Os anos 90 do Galo nos pés do embaixador Marques

Um dos maiores craques da história do Atlético Mineiro é também um autêntico representante do anos 90

Marques campeão mineiro em 2010 (foto:Superesporte/reprodução)
Por: Lucas Poeiras, MG

O paulista Marques Batista de Abreu está na memória de corintianos, vascaínos, flamenguistas e até japoneses. A parte mais especial da sua trajetória é em Minas Gerais, onde ele goza o status de lenda do Atlético. Os futebolistas do anos 90 lembram-se da sua qualidade no drible e técnica afiadíssima, onde foi artilheiro e deixou sua marca na memória. Um jogador que não mediu esforços por todos os clubes que passou, sua camisa era sua vida.

O garoto Marques ingressou no futebol através do Corinthians clube que defendeu profissionalmente por três anos entre 92 e 95. Defendendo as cores do Parque São Jorge, fez parte do esquadrão que venceu a Copa do Brasil de 1995. Ele se consolidaria no cenário nacional para ter oportunidades nos clubes de ponta do Brasil. O jogador fez várias partidas pela agremiação e encerrou seu ciclo ao ser vendido para o Flamengo, onde fez ataque com o craque Bebeto. No ano seguinte voltou à capital paulista. Desta vez, vestiu as cores do São Paulo onde teve uma participação muito apagada no campeonato de 96. O ano seguinte traria muitas emoções ao craque e seus anos de glória.

O garoto Marques (foto: Gazeta Esporte/reprodução)
O garoto Marques (foto: Gazeta Esporte/reprodução)

Para a temporada de 97, o Atlético Mineiro anunciou a contratação do meia-atacante Marques como reforço ao setor ofensivo. Ele faria dupla com o folclórico Valdir Bigode. Seus primeiros anos foram muito produtivos com a camisa alvinegra já que marcou muitos gols e conquistou a Copa Comenbol de 97. O time ainda precisava de peças para compor o elenco e dar um salto de qualidade em direção à glória. A contratação do atacante Guilherme trouxe o que faltava para o Galo. A disputa do Brasileirão em 99 foi uma das finais mais memoráveis da história recente. A grande temporada que Marques e Guilherme fizeram incluiu uma vitória contra os rivais do Cruzeiro pelas quartas de final, onde a equipe encontrou o fortíssimo Corinthians capitaneado por Marcelinho Carioca. Ao sofrer uma lesão devastadora no joelho no segundo jogo da final, Marque assistiu o clube que o formou levantar a taça. A equipe paulista era favorita e possuía um grande esquadrão, mas nunca saiu da cabeça do jogador e da torcida que a sua presença em campo faria tudo ser diferente.

Em 2003 foi jogar pelo Vasco da Gama, clube que teve grande sucesso no começo dos anos do 2000 com Romário e Juninho Pernambucano. Uma passagem que durou apenas um ano e o projetou para o exterior, onde foi disputar o campeonato japonês. Os orientais estavam em desenvolvimento de sua liga e contratou muitos jogadores que buscavam outros mercados. Marques jogou pelo Nagoya Grampus inicialmente. Ele retornou em 2005 e 2006 e amargou o rebaixamento para série B do Galo, fez poucos jogos devido aos problemas que teve com lesões. A queda do clube fez com que o craque retornasse ao Japão, desta vez pelo Yokohama onde jogou por mais duas temporadas.

Os anos seguintes e seu amor declarado pelo Atlético o fizeram retornar pela terceira vez a Belo Horizonte. Jogou as temporadas de 2008 a 2010 onde seu prestígio e entrega junto à torcida apenas cresceu. Apesar das dificuldades de se manter saudável para o campeonato, ele fez grandes partidas pelos alvinegros até encerrar sua carreira em 2010. O final foi épico como ele merecia. Entrou na grande final do campeonato mineiro que era disputada entre Atlético e Ipatinga e marcou o gol do título. Saiu para comemorar, tirou a camisa e a colocou no bandeirinha de escanteio hasteando a bandeira alvinegra, suas cores. Não disputou o Brasileirão pois o professor Vanderlei Luxemburgo o tirou dos planos do Galo para a temporada.  Contabilizou 386 jogos com a camisa preta e branca.

A histórica comemoração (foto: Superesportes/Reprodução)
A histórica comemoração (foto: Superesportes/Reprodução)

Os passos seguintes da carreira fora dos campos foram em direção a política. Marques foi eleito pelo PTB para um mandato de deputado estadual com mais de 150 mil votos e também foi trabalhar como comentarista de futebol nos canais ESPN. Durante o seu mandato ele tentou lutar pelo esporte por acessibilidade. O Atlético também o elegeu Embaixador do time pelo seu carinho e identificação com a torcida.

O deputado no exercício do mandato (foto: Site Oficial/Reprodução)
O deputado no exercício do mandato (foto: Site Oficial/Reprodução)
Fontes: ESPNSuperesportesAtlético-MGGazeta Esportiva e Site Oficial.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*