O modo como seu time contrata lhe agrada?

SÓ PERNA DE PAU OU ESTRELAS? OPINE!

Por Ricardo Santos, RS

Chega o início do ano e a preparação para mais uma nova temporada no futebol brasileiro. Neste período sem jogos (no profissional), nos resta assistir o “Inglesão” com seus Harry Kane e Álvaro Morata, ou acompanhar a movimentação de mercado dos nossos clubes e concorrentes – menção honrosa também para a Copinha, de atropelamentos de ambulância e afins. Claro, esperar que o Morata faça gol é muito ardiloso, então rumamos em direção ao famoso “vai-e-vem” da bola, que não menos desesperadora e angustiante, faz-nos orar pelo bom senso de nossos dirigentes na hora de reforçar as equipes.

É difícil saber no ato da compra ou venda de um atleta se o negócio foi exitoso ou não, afinal, tudo acontece dentro das quatro linhas. A relação de custo-benefício é a chave de uma boa contratação. Entretanto, tendo em vista a incerteza do futuro rendimento de um novo atleta, existem duas possibilidades: investir muito em um nome afirmado, ou investir pouco em uma aposta.

Para falarmos de times que investem muito, na atualidade, no futebol brasileiro, não há como não citar Palmeiras e Flamengo. Ambos os times têm maior poder de compra (e demonstrado isso efetivamente), e vêm protagonizando o mercado brasileiro até então. O Verdão, atual campeão brasileiro, já chamava a atenção pelo poder do elenco no ano passado. Para essa temporada não foi diferente, e já anunciou cinco bons nomes: Zé Rafael, Arthur Cabral, Felipe Pires Matheus Fernandes e Carlos Eduardo. Nesses nomes, estima-se um valor total entre 14 e 15 milhões de euros, aproximadamente 64 milhões de reais. (valores consultados no site transfermarkt).

Reforços do Palmeiras para a temporada 2019 (Foto: Divulgação/Palmeiras)

Já o Rubro-Negro carioca balançou os noticiários locais recentemente com a contratação da dupla Arrascaeta e Gabigol. O primeiro, um dos destaques técnicos do Cruzeiro campeão da Copa do Brasil. Uma contratação que gerou muito debate acerca do entrave gerado pelos agentes do meia uruguaio, assim como a vontade do próprio em sair, haja vista os valores altíssimos da negociação. O jogador custará ao Flamengo 55 milhões de reais, além de um salário triplicado (1,5 milhões por mês). Já Gabigol, artilheiro do Campeonato Brasileiro, também receberá valores que superam um milhão de reais mensais.

Em montagem feita por torcedores, os novos reforços do Flamengo. (Foto: reprrodução/Twitter)

Enquanto isso, outros clubes de iguais tamanhos no futebol brasileiro se reforçam de forma mais discreta, com gastos mais contidos. E isso não significa menos eficácia, muito pelo contrário. Considero fantástica a substituição dada pelo Athlético Paranaense ao atacante Pablo. O atacante que saiu por alto valor ao São Paulo, será substituído por Marco Rúben, do Rosario Central. O argentino vem por empréstimo no valor de 200 mil dólares, com opção de compra.

O Grêmio também e exemplo de clube que vem gastando menos em transferências nos últimos tempos, com uma base máxima fixada de salário para a maioria de seus atletas e, ainda assim, obteve grandes resultados como as conquistas da Copa do Brasil de 2016 e da Libertadores da América de 2017. Nomes como Bruno Cortez, Jael e Cícero formaram um pacote de apostas – no sentido de recuperação de jogadores experientes – do Tricolor Gaúcho que renderam efetivamente ao clube.

Jael, o cruel, foi uma aposta do Grêmio que rendeu até assistência em final de Libertadores(Foto: Lucas Uebel/Grêmio)

E não podemos nos esquecer dos clubes de menor aporte financeiro. Clubes como aqueles recém subidos da série B, tem nas negociações que realizam com a nova cota de televisão, a possibilidade de transformação da instituição. Contratações exitosas podem mudar o patamar dessas equipes. O CSA, por exemplo, já tem nove reforços para a nova temporada. Matheus Sávio, do Flamengo e Ramon, do Fluminense chamam a atenção por chegar de clubes maiores. Também com grande número de contratados vem o campeão da série B Fortaleza.

Matheus Sávio não teve sequência no Flamengo e chega para reforçar o CSA (Foto: Reprodução/CSA)

Ainda estamos em Janeiro e muita coisa pode acontecer no que tange as transferências de idas ou vindas ao nosso futebol. É fato que grandes movimentações já aconteceram, mas pode ser que os nomes de pouco holofote sejam aqueles que venham se destacar na temporada de 2019. E você torcedor, o que prefere nesse período de janela de transferências? Jogadores afirmados, de custo maior? Ou um jogador ainda a ser lapidado, ou recuperado, que não pese tanto nos cofres da sua equipe? É assunto que rende muito tempo de debate, e é dele que precisamos, até que a nossa saudosa rotina de jogos quarta-domingo finalmente retornem.

1 Comentário em O modo como seu time contrata lhe agrada?

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*