A paixão pelo futebol vai além da lógica

Homenagem da torcida do Feyenoord ao holandês Rooie Marck (Foto: Repdrodução internet)

Amigo torcedor, amigo leitor. O que me diz de pensarmos na influência do futebol em sua vida? Você nasceu, cresceu e ainda pequeno ganhou a camisa do time do coração de alguém que vive perto de você. Seja pai, mãe, parente ou mesmo mais velho, induzido por um namorado ou namorada, amigo ou amiga. De algum jeito você foi levado ao estádio e de forma rápida, ou mesmo aos poucos, aquela paixão foi tomando conta de você de uma forma descomunal.

Por amor, você gastou um absurdo na camisa nova porque, convenhamos, o “Manto Sagrado” sem patrocínio vale tudo isso. Você tatuou na pele porque queria carregar sempre estampada a imagem do seu time do coração. Você viaja e leva uma bandeira para tirar foto naquele monumento histórico só pra dizer “lugar nenhum é histórico ou bonito o bastante para não ficar melhor com a imagem do meu time, ele já esteve aqui”. A primeira vez em um estádio a gente nunca esquece (veja vídeo abaixo).

E voltando a sua rotina, durante os dias normais, você abre todos os sites de notícia, procura novidade, saber o que técnico, diretoria ou qualquer pessoa anda fazendo pelo clube, você debate sozinho a opinião do jornalista que nada ou pouco sabe a respeito porque quem entende mesmo é o torcedor. Você anseia pelas quartas ou quintas, pelos sábados ou domingos.

Se o jogo é em casa, todo esforço é valido para ir ao estádio: você economiza no almoço, pega aquele ônibus lotado, anda mais um pouco – não importa – pelo seu time vale tudo.

Você não entende como alguém pode não sentir o mesmo que você. Como pode chamar de “só futebol”? Se o jogo é fora, você prepara o churrasco, vai pro bar com os amigos, o que não pode é você perder. Em caso de compromisso, o celular fica sempre aberto no “lance a lance” da internet, ou mesmo o velho e sempre companheiro radinho de pilha. Você tem uma camisa da sorte, um tercinho e, claro, aquela camisa que sempre pesa e dá azar.

E se o dia em que seu time joga é a hora de torcer, o dia seguinte é dia de sentir, seja o resultado positivo ou aquele chocolate sofrido. O placar do jogo altera todo o seu estado de espírito. O dia seguinte é o momento de analisar tudo que deu errado ou certo. É o momento de questionar os comentários da turma da TV, é a hora de tirar sarro com os amigos ou a hora de aguentar calado todas aquelas provocações clássicas. Porque não importa o quanto sua vida esteja tranquila, se o seu time perdeu, tudo muda.

torcida
Torcida do Borussia em festa (Foto: uolespsortes.com.br)

Pois é amigo… Você não se preocupa com quem está em campo, se ele é ou não o craque que seu time merece, você torce, grita e acredita. Torcedor não acha nada impossível, não teme adversário nenhum. Olha, eu sei que você se identificou com esse texto. É a minha paixão. É a nossa. O futebol é muito mais que um esporte. É o poder de influenciar o nosso humor, a nossa vida.

Como diria aquela clássica frase: o homem troca de casa, carro e religião. Troca de mulher, troca até de coração. Só não troca de time.

 

Texto: Daniel Bravo @Dbravo_01

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*