Arena Independência: a primeira casa do futebol em Belo Horizonte

Um estádio que faz parte da história do futebol mineiro.

A arena Independência ( Foto: Site Oficial/Reprodução)
Por: Lucas Poeiras

O bairro do Horto na zona leste de Belo Horizonte guarda um templo do futebol: a Arena Independência que apesar da fama recente é muito mais antigo que se pensa. Dono de uma história respeitável, o “Indepa” foi o palco de muitos jogos que ficaram guardados na memória dos mineiros. O seu nome original é Estádio Raimundo Sampaio, fundador do Clube Sete de Setembro, uma homenagem a um dos primeiros incentivadores do esporte em Minas Gerais. O estádio foi construído pela CBD (antes de se tornar a CBF) e pela prefeitura para sediar jogos da Copa do Mundo de 1950 e trazer a modernidade a capital do estado. As obras foram iniciadas em 1948 e foram concluídas em 1950 próximo a execução da Copa.

indepa1949
A construção em 1949 (foto: Acervo do Coelho/Reprodução)

Na década de 1950 o estádio foi erguido e recebeu três jogos da Copa do Mundo:  goleada do futuros campeões uruguaios de 8 a 0 em cima da Bolívia, uma vitória tranquila da fortíssima Iugoslávia de 3 a 0 sobre a Suíça, e uma grande zebra na história das copas onde os Estados Unidos venceram a forte seleção da Inglaterra por um tento a zero. Após a copa a arena então passou a ser patrimônio da cidade e campo principal dos times da capital até a inauguração do Estádio Mineirão, em 1965.  Houve um projeto de modernização durante a década de 1970 mas foi amplamente rejeitada pois iria mudar as características do campo em direção a um modelo americano de gestão.

EuavsIng
(Foto: Reprodução/Internet)

O fim da década de 1980 trouxe uma mudança significativa para a história do Estádio Raimundo Sampaio. O América Mineiro adquiriu o alçapão do Horto, tornando-se independente e orgulhoso proprietário de uma casa própria esportiva. Junto das rendas das bilheterias, o Coelho se reergueu saindo da Série C do Brasileirão em direção à elite do futebol em 5 anos, e do módulo dois do estadual, atingindo seu ápice com a vitória do campeonato mineiro de 1993 de forma dominante (apenas uma única derrota para o Valério Doce em 24 jogos). O grande destaque foi o atacante Euler, o filho do vento, que se tornou um grande ídolo americano e a artilharia de Hamílton com 12 gols. Foram 34 gols e apenas 8 tentos sofridos.

coelho93
O time vencedor de 1993 (Foto: Acervo Coelho/Reprodução)

O estádio devido a uso estava em condições ruins no fim dos anos 2000 e no fim da década surgiu uma grande oportunidade para reconstrução do alçapão. A escolha da Copa do Mundo trouxe a necessidade de se modernizar os dois grandes estádios da capital mineira. Orçada em 120 milhões de reais, estádio Raimundo Sampaio se tornou a Arena Independência, e deixou de ser um alçapão para se tornar uma arena moderno multiuso.

Inaugurado em 2012, a nova Arena Independência estava destinada a ser um xodó dos torcedores mineiros. Uma grande polêmica no projeto foi aprovada: cerca de cinco mil assentos (todos nos setores superiores) com vários pontos cegos devido as grades de proteção que atrapalham a visibilidade devido a a inclinação da construção. Os torcedores precisam ficar de pé durante o jogo para terem visão, e as partes mais próximas a lateral são difíceis de serem vistas do alto.

As grades de proteção impossibilitam o torcedor de ficar sentado (Foto: Uol Esporte/Reprodução)
As grades de proteção impossibilitam o torcedor de ficar sentado (Foto: Uol Esporte/Reprodução)

O retorno da arena foi abraçado pelos três times de capital que mandaram seus jogos lá até o retorno do Mineirão em 2013. América, Atlético e Cruzeiro disputaram suas pelejas lá para continuarem perto dos seus torcedores na capital. A equipe celeste foi a única a abandonar a Arena para voltar ao Gigante da Pampulha. O Atlético criou seu lema “Caiu no Horto, tá morto!” para a histórica campanha da Libertadores de 2013 e o América encaixou em 2015 a campanha que garantiu o acesso de volta à elite do Brasileirão. O torcedor mineiro tem muitas memórias deste templo do futebol que apesar de uma capacidade menor, é gigante em história e importância.

Fontes: Prefeitura de Belo Horizonte, Site Oficial, Acervo do Coelho e Uol Esporte

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*