O futebol em 10 anos, pelas páginas da Placar

Avaliamos as semelhanças e diferenças de 27 clubes entre os guias de 2007 e 2017.
Por Dudu Nobre, PR

Vou contar uma coisa pra vocês: eu adoro guardar objetos! Coleciono vinis, posteres, ingressos de jogos… Antes de pronunciar as primeiras palavras minha mãe já fazia esse serviço pra mim, com álbuns e mais álbuns dos momentos da infância. Dentre as minhas relíquias, tenho alguns guias da Revista Placar, que uso até fonte para fazer vários textos para a CL.

Fiquei algum tempo sem comprar as publicações, mas neste ano decidi retomar o hábito e adquiri o guia do Brasileirão. De cara, me incomodou a ausência do que eu mais gostava: os recordes dos clubes. Quem mais jogou pelo Juventude, qual o menor público da história do Atlético-GO ou em que ano foi a maior goleada aplicada pelo Santos. A decepção me fez revisitar meus guias antigos e compará-los com o atual.

Escolhi o de 2007 para marcar uma década de diferença. Mas no momento em que coloquei uma revista ao lado da outra, minha imaginação voou. Não focou nos aspectos formais, mas nas diferenças e semelhanças entre o passado e o presente dos clubes – no caso, o  Sport. Tirei uma foto da cena e coloquei no grupo do Facebook Futebol Alternativo. De lá surgiram várias memórias e a sugestão de fazer o mesmo com todos os clubes que jogam a série A em 2017, acrescentando as equipes que estavam na elite na década passada.

Missão dada é missão cumprida! É só ver a galeria e embarcar nessa viagem ao passado.

A título de curiosidade, segue o nível de aproveitamento da revista Placar nos palpites do Brasileirão de 2007:

Título: 1 acerto e 4 erros.

Libertadores: 3 acertos e dois erros.

Sul-Americana: 1 acerto e 3 erros.

Rebaixamento: 3 acertos e 3 erros.

Será que a Placar terá um aproveitamento mais alto ou mais baixo em 2017? Saberemos ao final da temporada.

Fontes: globoesporte.com, revista Placar e UOL

3 Comentários em O futebol em 10 anos, pelas páginas da Placar

  1. Eu coleciono Guias do Brasileirão Placar, tenho de 2000 até 2017. O que pude observar é que nos 2 ultimos anos o Guia caiu muito em qualidade. o de 2016 pra mim foi o pior de todos, no lugar da tradicional foto do destaque do time colocaram uma foto posada dos jogadores o que ficou horrivel( a do Figueirense por exemplo tiraram uma colocaram uma foto dos jogadores num “rachão”, além de não abordarem a Serie B. O deste ano deu uma pequena melhorada, mas ainda ficou muito abaixo do que se espera, 2 páginas para os times da Série A é uma mixaria.

    Espero que no ano que vem o Guia volte a ser como antes dos 2 ultimos anos.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*