clássico ideológico

  1. Parabéns pela reportagem! Só uma correção: o Livorno está (lamentavelmente) na “Lega Pro”, o que poderia ser comparado a uma série C… Abraços. AVANTI, AMARANTO!!!

  2. O que o lider(Hitler) do Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães e consequentemente lider do Terceiro Reich tem a dizer:

    “Nós somos socialistas, nós somos inimigos do atual sistema econômico capitalista para a exploração dos economicamente fracos, com seus salários injustos, com sua indecorosa avaliação do ser humano de acordo com a riqueza e a propriedade em vez de sua responsabilidade e desempenho, e nós estamos todos determinados a destruir esse sistema sob todas as condições.”

    Comparar isso com o discurso conservador da extrema direita é no mínimo desconhecimento ou desonestidade intelectual dos nossos professores de história.

    • Que idiotice, que ignorância! Falta uma interpretação de texto e umas aulas de história, mas tudo bem, eu lhe ajudo: Dizer que é inimigo do atual sistema econômico capitalista é diferente de dizer que é contra o capitalismo em si. O “Socialista” do “Nacional Socialismo” é porque a economia é controlada pelo Estado, apenas isso. As iniciativas privadas continuavam a existir, e a exploração aos oprimidos também (Hitler faz questão de usar o termo “socialismo” pois crê que este termo foi deturpado por Marx – um judeu). Vou te falar uma coisa bem básica entre nós que temos um mínimo de estudo e buscamos entender as coisas: O fascismo também é um movimento operário, ele busca sustento nas massas. Dizer que vai ser contra a exploração dos economicamente fracos é simplesmente buscar o apoio da massa de manobra.
      Se ainda existe propriedade privada, iniciativa privada, desigualdade social, classes sociais, por que tem gente que insiste em comparar o nazismo com o socialismo? Isso é no mínimo desconhecimento ou desonestidade intelectual da sua parte.
      PS: ele basicamente usa o discurso “nós somos inimigos do atual sistema econômico capitalista para a exploração dos economicamente fracos” para legitimar o holocausto e o ódio aos judeus, pois a alemanha estava na merda, ou seja, todos eram economicamente fracos, com exceção das famílias judias (no geral, claro), que historicamente, foram condicionadas ao manejo com o dinheiro (os cristãos obrigaram os judeus a mexer com dinheiro, pois era pecado; aliás, que obrigação, horrível, nao? kk).
      Você provavelmente não vai voltar pra ler, assim como eu provavelmente não volte, mas caso você volte pra ler, que leia com carinho e pare de comparar o socialismo com o nazismo, são coisas completamente diferentes.

      • Boa análise Vicente. A história conta que o nome do partido que Hitller entrou e ascendeu ao poder, nada tinha de socialista e não era efetivamente um partido de trabalhadores. Eram populares insatisfeitos com o governo da época, mas não de esquerda. Somente oposição.O seu líder que se tornaria um dos piores ditadores da história mundial odiava marxistas e comunistas, principalmente os russos.
        Fala que o nazismo é de esquerda, ou é ingenuidade ou mau caratismo.

    • Vicente, seu comentário é infeliz por ser fruto de um desconhecimento histórico, essas suas palavras são anacronicas e fruto de vc parece nao saber trabalhar os fundamentos necessarios para trabalhar a historia. Comunistas em regimes fascistas são os primeiros a serem perseguidos (Alemanha, Italia, Ditaduras na América Latina, Espanha de Franco, atualmente na Turquia…), e Hitler msm em entrevista, já declarava como era a interpretação dele de socialismo e o quanto ele desprezava o marxismo. Veja com seus proprios olhos.
      Ps: Segue em anexo a fonte
      http://www.tirodeletra.com.br/entrevistas/AdolfHitler.htm

      “Nenhum homem saudável é marxista”

      “Temos que extirpar o tumor do marxismo. O marxismo e o germanismo são antíteses. Nos meus planos para o Estado alemão, não haverá lugar para os estrangeiros, os perdulários, os usurários, os especuladores ou qualquer um que não seja capaz de fazer um trabalho produtivo.”

      “O marxismo não é o socialismo. Os marxistas roubaram o termo e confundiram seu significado. Vou tirar o socialismo dos socialistas. O socialismo é uma antiga instituição ariana e alemã. Nossos ancestrais alemães tinham algumas terras em comum. Cultivavam a idéia do bem-estar geral. O marxismo não tem direito de se disfarçar de socialismo. O socialismo, diferentemente do marxismo, não repudia a propriedade privada. Diferentemente do marxismo, ele não envolve a negação da personalidade e é patriótico. Poderíamos ter chamado nosso partido de Partido Liberal. Preferimos chamá-lo de Nacional-Socialista. Não somos internacionalistas. Nosso socialismo é nacional. Exigimos o atendimento das justas reivindicações das classes produtivas pelo Estado com base na solidariedade racial. Para nós, o Estado e a raça são um só.”

      http://www.tirodeletra.com.br/entrevistas/AdolfHitler.htm

  3. Viva o Livorno! Não deveria haver espaço para o fascimo no futebol. Fascismo não se discute, se destrói. Tem muita gente precisando se informar.

    • Para de passar vergonha, Olavete. Anarquismo combate o capital, o estado e o capitalismo desde sempre. Leia QUALQUER obra anarquista, converse com QUALQUER anarquista ou visite QUALQUER coletivo anarquista. A extrema-direita é de longe o nosso maior inimigo! Não nos consideramos de extrema esquerda pois estamos ainda mais a esquerda do que eles.
      Brasil é o único local do mundo que algum imbecil disse que fascismo/nazismo não é de direita e os outros imbecis acreditaram

      • A décadas perdemos e continuamos perdendo diversos companheiros na pista lutando contra os fascistas da extrema esquerda pra aparecer um lixo pseudo-politizado de Facebook e falar uma merda dessas. Dica: nunca apareça no ABC com esse seu papinho de analfabeto político porque alguém vai te cobrar. Ou nós, por sermos ofendidos sendo chamados de direitistas, ou eles, por se sentirem ofendidos sendo chamados de esquerdistas.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*