O futebol da Paraíba respira e emociona

Belo conquista o seu 29º título na história do Campeonato Paraibano

Botafogo-PB empata e conquista o campeonato paraibano (Raniery Soares/ParaíbaPress/FPF)
Por Wagner Ponce, SP

O nordeste brasileiro por muitos anos acompanhou pela televisão jogos dos times do Rio de Janeiro e São Paulo. Por causa disso, é muito comum em diversos estados da região encontrarmos uma grande maioria de torcedores apaixonados por equipes de fora do seu estado. Na Paraíba isso não foge à regra, mas longe de ser por falta de clubes com tradição e importância. A capital João Pessoa é a terra do Botafogo, maior vencedor dentro do estado. Já o Treze e o Campinense, ambos de Campina Grande, dividem os torcedores da maior cidade do interior do estado.

É óbvio que a falta de frequência de clubes na primeira divisão – exatos 30 anos – e a ausência de um calendário mais consistente para o segundo semestre, faz com que a paixão ainda seja dividida entre times paraibanos e da região sudeste. Se formos analisar o cenário atual, a concorrência agora é maior ainda, já que o maior acesso aos canais de TV fechados faz com que as novas gerações torçam por times estrangeiros. Lógico que o bom futebol deve ser visto e até celebrado, mas nada se compara à emoção de um estádio lotado e divido por duas torcidas rivais.

A final disputada no último domingo teve todos os elementos necessários para um jogo emocionante. Estádio lotado, partida tensa, três expulsões, goleiros realizando defesas incríveis, um verdadeiro “jogaço” de bola! Com a melhor campanha na primeira fase e a vitória no jogo de ida por 3 a 2, o Belo poderia perder até por um gol de diferença jogando em casa que levantaria a taça.

O Galo da Borborema não perdeu tempo e começou tomando todas as ações de ataque, mas mesmo com esse domínio, não conseguiu concluir com muita facilidade, tendo como suas melhores chances as bolas paradas cobradas pelo veterano Marcelinho Paraíba. Aos 23 minutos de jogo, em uma cobrança de escanteio, Dico finalizou sozinho e conseguiu vencer o goleiro Michel Alves, abrindo o placar no Estádio Almeidão.

Marcelinho Paraíba foi o jogador mais perigoso do time do Treze (Foto: Raniery Soares/Paraíba Press/FPF)
Marcelinho Paraíba foi o jogador mais perigoso do time do Treze (Foto: Raniery Soares/Paraíba Press/FPF)

O rendimento do Botafogo não era dos melhores, e o técnico do Belo resolveu fazer uma alteração logo no primeiro tempo, tirando Jadson e colocando Fernandes em campo. A substituição fez bem ao time da capital, e, logo depois, Marcinho fez grande jogada e achou o artilheiro Rafael Oliveira bem posicionado na área, que tocou no canto, sem chances para o goleiro Diego. Festa nas arquibancadas em João Pessoa com o empate do time da casa.

O gol claramente abalou os ânimos do Galo, que passou a mostrar uma certa impaciência na conclusão das jogadas, que passou a precisar de dois gols para chegar ao título. A missão poderia ser um pouco facilitada, logo aos 7 minutos da etapa complementar, Val recebeu o segundo cartão amarelo e deixou o Belo com um jogador a menos. O tempo ia passando. Enquanto de um lado existia uma grande tensão pela necessidade de marcar mais dois gols, do outro a ansiedade começava a tomar conta de todo o time do Botafogo e sua torcida, desejando logo que a partida fosse encerrada. O resultado foi um amplo domínio da possa de bola do Treze, mas o nervosismo fazia a equipe erras inúmeros passes, enquanto os botafoguenses recuavam cada vez mais, contando com a competência de Michel Alves que parava as poucas conclusões do time adversário.

Aos 30 minutos do segunto tempo, Rafael Oliveira e Fernando Lopes quase protagonizaram cenas lamentáveis em campo, ao se desentenderem. Ambos foram expulsos pelo árbitro Renan Roberto, dando mais dramaticidade à partida. Nos acréscimos, Marcelinho Paraíba fez ótima cobrança de falta, o goleiro do Botafogo fez mais outra grande defesa  e, mesmo caído, ainda conseguiu defender o rebote de Roger Gaúcho, que mesmo impedido, finalizou contra a meta de Michel Alves.

Não foi dessa vez que o alvinegro de Campina Grande quebrou seu  jejum de 6 anos sem títulos na Paraíba, que assistiu a festa pelo 29º título estadual do Belo. A comemoração tomou conta da noite em João Pessoa, numa justa festa para os apaixonados pelo futebol brasileiro.

Festa do torcida do Belo invade as ruas de João Pessoa (Foto: Lucas Barros/globoesporte.com)
Festa do torcida do Belo invade as ruas de João Pessoa, capital da Paraíba (Foto: Lucas Barros/globoesporte.com)

O Botafogo-PB volta a campo já no próximo dia 14, contra o Cuiabá, na estreia pela Série C do campeonato brasileiro. Enquanto isso, o Treze encerra as atividades do seu departamento de futebol para o restante dessa temporada, lembrando que ainda estamos no início do mês de maio. Isto é impensável para a organização e desenvolvimento de um clube. O Galo caiu de pé e lutou muito em busca do título, com certeza sua torcida gostaria de ver mais atuação do seu time durante esse ano, mas graças a um calendário totalmente impensado, o futebol de Campina Grande será de apenas uma torcida até o final do ano. Campinense e Souza serão os representantes paraibanos na Série D do campeonato brasileiro, vagas garantidas a partir das suas colocações no campeonato estadual da temporada passada.

A Paraíba tem uma relação de amor fora do comum ao futebol, é difícil pensar que um estado com tantos torcedores apaixonados possa ficar sem representantes nas divisões mais acima do campeonato nacional, ou pior, ter um dos seus grandes tendo um hiato de 7 meses até a próxima competição. Torcedor paraibano, a CL torce muito pelo fortalecimento do seu futebol.

Fontes: globoesporte.com, Veja, Bola na Área

2 Comentários em O futebol da Paraíba respira e emociona

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*