O futebol na Inglaterra é bem mais do que a Premier League

As ligas inferiores na Inglaterra mantém um clima diferente da principal liga do país

Logo da English Football League, organização que gerencia o futebol inglês(Foto:Reprodução/ Site Oficial English Football League)

A Premier League é uma das ligas mais famosas do futebol e provavelmente seja a mais elitizada, porém, abaixo dela e das divisões de acesso o futebol amador ainda respira na terra da rainha. Aliás, respira muito bem, pois a quantidade de times amadores é incrível. Mas, primeiro devemos entender como é a divisão do futebol inglês.

Todas as ligas de futebol, com exceção da Premier League, são gerenciadas pela English Football League (EFL), organização criada em 1888 por 12 clubes da época para dar apoio na profissionalização dos times. A EFL administrou todas as divisões do futebol inglês até 1992, quando as equipes da primeiras divisão romperam com ela para formar a Premier  League, pois buscavam maior valorização e cotas de transmissões melhores. Mesmo não gerenciando a Premier, a EFL dirigiu o acesso e rebaixamento para ela, bem como em todas as ligas menores.

Logo abaixo da Premier vem a League Championship, a League One e a League Two, que são a segunda, terceira e quarta divisão respectivamente. Abaixo dessas divisões vem as ligas amadoras da 5ª à 11ª divisão, cada uma delas tem regras próprias, mas tem o sistema de acesso e rebaixamento. As equipes até a décima decisão disputam a Copa da Inglaterra e as equipes até quarta também disputam a Copa da Liga Inglesa.

As divisões mais baixas são equivalentes ao nosso futebol de várzea, pois apesar de garantirem vaga à outras divisões, a maioria dos times são formados por amigos de um mesmo bairro, isso levando em conta que times do país de Gales também podem disputar as ligas inglesas, mas apenas seis equipes participam, com destaque para o Cardiff City. Essas divisões são divididas ainda por conferências, que seriam o equivalente a ligas regionais. E é nessas ligas menores que as histórias mais curiosas acontecem.

Em 2014 Paul Gascoigne, o eterno Gazza, quase jogou pelo Abbey FC, time que disputa uma dessas ligas. Ele foi convidado pelo treinador da equipe, que era taxista e costuma fazer muitas viagens com Gazza. Depois nde insistir um pouco Gazza acabou aceitando o convite, porém não há registros de que ele tenha atuado pela equipe.

Outro caso curioso é o do AFC Wimbledon, atualmente na League One, que foi fundado por torcedores quando o antigo time da cidade foi embora, tornando-se posteriormente o MK Dons. Ainda temos o Sheffield FC, que destaca-se por ser o primeiro clube de futebol do mundo, marca que ostenta em seu site e teve até reconhecimento pela FIFA. Vale citar também o Exeter City, primeiro adversário da Seleção Brasileira e o Corinthian Casuals, que inspirou o nome do  Corinthians da capital paulista.

Essas são só algumas das histórias que provam que mesmo no país com uma das mais ricas liga de futebol, onde muitos julgam que o dinheiro ficou acima do próprio esporte, ainda existem outras formas de se vivenciar o futebol. Lembrando que, mesmo que jogos dessas equipes não tenha uma grande cobertura da mídia, pode-se assistir a League Championship com certa facilidade, que mesmo sendo uma profissional tem um clube bem diferente da Premier League, com muitos estádios menores e torcida fanáticas. Isso tudo com o detalhe de contar com times moralizadores na Europa, como o Nottingham Forest, bi Europeu em 78-79 e 79-80, e Aston Villa, campeão em 81-82 vencendo o Bayern de Munique na final. Também conta com times como Leeds e Blackburn, ambos com três títulos nacionais cada, tudo isso contribuindo para que o futebol ainda respire na terra da rainha.

Texto: Marco Aurélio

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*