O recorde de expulsões na história do futebol

jogo ficou marcado pelas cenas lamentáveis!

Jogadores de Botafogo e Portuguesa no inicio da confusão (Foto:Esporte Ilustrado/1954)

Em uma manhã de domingo, no dia 20 de junho de 1954, Portuguesa e Botafogo se enfrentaram pelo torneio Roberto Gomes Pedrosa, uma partida que entraria na história do futebol por ter marcado o maior número de jogadores expulsos em um único jogo. O jogo terminou 3 a 1 para os lusos, mas o placar neste dia acabou ficando em segundo plano, pois o que imperou em campo foram as cenas lamentáveis.

O confronto era tido como o mais fraco da rodada. A Lusa ainda não tinha justificado a fama que conseguiu em solo europeu e só conquistara uma vitória contra o Santos e jogaria desfalcada de Djalma Santos, o zagueiro Brandãozinho e o ponta-direita Julinho Botelho. Todos a serviço da Seleção Brasileira na Copa de 1954. Já o esquadrão glorioso era, até então, o pior time do campeonato com apenas um ponto conquistado contra o Palmeiras. O plantel alvinegro iria para o jogo desfalcado do lateral Nilton Santos que também estava representando o Brasil na Copa.

A partida começou com a Portuguesa indo para cima dos cariocas, o Botafogo tentava responder em contragolpes rápidos, porém, todas as tentativas eram repelidas pelo zagueiro Nena. A pressão Lusa foi recompensada aos 17, quando Osvaldinho marcou o primeiro tento Lusitano. O Botafogo rapidamente respondeu e, aos 18, empatou com o atacante Dino da Costa. Após o gol, a pressão lusitana continuou, porém, o glorioso teve sorte e não sofreu mais nenhum gol no primeiro tempo.

No segundo tempo, brilhou a estrela do atacante Edmur, ex-jogador do Vasco da Gama. O avante da Portuguesa dominou a zaga do alvinegro, os defensores do time da Estrela Solitária, acuados com o grande volume de jogo, começaram a apelar para a violência, o que daria inicio a grande confusão no jogo. Mas, não conseguiram parar Edmur, que marcou os dois gols para pôr no placar 3 a 1 para o time paulista.

Edmur, foi o destaque do jogo, enquanto disputado com uma bola (Foto: Jornal Mundo Esportivo)
Edmur, foi o destaque do jogo, enquanto disputado com uma bola (Foto: Jornal Mundo Esportivo)

Cenas Lamentáveis

Aos 27 minutos da etapa complementar, o embate foi interrompido. O zagueiro Tomé deu uma entrada “delicadíssima” no homem do jogo Edmur, que revidou de imediato. A briga entre os dois se generalizou. Era soco, chute, pontapés, rasteiras e trancos entre titulares e reservas. Eram mais de 40 pessoas em uma “batalha campal”. Juntamente com a polícia, entraram em campo jornalistas e locutores para separarem os brigões. Com os ânimos mais amenos, o árbitro Carlos de Oliveira Monteiro, o “tijolo”, expulsou todos os 22 jogadores em campo. Os atletas do Botafogo ficaram revoltados. Carlyle, por exemplo, saiu de campo dizendo: “Aqui não se ganha. Esses paulistas são assim mesmo. Vamos embora pessoal! Esta não foi a primeira e nem será última.”

post_facebook_200616a-685280_630x419
Jogadores trocam “trancos” dentro do campo (Foto: Reprodução/Acervo da bola)

Já no vestiário, muitos jogadores mostravam-se descontraídos. Os jogadores do Botafogo comentavam sobre o caso nos vestiários. Vinicius respondeu uma pergunta de Bob: “Não sei em quem dei”. Bob retrucou: “Também não sabe de quem apanhaste”, e então, Vinicius explicou: “Só sei que Lindolfo me deu um soco na cabeça, mas ele deve ter ficado com a mão doendo.” No meio da resenha, Carlyle se aproxima dos companheiros de equipe e dispara: “Fui dar um murro, quando vi que era o Ceci, disse-lhe: saia daqui, és meu amigo.” Todos caíram em gargalhadas.

No vestiário da Lusa, Edmur era ovacionado pela torcida, enquanto Lindolfo sentando em um canto foi indagado por um torcedor. “Vamos rescindir o contrato de futebolista e assinar um outro de luta livre, deste tudo hoje, hein? E ainda apareceu o goleiro reserva do Botafogo para fazer-se de besta. Levou um tranco, não?”. O jogador ria de tudo, mas sem responder.

FICHA TÉCNICA
Portuguesa 3 x 1 Botafogo

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 20 de junho de 1954, Domingo
Árbitro: Carlos de Oliveira Monteiro, o “tijolo”
Gols: Edmur (2), Osvaldinho (Portuguesa); Dino da Costa (Botafogo)

Portuguesa : Lindolfo, Nena, Valter, Herminio, Clóvis, Ceci, Dido, Renato,Osvaldinho(Nelsinho), Edmur e Ortega.

Botafogo: Pianowsky, Tomé, Floriano, Arati, Bob, Juvenal, Garrincha, Dino, Carlyle, Jaime e Vinicius.

 

Texto: Lucas Bastos Gabriel (@sir_bastos)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*