A pelada sagrada de cada dia

Afinal, qual é o segredo por trás desses torneios?

Decisão por pênaltis é pra matar do coração, não importa se é no amador ou não (Foto: Maicon Colombo)

Meus caros, queridos, cumpridores de decreto, confrades de Brasil adentro, quem não tem o famoso amigo peladeiro? Acredito que todos nós tenhamos esse querido e especial amigo que joga, na pior das hipóteses, três vezes por semana e que participa de tudo que é competição, que vão desde defender o clube do seu bairro até montar um time na faculdade ou no trabalho para participar da “Copa do Semestre”, ou então um campeonatinho da firma. O fascínio desse amigo pela pelada sagrada de cada dia é cativante, mesmo que em alguns casos, o individuo seja o famoso perna de pau da galera.

Mas o que leva esses nossos amigos Vampetas, Odvans, Juniors Baiano e por vezes, Didicos e Bruxos que não tiveram oportunidades a disputarem campeonatos? Afinal, qual é o segredo por trás desses torneios? Como eles envolvem milhares e milhares dos mais diversos lugares, classes e personalidades diferentes?  O que nos faz querer jogar a pelada sagrada de cada dia?

Confrade preparando-se para lançamento (Foto: Reprodução/ Liga Inter-Regional Poa)
Confrade preparando-se para lançamento (Foto: Reprodução/ Liga Inter-Regional Poa)

A paixão dos confrades peladeiros pelo esporte corre pelo corpo. Nossa paixão pelo futebol supera qualquer barreira. Me arrisco a dizer para vocês que estão lendo isso agora, que essa nossa paixão é a maior, se for comparada com todos os outros países. É bem possível que o futebol seja o primeiro amor de muitos, assim, não é difícil entender o porquê muitos de nós buscam na pelada uma forma de se tornarem jogadores. Talvez não seja nessa vida e se for, pode ser por um dia, ou então por um mês, não importa. O que importa para o amigo peladeiro é jogar. É uma sensação muito prazerosa sair do trabalho e se encontrar com os amigos pra jogar aquele futebolzinho esperto e depois tomar alguns copos de Danone em meio a risadas, isso não tem preço. Essa é uma das melhores coisas do mundo.

Diria o poeta que quem ama o futebol, não joga por dinheiro, joga por amor, joga de coração. A pelada sagrada de cada dia simboliza uma necessidade, o nosso sonho de infância que não foi realizado, aquele mesmo caro confrade, o sonho de se tornar um jogador de futebol. Fazer parte da pelada ou participar desses campeonatos amadores que ocorrem por todo o Brasil meio que acende essas nossas memórias de quando éramos pequenos. A diferença agora é que crescemos e amadurecemos, mas o amor pelo nosso futebol continua o mesmo e assim será para todo o sempre.

Em terras de Vampeta, Odvan, Didico, Bruxo, Edmundo, Romário, Amaral e companhia, recusar futebol é pecado. Então, quando receber o convite de um amigo peladeiro para jogar a pelada sagrada de cada dia, não recuse caro confrade. Aceite o convite. Afinal, é bem possível que em algumas delas ocorram algumas de suas melhores lembranças para contar no futuro.

 

Texto: Jean Costa @_ojean

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*