Pablo Vicó, o “Alex Ferguson” da segundona argentina

Treinador do Brown de Adrogué há quase 10 anos, Pablo tem o clube como sua casa

Por conta da semelhança com o personagem Seu Madruga, Pablo foi apelidado de "Don Ramón" do futebol argentino (Foto: Luciano Thieberger / Clarín)
Por Dudu Nobre, PR

No último domingo (23), o Brown de Adrogué-ARG recebeu o Club Los Andes-ARG pela quarta rodada da segunda divisão argentina. Foi o jogo de número 400 do treinador Pablo Vicó no comando da equipe da casa. Uma notícia como essa não seria manchete em nenhum veículo brasileiro, mas essa história vai além da frieza dos números. Se há um personagem que represente a fidelidade de uma pessoa a um clube de futebol, esse alguém é Pablo – o “Ferguson del Conurbano”.

Essa história se passa em Adrogué, município da região metropolitana de Buenos Aires – aproximadamente 25 km da capital argentina. O futebol é motivo de orgulho para a cidade, visto que o ex-volante do Real Madrid Fernando Redondo e o atual zagueiro do River Plate Jonathan Maidana nasceram em Adrogué.

O clube da cidade é o Brown, fundado em 1945 que carrega em suas cores referências de outros dois times que existiam no município anteriormente: o azul celeste do Club Atlético Adrogué-ARG e o e o vermelho e preto do Club Nacional-ARG. Sem nunca ter disputado a primeira divisão do país, o Brown é reconhecido nacionalmente por manter Pablo Vicó no comando técnico desde 2009.

Mas a relação entre os dois vem de muito antes. El bigotón (um dos vários apelidos que acumulou durante a carreira) foi atacante do Brown na quinta divisão do futebol argentino, até que na década de 1990 foi convidado pelo então presidente Juan Vairo para ser o caseiro do alojamento da equipe.

Vicó comemora a premiação que o Brown recebeu ao eliminar o Independiente da Copa Argentina (Foto: Alejandro Del Bosco)

A partir daí o clube literalmente se tornou a casa de Pablo. Vicó mudou de função, sendo zelador e treinador dos times infantis e juvenis, chegando ao cargo de técnico da equipe principal após a saída de Juan Carlos Kopriva – para não sair mais. Prestes a completar dez anos na casamata tricolor, Pablo ainda mora nas dependências do clube, cerca de 70 passos do campo de jogo.

O Brown o acolheu e foi seu alicerce no momento mais difícil da vida de um pai. Em 2015, o filho de Pablo – Christian – faleceu em um acidente de carro. Além da tristeza, o episódio levou Vicó a fazer terapia e ele quase morreu após um infarte. Ele queria ficar perto do filho, mas para sua sorte o presidente Adrián Vairo o encontrou e o levou ao hospital a tempo.

Naquela temporada, ele quase pediu para sair por conta dos maus resultados iniciais. O time havia caído da segunda para a terceira divisão argentina, uma participação frustrante por ser a primeira do Brown na história da B Nacional. Quando ele encontrou Adrián, os dois choraram e viram que o clube precisava de seu mestre.

O time não só melhorou como conquistou o acesso, um jogo dramático contra o Deportivo Morón-ARG – visto que o gol da classificação saiu nos acréscimos. A história marcou tanto o futebol argentino que os torcedores adversários ovacionaram Pablo, que ainda levou o título da terceira divisão daquele ano – o maior da história do clube.

De lá pra cá o time permaneceu na B Nacional, mas não parou de fazer história. Em setembro deste ano, o Brown encarou o Independiente pela segunda fase da Copa Argentina. O jogo único foi em Avellaneda, mas El Trico não se amedrontou diante do Rey de Copas. Após empatar por 1 a 1 no tempo normal, o clube de Adrogué despachou o maior campeão da história da Libertadores nos pênaltis.

Mais um feito na carreira de Pablo, que agora tem 400 jogos com a camisa que virou sua segunda pele. Em tempos de um esporte movido por cifras, o homem simpático, que não é muito afeito a tecnologia e ostenta um bigode semelhante ao de Don Ramón (nome hispânico do personagem Seu Madruga), mostra que o futebol se joga com os pés, mas se vive com o coração.

Fontes: A24, Clarín, Diario Popular, El Equipo, O Estado de S. Paulo, Site Oficial Brown, TN, TYC Sports.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*