O Caminho da Libertadores: Grêmio

Em busca do tão sonhado tri, Tricolor gaúcho estreará na competição no início de março e terá “zebras” pela frente

(Foto: Rodrigo Rodrigues/ Grêmio FBPA)
Por: Jean Costa, RS

Caros leitores, amigos tricolores, confrades de todas as partes. A operação “Soy loco por tri América” está desenhada para o Grêmio. O sorteio realizado no dia 21 de dezembro, no Paraguai, definiu o caminho que o clube irá percorrer durante a fase de grupos. Cabeça de chave do Grupo 8, os gaúchos terão pela frente três equipes sem tanta tradição, que você, caro amigo, pode até considerar como fracos, mas cuidado. Não é porque uma equipe tem pouco nome ou a já dita tradição que desmerecem precaução.

A estreia gremista na competição será diante do Zamora, fora de casa, em 9 de março. Na rodada seguinte, o tricolor encara na Arena, os chilenos do Iquique, em 11 de abril. O turno se encerra contra o Guarani, no Paraguai. Devido ao espelhamento na tabela da competição, enfrenta no returno Guarani, na Arena, Iquique, no Chile, e Zamora, em casa.

Até o momento Grêmio fez duas contratações, mas conta com a recuperação de Bolaños como ponto chave para a Libertadores (foto: Reprodução/Roberto Vinicius)
Até o momento Grêmio fez duas contratações, mas conta com a recuperação de Bolaños como ponto chave para a Libertadores (Foto: Reprodução/Roberto Vinicius)

Se por um lado o Grêmio não enfrentaria nenhum adversário na altitude, a situação acabou por ter mudanças. O Iquique derrubou seu estádio e está a busca de lugar para sediar seus jogos. A tendência é que jogue em Calama, a qual possui altitude. Já o Zamora não joga em região elevada, por outro lado, terá de fazer viagens longas, especialmente para a Venezuela. Por isso, desde então, o departamento de logística do tricolor gaúcho já prepara estratégias para diminuir as viagens.

Somados os três jogos fora de cada na fase de grupos, o Grêmio irá viajar cerca de 7.762 quilômetros e totalizando 15.524 quilômetros entre ida e volta. Na Libertadores passada, quando precisou ir até o México para enfrentar o Toluca, além de viagens para Buenos Aires e Quito, o tricolor viajou quase 26 mil quilômetros entre ida e volta.

Os adversários do tricolor

Zamora                                                         

Los blanquinegros ou La Furia Llanera como são chamados, conquistaram três dos últimos 5 campeonatos venezuelanos (2012-2013, 2013-2014 e 2016). Conquistas essas que fizeram com que o clube fosse considerado o principal do país na atualidade. A equipe manda seus jogos no Estadio Agustín Tovar, conhecido como La Carollina, tendo capacidade para 28.000 pessoas. O estádio é localizado na cidade de Barinas, que fica a 4.753 quilômetros de Porto Alegre. Deslocamento esse que será o único grande por parte do Tricolor gaúcho.

Equipe venezuelana nunca venceu equipes brasileiras, foram 4 jogos e 4 derrotas para Atlético-MG e Fluminense (Foto: reprodução/Zamorafc.com)
Equipe venezuelana nunca venceu equipes brasileiras, foram 4 jogos e 4 derrotas para Atlético-MG e Fluminense (Foto: reprodução/Zamorafc.com)

A equipe é comandada por Francesco Stifano, técnico que renovou recentemente até 2018 no clube. Com apenas 37 anos, é tratado como uma das principais promessas do país para a função e já conta com dois títulos nacionais no currículo, tanto que substituiu Noel Sanvicente, que atualmente é o treinador da seleção nacional.

O Zamora sofreu perdas no elenco. Richard Blanco e o meia Yeferson Soteldo, seus principais destaques não estão mais no clube. O goleiro Curiel, o zagueiro Peraza e o atacante Blondell também fazem parte do pacote que se despediu da equipe venezuelana. Mas por outro lado, foram anunciados 8 reforços para a temporada: para a defesa vieram o goleiro Alexis Angulo, os zagueiros Ignácio González e Javier Maldonado, além do lateral-esquerdo Mayker González. Nelson Pérez, Reimond Manco e Diego García reforçam o meio-campo. Já no ataque, o reforço foi Anthony Uribe.

9/3 (quinta) – Zamora x Grêmio – 19h30min                                                  
25/5 (quinta) – Grêmio x Zamora – 21h45min                        

Deportes Iquique

O Club Deportes Iquique é considerado um time em ascensão no futebol chileno. No último campeonato nacional foi vice-campeão, atrás apenas da Universidad Católica. Os Dragones Celestes se encontram na Tierra dos Campeones, a qual se tornou a alcunha do estádio, que tem capacidade para apenas 12.000 pessoas, mas há um porém. O clube derrubou sua casa para a construção de uma nova, o Estádio Zorros Del Desierto foi solicitado para mandar sua partida. Localizado na cidade de Calama, é a sede do Cobreloa e está a 2,2 mil metros acima do nível do mar. De fato é uma altitude leve, mas devido ao clima seco da região, pode criar dificuldades para o Grêmio. A ida para o Chile exigirá um deslocamento de no mínimo 2.187 quilômetros, só que com à mudança de mando de campo da equipe chilena, o caminho tende a aumentar pouca coisa.

