O Caminho da Libertadores: Chapecoense

Equipe se reestrutura e começa tudo do zero para a Libertadores (foto: Divulgação / ACF)
Por: Cristóvão Vieira, SC

Não há maneira mais nobre para se reerguer do que sacudir a poeira e combater o bom combate. É dessa maneira que a Chapecoense quer dar seus primeiros passos para a recuperação da maior tragédia esportiva do mundo e também para a sua inédita participação na amada Copa Libertadores da América. Atual campeão da Copa Sul-Americana, o Verdão do Oeste contará com uma nova geração de atletas que já chegam com grande responsabilidade. Apesar de não ser favorito na competição a qual debuta, o clube se tornou o segundo time de muitas pessoas ao redor do mundo, portanto, espera-se, no mínimo, uma representação digna dentro de campo.

Os reforços chegam a granel. Nos últimos dias, onze atletas foram oficialmente apresentados: Arthur, Andrei Girotto, Amaral, Diego Renan, Douglas Grolli, Elias, Fabrício Bruno, Lucas Marques, Luiz Otávio, Niltinho, Otávio e Zeballos. Além destes nomes, há atletas que já estão apalavradas com o clube, caso do atacante Wellington Paulista, mas que ainda não foram apresentados oficialmente. Existem, ainda, as especulações e as tentativas de contratação do clube catarinense. São casos como o do goleiro Artur Moraes, ex-Roma e Benfica, além do zagueiro Victor Ramos, do Vitória, aquele da polêmica com o Internacional, que buscou recurso para acusar irregularidade do atleta no Brasileirão.

Um grupo de atletas que foi promovido da base também completa o elenco. Todos sob o comando de Vagner Mancini, que apesar de ter treinado mais de dez equipes diferentes em sua carreira de quase 20 anos como ‘tio da prancheta’, enfrenta o maior desafio de sua carreira.

Douglas Grolli, zagueiro emprestado pelo Cruzeiro, defenderá a Chape este ano (foto: Divulgação / ACF)
Douglas Grolli, zagueiro emprestado pelo Cruzeiro, defenderá a Chape este ano (Foto: Divulgação / ACF)

O grupo da Chape

Nem grupo da morte, mas também nada de vida fácil. A Chape terá pela frente o tricampeão da Libertadores Nacional do Uruguai, o campeão da Sul-Americana de 2013 Lanús, da Argentina, e o caçula e estreante venezuelano Zulia. Como campeão da ‘Sula’, o Verdão entrou diretamente na fase de grupos e aguarda sua estreia no dia 7 de março. O histórico primeiro jogo da Chapecoense em uma Libertadores será justamente contra outro inexperiente na competição, o Zulia. A apresentação na amada Arena Condá será no dia 16 de março, contra o Lanús.

Já no dia 18 de abril, fecha-se o turno contra o Nacional, na Arena. O returno começa para a Chape no dia 25 de abril contra o Nacional no Uruguai, segue no dia 17 de maio na Argentina contra o Lanús e termina a fase de grupos em casa contra o Zulia.

Vagner Mancini vai ter que segurar o rojão na Chapecoense (foto: Divulgação / ACF)
Vagner Mancini vai ter que segurar o rojão na Chapecoense (foto: Divulgação / ACF)

Club Atlético Lanús

A recente ascensão do Lanús no território argentino e internacional transforma a equipe na favorita a passar como líder pelo grupo. A equipe é a atual campeã do ‘Argentinão’, da Copa Bicentenário de 2016,  além de ter faturado a Sul-Americana em 2013. A principal arma do clube é o ataque. Não a toa, derrotou o San Lorenzo na grande final do Campeonato Argentino por sonoros 4 a 0. Destaque para o atacante José Sand, que marcou na finalíssima e terminou como artilheiro da competição com 15 gols.

Club Nacional de Football

Praticamente hegemônico em território uruguaio, o Nacional vive de passado quando o assunto é competição continental. Seus três títulos de Libertadores (1971, 1980 e 1988) foram conquistados há décadas. Em 2016, o clube chegou até às quartas de final da competição, mas foi eliminado pelo Boca Juniors. Atualmente o clube é o campeão do Uruguaio, com impressionantes 11 vitórias em 15 jogos. Os nomes que a Chape precisa estudar são Sebástian Fernandez, atacante que disputou a Copa do Mundo pelo Uruguai em 2010, e o jovem lateral Alfonso Espino, que defende o clube de maneira profissional desde os 20 anos e sabe os caminhos da ala. Recentemente, portais da internet especularam a ida de Ronaldinho, ‘o bruxo’, para o time uruguaio.

 Sebástian Fernandez disputou a Copa do Mundo de 2010 pelo Uruguai (foto: Divulgação / AUF)
Sebástian Fernandez disputou a Copa do Mundo de 2010 pelo Uruguai (Foto: Divulgação / AUF)

Zulia Fútbol Club  

O Zulia é um time venezuelano que recém completou dez anos. Sua fundação data do dia 17 de agosto de 2006. A equipe começou a jogar o Campeonato Venezuelano Segunda Divisão B da temporada 2006/07, ascendeu para a Segunda Divisão na 07/08 e, finalmente, chegou à divisão principal na competição na temporada 08/09. Já no ano passado, o Zulia foi vice-campeão nacional, perdendo o título para o Zamora. Seu elenco é totalmente desconhecido no cenário internacional do futebol, no entanto foram preservados muitos dos atletas vice-campeões nacionais que terão, a maioria deles, o gostinho de jogar uma competição continental pela primeira vez.

 Zulia é novato e completou 10 anos no último mês de agosto (foto: Divulgação / ZFC)
Zulia é novato e completou 10 anos no último mês de agosto (foto: Divulgação / ZFC)
Fontes: GloboEsporte, ESPN, DC

10 Comentários em O Caminho da Libertadores: Chapecoense

  1. Bernardo tu não conhece mesmo a Chapecoense, aguarde os campeonatos, e preste bem atenção nos nomes que citou, aqui eles jogam, simples assim. Chapecoense vem seguindo a mesma filosofia, aliás, time que está ganhando não se mexe.

  2. só tira uma dúvida, vão pagar na bola aquela série B catarinense ? pq no dinheiro foi pago para o ibirama, se quer recomeçar …faz o certo e joga a B do catarinense.

  3. Na minha humildíssima opinião a diretoria da Chape está errando em alguns pontos. Primeiro, estão montando um time recheado de refugos. Se você observar até agora não teve um jogador de renome contratado para realmente diferenciar o grupo. Segundo, deveria aproveitar o momento, a exposição para buscar patrocinadores de peso para a camisa. Tem o prêmio da Sulamericana que poderia ser melhor aproveitado para contratações de peso.

    • quanto aos refugos, de fato alguns são, mas outros não.. o Grolli fez um otimo campeonato pela ponte, era dado como reforço para o cruzeiro e foi reemprestado para a chape.. mesmo com as receitas em alta davido a premios e patrocinadores a nova diretoria preferiu manter o pé no chão e manter a filosofia que vinha dado certo.. tomara que de e que a chape volte com tudo..

    • Isso é pq tu não acompanha a chape… Aqui não se contrata jogadores renomados, mas sim jogadores com potencial, que possuem qualidade mas não conseguiram demonstrar todo o potencial em alguns times, é uma caracteristica própria e até agora deu certo.

      • Wellington Paulista seria um dos “jogadores com potencial, que possuem qualidade mas não conseguiram demonstrar todo o potencial em alguns times”? Acho que você está redondamente enganado. Martinuccio? Túlio de Melo? Amaral? Fabrício Bruno?

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*