Unai Emery: O sucesso de um técnico sem mídia

Tricampeão europeu pelo Sevilla, Unai Emery conquistou o que a maioria não acreditava

(Foto: Reprodução/espnfc.com)
Por: Augusto Araujo, RJ

Quem disse que só de Real Madrid e Barcelona se vive a Espanha? Independente de quem seja, tenho certeza que não foi o espanhol Unai Emery. Três anos seguidos campeão a frente do Sevilla, o técnico somou uma mistura de bom elenco com qualidade tática e gerou disso uma equipe vencedora.

Dispensando “mítica” e “lendas”, Unai sempre foi um técnico pragmático, ele conta que para se preparar para uma partida ficava vendo 12 horas de vídeo, depois editava e cortava sozinho, para que fosse levado ao seus jogadores durante o treino. Chegou uma vez, enquanto técnico do Valencia, a entregar um pen-drive vazio para um de seus jogadores, porque estava desconfiado que ele não via o que o treinador planejava, funcionou.

Emery foi um volante de qualidade questionável ainda enquanto jogador, participou de quase 350 jogos na carreira. Foi do time de base do Real Sociedad, jogou no time B deles e quando foi promovido para a equipe principal apenas disputou de cinco partidas. Jogou em mais quatro times, na maioria das vezes da Segunda Divisão Espanhola, mas terminou sua carreira na terceira. Em 2004, com 32 anos, sofreu uma lesão no joelho e decidiu se aposentar. O presidente do clube para qual jogava, o Lorca Deportiva, o ofereceu o emprego de técnico, sendo o primeiro clube no qual Unai Emery treinou.

Unai Emery junto a jogadores do seu primeiro trabalho, o Lorca (Foto: Reprodução/live.sevillafc.es)
Unai Emery junto a jogadores do seu primeiro trabalho, o Lorca (Foto: Reprodução/live.sevillafc.es)

Os primeiros trabalhos

Lorca Deportiva e Almeria (2004-08)

Depois da sua aposentadoria como jogador e a promoção a técnico principal do Lorca, a pergunta era se diferentemente do que foi como jogador, medíocre, ele conseguiria sucesso treinando clubes. E o começo indicou que sim. A frente do Lorca levou a equipe pela primeira vez da história a Segunda Divisão do Espanhol, além de, no mesmo ano, ter ganhado do Málaga na Copa do Rei, o que era quase impossível, pela diferença técnica e financeira dos clubes. Na sua segunda temporada como treinador do Lorca, continuou o ótimo trabalho, terminando a Segunda Divisão a apenas cinco pontos atrás da zona de classificação para o acesso a La Liga.

Após dois anos treinando o Lorca, Unai Emery se transferiu para o Unión Deportiva Almeria. Provando que não foi apenas sorte de principiante, o espanhol conseguiu o feito sensacional de terminar a Segunda Divisão em segundo lugar, sendo histórico, pois foi a primeira vez que o Almeria conseguiu o acesso a elite do futebol espanhol. Na temporada 2007-08, mostrou novamente sua qualidade ao, mesmo sendo o novato na primeira divisão, terminar a La Liga em oitavo lugar, na frente de clubes como Valencia, Athletic Bilbao e Espanyol.

Valencia e Spartak Moscow (2008-12)

Após grande trabalho no Almeria, Emery começou a ser pretendido por grandes clubes, sua escolha foi em partir para a bela cidade de Valência. Contratado para substituir, diferentemente dele, um dos melhores jogadores de todos os tempos, Ronald Koeman, Unai chegou em um Valencia em crise, sempre comparado a Benítez – técnico que ganhou dois títulos espanhóis pelo clube –  e sendo o treinador mais novo da história do time, ele não teve a vida fácil.

Durante quatro anos no clube espanhol, o treinador terminou três vezes a La Liga na terceira colocação, classificando-o para a Liga dos Campeões. Como já citado, Emery não pegou o Valencia na melhor época de sua história, com tantos problemas, como a saída de grandes jogadores – como David Villa e David Silva – e falta de oportunidades para jogadores da base, como Isco – que atualmente joga no Real Madrid -, foi difícil ter um trabalho mais promissor e brigar por competições continentais.

Após seus trabalhos na Espanha, estava na hora do treinador buscar opções em outros países, e seu próximo destino foi a Rússia, onde treinou o Spartak Moscow. Porém, a passagem de volta foi comprada rapidamente, mais precisamente, depois de seis meses, após uma combinação horrível de jogos e resultados. Para fechar com chave de quase Mineraço, a última partida de Emery a frente do time russo foi uma goleada sofrida no clássica contra o Dynamo Moscow, que ficou em 5 a 1.

