Prazer Libertadores, eu sou o Internacional

A América em Vermelho e Branco

O eterno capitão América. (Foto: Site oficial do Inter)

Amigo torcedor, amigo leitor. Hoje completa uma década de um dos maiores momentos de uma das maiores equipes do futebol brasileiro. Há 10 anos, o Internacional de Abel Braga, Rafael Sóbis e do eterno Fernandão, conquistaria pela primeira vez a Libertadores da América.

time_LIBERTADORES_2006_site1
Internacional campeão da América pela primeira vez (Foto: Site oficial do Inter)

Para quem não se recorda, o Inter terminou o ano de 2005 com um amargo e injustíssimo vice-campeonato brasileiro, tudo porque após um escândalo na arbitragem brasileira e um erro grotesco de Marcio Resende, o Colorado viu o campeonato ficar nas mãos do Corinthians. Mas bem. Voltando em 2006, o Internacional viu a justiça do mundo da bola ser feita e, pela primeira vez, pintou a América de vermelho. Voltemos no tempo.

De volta ao maior torneio de futebol da América após 13 anos, o Inter foi à Venezuela e retornou com 1 ponto na bagagem após o empate por 1 a 1 contra o Maracaibo. Já a estreia no Gigante da Beira Rio se deu contra o tradicional Nacional do Uruguai, que acabou perdendo por 3 a 0. O Inter ainda enfrentou o Pumas do México e venceu por 2 a 1, fora de casa. Nos jogos de volta, 3 a 2 contra o Pumas, 0 a 0 contra o Nacional e 4 a 0 sobre o Maracaibo.

Terminada a primeira fase da Libertadores, o Internacional terminou dono da segunda melhor campanha, atrás apenas do Veléz e assim decidiria seus jogos. Nas oitavas, o colorado voltou a enfrentar o Nacional, vencendo fora por 2 a 1 e empatando, em casa, por 0 a 0. Nas quartas, veio a primeira e única derrota colorada, enfrentando a LDU, em Quito, o Inter sofreu com a altitude e foi batido por 2 a 1. No jogo da volta, uma vitória por 2 a 0 e a desejada classificação assegurava vivo o sonho do primeiro título continental.

Um paredão chamado Clemer (Foto: Reprodução/internet)

Na semifinal, o adversário era o tradicional Libertad do Paraguai. Com empate em Assunção, o jogo que decidiria o futuro da equipe brasileira seria com um Beira Rio lotado. O Internacional derrotava o clube Paraguaio e chegava a tão sonhada decisão da Libertadores.

Um monstro chamado Rafael Sóbis

Na primeira partida na final, o Inter iria até o Morumbi para enfrentar o então atual campeão da América e tricampeão da competição, o poderoso São Paulo de Rogério Ceni, Junior, Ricardo Oliveira e mais 70 mil torcedores que se faziam presentes. Em jogo pegado e com duas expulsões, Rafael Sóbis, cria da casa e ainda jovem, calou o Morumbi com dois gols no segundo tempo. Ainda no primeiro jogo, após incontáveis milagres de Clemer, a equipe paulista chegou a diminuir com Edcarlos, deixando a decisão para o jogo de volta, em Porto Alegre.

RS - INTER x LDU - ESPORTES - Lance da partida entre as equipes do Inter (RS) e LDU no Estadio da Beira Rio, em Porto Alegre, valida pela Copa Libertadores da Amercia Foto: Marcelo Campos/Preview.com
Rafael Sóbis, um monstro Colorado (Foto: Marcelo Campos/Preview.com)

Fernandão, o eterno capitão América

Com o São Paulo iniciando o jogo em busca do gol e Clemer operando pequenos milagres, foi o Inter quem abriu o placar. Após falha de Ceni, o eterno Fernandão fez o primeiro gol colorado. O tricolor chegou a empatar o jogo com Fabão.

A honra é sua Tinga, o gol é seu. Após defesa de Rogério, Fernandão cruzou para Tinga que livre, faria o gol do título colorado e ainda seria expulso. O Inter ainda veria o São Paulo empatar e quase virar, mas Clemer operou mais um milagre e deu ao Internacional o tão sonhado e até então inédito título da Libertadores da América.

esporte uol
De ex gremista a herói colorado (Foto: Site oficial do Inter)

Dezesseis de agosto de 2006: o dia em que a América, enfim, foi pintada de vermelho e branco. O dia em que Fernandão receberia o seu cartão de entrada para o Olimpo do Futebol, uma pena o ter utilizado tão cedo. Fica aqui a homenagem aos heróis colorados e ao eterno capitão América, onde estiver, a CL te admira e te respeita. Sempre!

Texto: Daniel Bravo @Dbravo_01

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*