Em ascensão no futebol chileno, o Deportes Iquique agora busca espaço na maior competição da América (Foto: Reprodução/Agência Uno)
Em ascensão no futebol chileno, o Deportes Iquique agora busca espaço na maior competição da América (Foto: Reprodução/Agência Uno)

O ex-jogador da seleção chilena, Jaime Vera, de 53 anos, é o técnico da equipe. Os destaques ficam para a dupla de meias argentinos Luis Bustamante e Diego Torres. O time conta com jogadores experientes, como o volante uruguaio Mathías Riquero, de 34 anos e o camisa 10 Manuel Villalobos, de 36. No ataque, quem levará perigo a defesa Tricolor é Álvaro Ramos, 24 anos, baixinho de velocidade que também tem afeição ao gol. O time já disputou a Libertadores, o ano foi 2013, onde não passou da fase de grupos. Terminou a competição com uma vitória, dois empates e 5 derrotas, com 7 gols marcados e 15 sofridos.

11/4 (terça) – Grêmio x Iquique – 21h45min
3/5 (quarta) – Iquique x Grêmio – 19h30min

Guaraní

Entre os adversários pouco tradicionais, o Grêmio terá um velho conhecido pelo caminho. O Tricolor e o El Cacique já se enfrentaram já se enfrentaram na Libertadores de 1997. Os duelos em questão foram pelas oitavas de final e o Grêmio não teve vida fácil diante dos paraguaios. O primeiro duelo terminou com vitória paraguaia em Assunção. 2 a 1, dois gols de Hugo Ovelar para o Guaraní e de André Silva para os gaúchos. Na volta, o resultado se repetiu, mas dessa vez para a equipe Gaúcha. Paulo Nunes e Rodrigo Gral marcaram para o time da casa e Ovelar mais uma vez marcou o tento do adversário. Nos penais deu Grêmio e curiosamente mais uma vez por 2 a 1.

Em 2015, o Guaraní foi semifinalista da competição. Foi carrasco do Corinthians ao eliminar o clube paulista nas oitavas de final e vencendo as duas partidas. A equipe foi menosprezada pelo adversário e acabou reensinando uma lição valiosa para os corintianos: “não existe mais bobo no futebol”. Nas quartas de final o adversário também era time grande, o argentino Racing de Bou e Milito era favorito, mas o El Cacique acabou se classificando pelo placar agregado de 1 a 0. Já na semi, o River Plate era o rival da vez, os paraguaios fizeram bons jogos, mas sucumbiram para o futuro campeão da competição.

Na Libertadores de 2016 a equipe paraguaia foi eliminada na primeira fase pelo vice-campeão Del Valle (Foto: Vinnicius Silva/Futebol de Minas)
Na Libertadores de 2016 a equipe paraguaia foi eliminada na primeira fase pelo vice-campeão Del Valle (Foto: Vinnicius Silva/Futebol de Minas)

O El Cacique é o atual campeão paraguaio e tem como maior destaque o meia Nestor Camacho, aquele mesmo que passou pelo Avaí e teve passagem apagada. O meia tem 29 anos e na temporada passada marcou 18 tentos em 43 partidas. A equipe comandada pelo argentino Daniel Garnero conta com jogadores com rodados, o atacante uruguaio Rodrigo López foi campeão com o Olímpia em 2002. Apesar da idade, 38 anos, o faro de gol segue vivo, foram 11 gols em 36 jogos no ano passado. Outro veterano e velho conhecido dos torcedores do Atlético Mineiro é o zagueiro Júlio Cáceres, o xerife paraguaio atualmente tem 37 anos e é capitão da equipe.

O clube joga no estádio Rogelio Livieres, mas a pouca capacidade, 8.000, faz com que mande seus jogos no Defensores del Chaco. A viagem para Assunção é a mais curta que o Tricolor fará na fase de grupos. São cerca de 820 km da Capital gaúcha até o local do confronto.

20/4 (quinta) – Guaraní x Grêmio – 21h45min
27/4 (quinta) – Grêmio x Guaraní – 21h45min

Os adversários podem até não representar perigo na teoria, mas na prática tudo muda. O Grêmio e principalmente Renato Portaluppi precisam aprender a não menosprezar os rivais, assim como Corinthians fez com os paraguaios e como Renato já fez antigamente. O presidente tricolor foi grande ao pregar respeito, agora cabe ao Tricolor mostrar a força da camisa que tem e provar o favoritismo em campo para não ter problemas com zebras na fase de grupos.

Fontes: Rádio Cultura Foz, Grêmio.net, Globoesporte.com, Zero Hora e Lance.com

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*