O “Carrasco” Sérgio Alves: Onde está o craque?

O eterno Carrasco

Sérgio Alves (Foto: Reprodução/ Blog Terceiro Tempo)

Sérgio Alves ou “Carrasco”, como preferir, era a síntese dos grandes atacantes que marcaram o futebol brasileiro na década de 90 e início dos anos 2000. Atacante matador, daqueles que cheirava a gol, dono de uma grande classe, de língua afiada e grande ídolo de duas torcidas (Ceará e ABC). Foi o tipo de jogador capaz de fazer um estádio lotado aplaudi-lo com a camisa do time adversário, fato que ocorreu na partida entre Ceará e Bahia na Série B, de 2002, em Fortaleza.

O atacante se destacou pelos gols marcados, sem dúvida alguma, mas o grande destaque ficou por conta das 23 vezes em que o ex-jogador balançou as redes contra a equipe do Fortaleza, maior rival do Vovô. Foi esta marca que lhe rendeu o apelido de Carrasco. Na equipe potiguar, continuou com a alcunha por marcar muitos gols no América-RN, maior rival do ABC.

Nascido em 1970, Sérgio Alves iniciou a carreira no Sport-PE, em 1990, mas se firmaria no futebol somente em 1992, atuando pelo Central de Caruaru-PE, e sendo o destaque do time na campanha do estadual pernambucano do mesmo ano, gerando o interesse do clube que mais teria identificação na sua carreira: o Ceará.

O jovem Sérgio Alves chegava ao Ceará em 1992 (Reprodução/ cearasc.com)
O jovem Sérgio Alves chegava ao Ceará em 1992 (Reprodução/ cearasc.com)

O que viria depois dessa contratação seria a melhor campanha do Alvinegro na Copa do Brasil (em 1994), parando somente na final para o Grêmio no Estádio Olímpico. No referido jogo, Sérgio Alves peitou o árbitro Oscar Roberto de Godoy pela não marcação de um pênalti claro em que rasgaram sua camisa nos últimos minutos da partida. Foi expulso e a campanha do time ficou marcada pela lembrança do “e se o Godoy tivesse marcado aquela penalidade?”.

Outro grande momento de Sérgio Alves foi a Série B de 2001, onde ele se sagrou o artilheiro da competição pelo Ceará e obteve o título de maior goleador do país naquele ano (41 gols naquela temporada). Se hoje o futebol é marcado pelos trios MSN e BBC, o futebol brasileiro já teve diversos desses personagens nas décadas passadas. Junto com Iarley e Mota, formou um ataque inesquecível para os amantes do bom futebol, principalmente para o torcedor alvinegro. O registro desta lembrança está aí, a melhor parceria de ataque que o Carrasco já teve, a do Vovô da Série B de 2001: https://www.youtube.com/watch?v=u6q5nPKCn64 .

Sérgio Alves ficou até 1997 no Ceará na sua primeira passagem pelo clube (retornando mais 4 vezes a equipe), depois disso virou um andarilho do futebol. Atuou em 16 clubes durante sua carreira, obtendo seu melhor momento (depois de Ceará e ABC) no Bahia pelo Nordestão de 2002. Aposentou-se dos gramados aos 40 anos em um jogo válido pela Copa do Nordeste de 2010 (entre Ceará e ABC), tendo sido personagem importante no ano anterior ajudando a conduzir o Ceará de volta a primeira divisão do Campeonato Brasileiro.

A partir de sua aposentadoria virou treinador das categorias de base do Ceará em 2011, ficando até 2013. Saiu para assumir o time principal do Ferroviário/CE (2013) e depois chegou a assumir o cargo de Diretor de Futebol do Pacatuba. Com o time no qual era Diretor mal no campeonato, resolveu voltar a jogar aos 43 anos para salvar a equipe do rebaixamento. Deu tão certo que quase inclusive chegaram as semifinais da segunda divisão do Campeonato Cearense.  O último grande ato na vida pública do ex-jogador foi em 2014, Sergio Alves foi candidato a Deputado Estadual do Ceará pelo Partido da República e não foi eleito.

Quem acompanhou o futebol brasileiro na década de 90 e início dos anos 2000 não tem como não sentir saudades desse grande centroavante e matador. Segue abaixo alguns dos gols marcantes da carreira de Sérgio Alves:

 

Texto: Victor Portto

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*