Surrealismo e o Imortal: os 270 minutos de jogo do Grêmio

O tricolor gaúcho enfrentou três equipes em partidas validas pelo Gauchão em um mesmo dia no Estádio Olímpico

Na tarde do dia 11 de dezembro de 1994, o Grêmio disputou três partidas, assim entrando para o livro dos recordes Guinness Book (Foto: Luis Fernando/Agência RBS)

Em uma tarde calorosa, do dia 11 de dezembro de 1994, aconteceu um dos episódios mais curiosos e marcantes da história do Grêmio. O clube precisou disputar três jogos em um mesmo dia. Um feito inacreditável para uma equipe conhecida por causas inacreditáveis. Para realizar o tal feito, Luiz Felipe Scolari, que viria a ser multicampeão com a equipe, precisou concentrar 42 jogadores para que eles pudessem aguentar os 270 minutos de jogo que viriam pela frente na tarde daquele domingo.

O problema ocorreu por causa do confuso regulamento do Gauchão daquele ano, que começou no dia 5 de março e só terminaria em 17 de dezembro. A competição daquela temporada viria a ser conhecida como o “Gauchão interminável”. Vinte e três clubes participaram do campeonato e se enfrentaram em turno e returno. A federação gaúcha de futebol tinha como objetivo diminuir o número de times na primeira divisão do estadual e nove equipes acabaram rebaixadas naquele ano.

O novo formato da competição não favorecia o Grêmio: o clube disputou 95 partidas na temporada, entre Copa do Brasil, Brasileirão, Supercopa e Conmebol. Até chegar à fatídica tarde de 11 de dezembro, o Grêmio não tinha mais chances de conquistar o Gauchão, que fora vencido pelo grande rival Internacional. Então por que o Grêmio, que já não tinha mais chances de conquistar o título, precisou jogar três vezes na mesma tarde? Foi a forma de encerrar com o campeonato gaúcho, já que a equipe gremista já havia disputado partidas em excesso na temporada.

Apenas 758 torcedores foram ao Olímpico para prestigiar aquela rodada interminável. Um dos menores públicos da história do estádio. E olha que havia promoção de ingressos para a torcida: cadeiras e social a R$ 3. Estudante pagava R$ 1,50. No total, apenas 247 foram os pagantes, fechando a renda daquele dia em R$ 690.

Na primeira partida da tarde, realizada às 14h, sob um sol rachar e com a sensação térmica de 48ºC, o Grêmio empatou em 0 a 0 com o Aimoré. Vestindo o uniforme azul celeste e com a equipe composta por juvenis e seniores, o tricolor por pouco não perdeu para o visitante na primeira partida. Destaque para Murilo, que seria por muitas temporadas o reserva de Danrlei e carinhosamente apelidado de “Eterno Reserva”. O goleiro evitou a derrota tricolor ao agarrar um pênalti aos 34 minutos do segundo tempo.

A primeira vitória naquela tarde fora do comum viria às 16h, o tricolor venceu o Santa Cruz por 4 a 3. Com mais doses de sofrimento e tensão, o Grêmio suou e muito para vencer, conseguindo a vitória apenas aos 47 minutos do segundo tempo e detalhe, com sete titulares em campo.

No melhor jogo da rodada, o Grêmio derrotou o Santa Cruz por 4 a 3 (foto: Zero Hora)
No melhor jogo da rodada, o Grêmio derrotou o Santa Cruz por 4 a 3 (foto: Zero Hora)

O último confronto, às 18h, terminou com outra vitória, dessa vez por 1 a 0 diante do Brasil de Pelotas. Em campo, já com o calor um pouco menos intenso, o Grêmio vestia branco e só conseguiu marcar aos 22 minutos do segundo tempo com um gol de cabeça de Jaques. O atacante, junto de Ciro e Emerson, aquele mesmo que passou por Roma e Real Madrid, foi o único a atuar em dois dos três jogos.

Em uma época onde começava uma nova fase da economia brasileira com o Plano Real e que uma vitória valia apenas dois pontos, o Grêmio conseguiu completar 270 minutos dentro de campo numa mesma tarde. Tal feito colocou o Grêmio no Guinness Book por ser o primeiro time a disputar três partidas oficiais em um mesmo dia. Uma façanha e tanto para um clube que arranca forças do inexplicável para superar as dificuldades.

Texto: Jean Costa – Twitter: @_ojean

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*