O Campeão do Interior de Minas Gerais

Mesmo com poucos recursos, o futebol do interior de Minas tem muita história

O campeão do interior de 1997: O histórico Vila Nova (foto: site oficial/reprodução)
Por: Lucas Poeiras, MG

O primeiro semestre do futebol é marcado pela disputa dos campeonatos estaduais. O tradicional Campeonato Mineiro de Futebol organizado pela FMF (Federação Mineira de Futebol) é disputado por 12 clubes do estado no seu módulo 1 (considerada a elite do futebol local) e por 12 clubes no módulo 2 (considerada a divisão de acesso).

Após a primeira fase que consiste em nove rodadas, os quatro primeiros colocados avançam para a fase semifinal no formato mata-mata. Os maiores campeões Atlético-MG (43 títulos) e Cruzeiro (36 títulos) se enfrentarão hoje e no dia 6 de maio para decidir o campeão da jornada esportiva de 2017. O estadual possui esses dois protagonistas no cenário nacional e do futebol local.

As outras duas vagas de 2017 foram disputadas por equipes do interior do estado, com exceção do América-MG que reside na capital mineira. Estes clubes dos extremos do estado não possuem investimentos massivos em infraestrutura nem folhas salariais extensas como as de Galo, Raposa e Coelho. Suas histórias são bem diferentes, e muitos desses times não conseguem manter elencos para os dias após o fim do campeonato estadual.

A taça de 2017 (foto: Globo Esporte/Reprodução)
A taça de 2017 (foto: Globo Esporte/Reprodução)

O campeão que não é campeão?

O fim da primeira fase traz um título simbólico mas muito interessante: o campeão do interior. O clube residente fora da capital Belo Horizonte que obtiver a melhor campanha recebe a alcunha. O feito é louvável pois chegar a uma fase de mata-mata como protagonista do futebol mineiro é algo que poucos clubes na história conseguiram. Os que avançam à final são ainda mais surpreendentes devido à grande qualidade dos clubes da capital.

Os clubes amatutados encerraram suas participações no Mineiro de 2017. O coroado este ano é a U.R.T., clube da capital nacional do milho: a cidade do triângulo mineiro de Patos de Minas. A União Recreativa dos Trabalhadores ou URT foi fundada em 1939 muito tradicional na região e já foi bi-campeã da Taça Minas Gerais em 1999 e 2000.

A situação financeira do clube é muito mais modesta que os concorrentes da capital. O feito da equipe teve uma campanha de 11 jogos, 5 vitórias, 4 empates e 2 derrotas com saldo de gols de +3. O mesmo aproveitamento do América-MG de 56.7%. Classificada para semifinal, a URT disputou contra o Atlético e empatou o primeiro jogo por 1 x 1 e perdeu o segundo por 3 x 0.

URT e seu elenco para o mineiro de 2017 (Foto: Divulgação/URT)
URT e seu elenco para o mineiro de 2017 (Foto: Divulgação/URT)

Campeões do interior inesquecíveis

Caldense (2015) 

A Caldense pode se orgulhar do seu ano de 2015. No campeonato estadual fez um campanha absolutamente brilhante. O time, em 11 jogos, venceu 7 e empatou 4, e terminou em primeiro lugar de forma invicta e com uma defesa que sofreu apenas 4 gols. Os grandes destaques foram os atacantes Cristiano, com 6 gols, e Luiz Eduardo, com 8 gols. Na final, enfrentou o Atlético-MG em um jogo eletrizante, mas sucumbiu à força ofensiva do Galo em um jogo que terminou em 2 a 1.

A vice campeã Caldense (Foto: Gazata Press/Reprodução)
A vice campeã Caldense (Foto: Gazata Press/Reprodução)

Ipatinga (2005)

O Ipatingão foi campeão do interior e do campeonato mineiro em 2005 e escreveu seu nome na história. Apesar do clube não existir mais com esse nome,  a campanha incrível levou o time ao segundo lugar na primeira fase (atrás do Cruzeiro). Nas semifinais, bateu URT. Na final, a própria Raposa, em pleno estádio Mineirão. O time foi comandado pelo então desconhecido Ney Franco. Uma história surpreendente e muito festejada no Vale do Aço.

A foto histórica do Ipatingão de 2005 ( Foto: Uol Esportes/reprodução)
A foto histórica do Ipatingão de 2005 ( Foto: Uol Esportes/reprodução)

Vila Nova (1997) 

O Leão do Bonfim foi a zebra da década de 1990 no futebol mineiro. Quando o novo formato mais enxuto veio à tona no fim da década, o Vila surpreendeu em 97. O time comandado por Luciano Paschoal bateu o Atlético nas quartas de final, o Social nas semifinais e ainda venceu o primeiro jogo por 2 a 1 contra o Cruzeiro em Nova Lima. No segundo jogo, perdeu por 1 a 0 e a Raposa sagrou-se campeã pelos critério de desempate.

O que significa para o futebol o “Campeão do Interior”? 

O futebol ao longo dos anos foi recebendo cada vez mais injeção de recursos. O título de Campeão do Interior é também um título de resistência do futebol tradicional. O esporte cada vez mais mercantilizado faz com que os atletas de divisões inferiores sejam marginalizados perante as grandes potências do futebol. Equipes importantes para a história mineira, como Vila Nova e a Caldense, não conseguiram se manter com alto rendimento como antigamente.

Exaltar essas histórias é necessário para que estes heróis de cidades não tão badalas não sejam esquecidos. As agremiações mineiras possuem muita história, e por isso o título de vencedor do interior torna-se necessário para a continuidade destas paixões locais.

Confrade mineiro e de todo Brasil, comente no post seu campeão do interior favorito!

Fontes: Federação Mineira de Futebol , Globo EsporteGlobo Esporte , Uol Esporte

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*