A segunda fase da Copa Sul-Americana

Chape volta à competição que marcou sua história (foto: 1news)
Por Diego Giandomenico, PR

Faz um bom tempo que a segunda competição da América do Sul deixou de ser um campeonato montado às pressas, com times convidados de última hora, campeões vindos do Peru e transmissões feitas pelo SBT. Agora, mais estruturada e com um prêmio de verdade, a Copa Sul-Americana tem despertado clubes que não se deram tão bem em seus campeonatos estaduais a buscar com mais afinco essa taça. É um fato que a competição inchou, porém as mudanças deixaram as coisas atraentes desde a primeira fase. Acabou aqueles confrontos modorrentos entre equipes do mesmo país e entrou o clima de guerra desde o primeiro jogo.

Corinthians foi o único brasileiro com boa atuação na primeira fase da Sula (foto: MIGUEL SCHINCARIOL/AFP/Getty Images)
Corinthians foi o único brasileiro com boa atuação na primeira fase da Sula (foto: MIGUEL SCHINCARIOL/AFP/Getty Images)

Para os brasileiros, um choque de realidade. São Paulo e Cruzeiro caíram para Defensa y Justicia e Nacional-PAR respectivamente. Sport só ganhou graças a Magrão nos pênaltis contra o Danúbio. Ponte Preta Passou devido ao famigerado gol fora de casa contra o Gimnasia La Plata. Fluminense chegou a perder a partida de volta para o modesto Liverpool-URU. O Corinthians pegou a tradicional Universidad de Chile, mas venceu bem os dois confrontos.

Enfim, a primeira fase já mexeu mais com os brasileiros e agora promete se ainda mais pedreira. Já que nesta fase de 16 avos de final, os terceiros colocados de seus grupos na Libertadores se juntam aos vencedores da fase inicial para continuar a peleja. Ou seja, clubes como o Flamengo, Santa Fé, Estudiantes, Chapecoense, entre outros, vão vir com tudo para tentar a vaga para a Libertadores no ano que vem (leia-se título, mas o que vale mesmo é a vaga). Vamos aos confrontos:

Os Brasileiros

Numa análise fria, os clubes brasileiros podem se considerar sortudos. Não pegaram grandes clubes de imensa tradição ou que atualmente despontam como forças em seus países. Nem Patriotas, nem Palestino, nem Universidad de Quito, nem Defensa y Justicia, nem Arsenal de Sarandi, nem Sol de America são clubes de força e tradição no cenário sul-americano. Se olharmos para o seu atual momento, a maré pode estar favoravelmente voltada aos brasileiros. Palestino está na 14ª e antepenúltima colocação no Chilenão. Arsenal de Sarandi está em 28º ou antepenúltimo no inchado Argentinão. O Defensa y Justicia está um pouco melhor e ocupa a 13ª posição. Já o Universidad de Quito é o 8º de 12 times no Equatoriano. O Patriotas ficou na 11ª posição do apertura colombiano. Já o Sol de America está um pouco melhor, 5º entre 12 equipes no Paraguaizão.

Flamengo reencontra seu algoz da Sul-Americana (foto: torcedores)
Flamengo reencontra seu algoz da Sul-Americana (foto: torcedores)

Traduzindo isso, entre Flamengo x Palestino, Corinthians x Patriotas, Chapecoense x Defensa y Justicia, Ponte Preta x Sol de America, Sport x Arsenal de Sarandi e Fluminense x Universidad de Quito, a chance dos brasileiros passarem é bem alta.

Demais Confrontos

Nos outros confrontos, teremos alguns duelos de tradição, como Racing x Independiente de Medellin. Os argentinos não estão muito bem no nacional, mas têm muita camisa. Já os colombianos querem voltar à Libertadores após caírem na fase de grupos. Outro bom confronto é entre Huracán e Libertad. Os paraguaios lideram seu campeonato e pegarão um Huracán bem mal das pernas. Clássicos também serão vistos nesta fase. Olimpia e Nacional farão o Paraguai tremer. Já na Colômbia, Deportivo Cali e Junior de Barranquilla medem forças para avançar de fase.

Estádio Libertadores de América, alçapão do Independiente (foto: futebol portugal)
Estádio Libertadores de América, alçapão do Independiente (foto: futebol portugal)

Outros confrontos que carregam equipes tradicionais e perigosas para os brasileiros, são: Independiente x Deportes Iquique. Os maiores campeões da Libertadores enfrentam os medianos chilenos. Estudiantes x Nacional de Potosí. O time de Verón quer voltar à Libertadores e enfrentará o boliviano Nacional (que tem um símbolo que lembra o River Plate). O Cerro Porteño pega o Boston River do Uruguai. Bolívar e LDU fazem um confronto equilibrado.

Cali x Junior, a Colômbia vai ficar pequena (foto: Caliescribe)
Cali x Junior, a Colômbia vai ficar pequena (foto: Caliescribe)

O Santa Fé enfrentou ontem o desconhecido equatoriano Fuerza Amarilla. O jogo de abertura da Segunda Fase empatou em 1×1, e só veremos definição na volta. E da última vez que vimos um desconhecido equatoriano ele chegou à final da Libertadores. Oriente Petrolero e Atlético Tucumán também medirão forças para continuar com o sonho da taça.

Com clubes tradicionais e camisas que envergam o varal, a Sul-Americana tem tudo para continuar nos divertindo no segundo semestre. E pra você, qual brasileiro avançará e qual ficará pelo caminho?

Fontes: Campeonato Paraguaio, Campeonato Chileno, Campeonato Argentino, Campeonato Equatoriano, Campeonato Colombiano

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*