Final de trabalho no Valencia e passagem rápida pelo Spartak não foram das melhores (Foto: Reprodução/skysports.com)
Final de trabalho no Valencia e passagem rápida pelo Spartak não foram das melhores (Foto: Reprodução/skysports.com)

O auge no Sevilla (2013-16)

Retornando a Espanha, o próximo desafio para Unai seria o Sevilla, clube que estava na 13ª posição da La Liga. Mesmo com pouco tempo para treinar e ensinar sua ideologia de jogo para os jogadores, Emery levou o clube a terminar a liga na nona posição.

Com tempo e talento no elenco, Emery pode mostrar o quanto era bom. Com peças como Rakitic e Bacca – que jogam agora no Barça e no Milan, respectivamente -, conseguiu uma ótima primeira temporada completa, terminando a La Liga em quinto lugar. Além de ter ganhado sua primeira Europa League, eliminando times como Porto e seu antigo clube, o Valencia, na semifinal. Na final da competição, a partida foi em Turim, no Juventus Stadium, contra o Benfica, sagrando-se vencedor apenas nas penalidades, por 4 a 2.

Na temporada 2014-15, sua segunda na equipe de Sevilla, foi tão vitorioso quanto no último ano. Agora sem o meia Ivan Rakitic, mas com o jovem polonês Krychowiak, a equipe conseguiu se manter forte para disputar suas competições. Coincidentemente, na liga espanhola terminou na mesma colocação, a quinta. Em âmbito europeu o mesmo aconteceu, após a vitória por 3 a 2 – com dois gols do artilheiro Bacca – contra o Dnipro Dnipropetrovsk, da Ucrânia, na final da Europa League, que desta vez foi em Varsóvia. Com esse bicampeonato do time comandado por Emery, o Sevilla se tornou o maior vencedor da história da competição, com quatro títulos.

Emery como sempre de terno nos jogos do Sevilla (Foto: Reprodução/JaviSFC.com)
Emery, como sempre, de terno nos jogos do Sevilla (Foto: Reprodução/JaviSFC.com)

Com o sucesso após as duas primeiras temporadas na equipe da Espanha, Unai Emery recebeu várias propostas para mudar de clube, como da Inglaterra – com o West Ham – e da Itália – com o Napoli – mas mesmo assim preferiu continuar seu projeto, dizendo que ainda tinha mais para ganhar. Assim como no ano anterior, algumas peças deixaram o clube, mas a principal delas foi o seu maior goleador, Carlos Bacca, porém essa vaga foi logo substituída por pelo ótimo atacante francês Kevin Gameiro. Novamente a atuação do Sevilla na La Liga não foi das melhores, terminando dessa vez em sétimo lugar. Na disputa continental tivemos uma mudança, uma nova regra mandou o campeão da Europa League direto para a Liga dos Campeões, então o time espanhol pode disputar a maior liga do mundo. Porém, o seu desempenho não foi muito bom, terminando no terceiro lugar de seu grupo e, ironicamente, voltando assim para a competição que se acostumou a ser vencedor, a Liga Europa.

Emery já era considerado um dos maiores técnicos da história do Sevilla, pois conseguiu igualar o mesmo feito de Juande Ramos, técnico que também ganhou duas Europa League com a equipe, nos anos de 2006 e 2007. Porém, era muito sonhar em conquistar três títulos seguidos em uma competição tão complicada? Era, mas sonhar não custa nada. Depois de vitórias contra Molde, Basel, Athletic Bilbao – aonde só ganhou nos pênaltis – e Shahktar Donetsk, o clube chegou novamente a final. Dessa vez a partida era no St. Jakob-Park, na Suiça, e o adversário não era nada mais que o grande Liverpool, time de Coutinho e Firmino. A partida começou de modo desfavorável, com gol de Sturridge, do lado inglês, porém foi só um susto, porque, no segundo tempo, com gols de Gameiro e dois do meia Coke, o Sevilla se tornou tricampeão seguido da Liga Europa.

Após três anos de pura alegria, com títulos e atuações que nunca serão esquecidas para quem gosta e acompanha futebol, chegou a hora de Unai Emery seguir com a carreira dele. Seu próximo destino, onde está desde o começo dessa temporada (2016-17), é Paris, treinando o rico Paris Saint-Germain. Com muito mais orçamento, espera-se muito de Unai a frente do PSG, e o espanhol já mostrou que duvidar dele não é algo esperto a se fazer.

Fontes: Trivela, ISTOÉ.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*