Quem não sonhou em ser um jogador de futebol?

Dos peladeiros aos amadores. Uma religião chamada futebol (Foto/Reprodução: frasesdeboleiro.com.br)

Todos nós temos um amigo que é peladeiro, certo? Aquele cara do trabalho que joga bola de 3 a 4 vezes na semana e que disputa torneios e campeonatos em clubes, vilas ou em lugares que é quase impossível definir onde ficam (descubra).

Pois então, sabendo que ”treino é jogo e jogo é guerra”, segundo as palavras sábias de Ale mito/monstro Oliveira, o que levaria este amigo a disputar um torneio? O que seriam esses campeonatos amadores que acontecem em quase todo Brasil e envolve milhares de trabalhadores das mais diversas áreas e setores possíveis? Indo mais além, o que realmente motiva a pelada pós expediente de toda quarta-feira ou de final de semana?

(Foto/Reprodução: metrojornal.com.br)
Pelada realizada entre confrades (Foto/Reprodução: metrojornal.com.br)

Bola na trave não altera o placar
Bola na área sem ninguém pra cabecear
Bola na rede pra fazer o gol
Quem não sonhou em ser um jogador de futebol?

Parafraseando a música ”É uma partida de futebol”, da banda Skank, podemos começar a decifrar tal assunto. É inegável ao analisarmos o contexto histórico que o brasileiro tem em suas veias um amor ao futebol que é fora do comum se comparado a muitos outros países. Com essa pequena reflexão, começamos a entender porque muitos trabalhadores comuns acabam sendo jogadores de futebol por um dia, uma semana ou um mês.

A necessidade de suprir o sonho antigo, de garoto, que um dia sonhava em ser um jogador de futebol é algo que martela o subconsciente do brasileiro apaixonado pelo esporte. A chance de participar de um torneio de vila, de um campeonato amador ou até mesmo de uma pelada sem compromisso faz com que este sonho de menino volte a despertar, agora em um corpo mais maduro, em uma mente mais experiente, mas com o mesmo amor pelo esporte.

A representação do amor do homem ao futebol (Foto Reprodução: AP Images/Ashwini Bhatia)
A representação do amor do homem ao futebol (Foto Reprodução: AP Images/Ashwini Bhatia)

Então, este amigo (que possivelmente pode ser até você, confrade que faz esta leitura) acaba vendo em peladas pós expediente e, principalmente, em torneios e campeonatos amadores (sejam de vila ou de clubes) a possibilidade de vencer. A possibilidade de se tornar um campeão dentro do mundo do futebol, independente da posição, convicção e outras paixões que se têm pelo mesmo.

Sabemos que um grande homem é movido por competições, e os melhores, são movidos por futebol. Então, confrade, parabenize este seu amigo ‘jogador esporádico’, pois o mesmo carrega em suas veias o sangue mais CL possível, pois no fundo todos somos jogadores de futebol.

 

Texto: Bruno Gabriel (@Um_Vocalista)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*