MOG 3×1 YPI – Em partida com dois pênaltis, Mogi Mirim leva a melhor sobre o Ypiranga e chega ao G4

Com a vitória, Mogi chega ao terceiro lugar. O Ypiranga continua sem vencer fora de casa na série C

Com pouco público, Mogi Mirim bateu o Ypiranga e voltou ao G4 (Foto: Marcelo Gotti/EC Mogi Mirim)

O Mogi Mirim derrotou o Ypiranga na tarde deste sábado (2), no estádio Vail Chaves, em Mogi Mirim (SP), pela sétima rodada da Série C do Brasileirão. O placar de 3 a 1 elevou o time paulista ao terceiro lugar, no G4 do grupo B. Com mais uma derrota fora de casa, o clube gaúcho caiu uma posição e é o quarto.

O jogo começou com os visitantes no ataque. A equipe de Leocir Dall’Astra apostava em lançamentos para Túlio Renan, mas a defesa do adversário levava vantagem. O Mogi teve uma chance em bola alçada na área, mas Léo estava lá para ajudar a defesa do Canarinho. O Ypiranga quase abriu o placar aos 15 minutos, em escanteio cobrado por Danilinho, mas a cabeçada de João Paulo foi para fora. O time de Erechim tinha maior posse de bola e pressionava os donos da casa.

Aos 18, um fato curioso. O árbitro Alinor Silva da Paixão pediu que o goleiro Gustavo, do Mogi Mirim, tire o boné, pois o mesmo continha uma propaganda, algo proibido pela CBF. Os dois times tentavam lançamentos e chutes de longa distância, sem levar perigo aos goleiros.

Aos 37, Túlio Renan teve grande chance em frente ao goleiro Gustavo, mas errou o alvo. Aos 40, Mikael entrou na área e cruzou, Léo não alcançou e Negretti marcou para o Ypiranga: 1 a 0. Já nos acréscimos da primeira etapa, Carlinhos foi derrubado por Robson dentro da área. Pênalti para o Mogi Mirim. Por reclamação, o goleiro Carlão levou cartão amarelo. Diego Clementino bateu forte e empatou o jogo para o Mogi.

No segundo tempo, mais um pênalti para a equipe mandante. Aos 12, Diego Clementino fez boa jogada pelo lado esquerdo e cruzou. Carlão desviou e a bola ficou com Roni, que foi derrubado dentro da área. Autor do pênalti, Gustavo foi expulso. Diego Clementino cobrou e Carlão defendeu. No rebote, Bruno Ré mandou a bola para dentro do gol. Era a virada do Mogi Mirim. Atrás no placar e com um jogador a menos, o Ypiranga estava nervoso. Aos 17, o Canarinho quase empatou em cobrança de falta de Danilinho. O Mogi Mirim apostava nos contra-ataques em velocidade. Aos 29, o Mogi Mirim chegou ao terceiro gol. Matheus Ortigoza, que havia entrado apenas nove minutos antes, tocou por cima de Carlão e marcou um belo gol. O Ypiranga ainda tentou diminuir a vantagem no placar em finalização de Robson, mas Gustavo salvou. O time da casa, com vantagem no placar e no número de jogadores, administrava o jogo, enquanto a torcida gritava olé.

Aos 49, o árbitro encerrou o jogo. O Mogi Mirim, que antes havia marcado apenas quatro gols na competição, chega a sete. O Ypiranga, invicto jogando em casa continua sem vencer fora – tem a segunda pior defesa da competição, com 14 gols sofridos. Ao fim do jogo, Leocir Dall’Astra reclamou da arbitragem: “sempre somos prejudicados em São Paulo”. O presidente do Ypiranga, Luiz Felipe De Marchi, também falou: “O juiz inventou um pênalti”, desabafou o dirigente.

Na próxima rodada o Ypiranga recebe o Boa Esporte no Colosso da Lagoa, e tenta manter a invencibilidade em casa. A partida será disputada no domingo (10), às 16h. O Mogi Mirim enfrenta o líder Guarani, também em casa, na segunda-feira (11), às 19h15.

            

FICHA TÉCNICA
MOGI MIRIM 3×1 YPIRANGA

Local: Estádio Vail Chaves, em Mogi Mirim (SP)
Data: 2 de julho de 2016
Horário: 15h30
Árbitro: Alinor Silva da Paixao (MT)
Auxiliares: Marcelo Grando (MT) e Adilson Rodrigo dos Santos (MT)
Cartões amarelos: Gladstone, Roni e Romarinho (MOG), Carlão e Claudinho (YPI)
Cartão vermelho: Gustavo (YPI)
Gols: Negretti (YPI), Diego Clementino, Bruno Ré e Matheus Ortigoza (MOG)

MOGI MIRIM: Gustavo; Romarinho, Henrique Motta, Gladstone e Bruno Ré; Alan Mota, Neto Paulista e Carlinhos; Edmar (Keké), Diego Clementino e Roni (Matheus Ortigoza).
Técnico: Leston Junior

YPIRANGA: Carlão; Marcio, Negretti, Gustavo e Sander; Mikael, Robston e Danilinho (Henrique); Túlio Renan (Raphael Alemão), Léo e João Paulo (Claudinho).
Técnico: Leocir Dall’Astra.

Público: 293 pagantes
Renda: R$ 4.665,00

 

Texto: André Luiz Betto

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*