Viola, Dodô e a queda do Grêmio Osasco à elite do futebol paulista

Viola e Dodô jogadores do Grêmio Osasco(Foto: Reprodução/Internet)

Disputando a Série A-2 do campeonato paulista de 2013, o Grêmio Osasco fazia uma boa campanha na competição. Era líder isolado, somando vinte pontos em dez jogos. Tudo parecia que a equipe grande São Paulo conseguiria  um feito histórico, conseguindo o acesso pra primeira divisão.

No dia 21 de fevereiro daquele ano, o presidente do clube anunciou a contratação do atacante Dodô, ex-São Paulo, ex-Botafogo e ex-Fluminense com contrato até o fim da competição, vindo como peça fundamental para o tão sonhado acesso do time. Dias depois a diretoria osasquense anunciou a contratação do atacante Viola, ex-Corinthians e ex-Palmeiras, aos 44 anos. A chegada do jogador foi um pouco contestada pela idade e forma física, mas na sua apresentação, Viola disse que estava em forma. Além disso, a equipe já contava com Índio, ex- lateral direto do Corinthians.

dodo monstro
Dodô comemorando primeiro gol jogando pelo Osasco (Foto: Reprodução/Internet)

Dodô estreou no dia 6 de março diante do Capivari e logo chegou mostrando que não estava ali pra brincadeira, marcando um golaço na vitória de 2 a 0. A cidade se empolgou com o time mas logo depois não foi mais o mesmo. Tropeços atrás de tropeços e com Dodô intocável que estava irritando alguns jogadores, o Osasco deixa a liderança do campeonato e começava a ver a vaga para a segunda fase ameaçada. Naquele ano, os oito primeiros colocados avançavam para o quadrangular final.

ksksksk
Viola estreando contra o São José-SP (Foto: Reprodução/Internet)

Precisando de resultados, Viola foi a aposta da vez, porém o jogador não vingou. A estreia dele aconteceu no dia 23 de fevereiro, no empate em 1 a 1 com a equipe do São José-SP. Nos poucos jogos que fez, Viola não conseguiu mostrar que ainda jogava um bom futebol então foi pouco usado, fez três partidas e nenhum gol.

O Grêmio Osasco não conseguia mais vencer, o elenco parecia estar conturbado e não jogava como antes. Dodô era a única solução para tudo, que só apareceu de novo no empate contra o Monte Azul, por 2 a 2, onde marcou dois gols e buscando o empate para os osasquense. Viola nem se quer jogava mais.

No fim, o Osasco em nove jogos somou apenas cinco pontos e não conseguiu nem a vaga para a próxima fase da competição. Torcedores irritados com a campanha feita na reta final xingavam e vaiavam Dodô e Viola, os mais criticados do time, além da diretoria. Porém, meses depois, a diretoria osasquense fechou parceria com o Audax, que
tinha conseguido a acesso para a elite do campeonato paulista, trazendo o antigo Pão de Açúcar para Osasco e, consequentemente, colocando a cidade no mapa do futebol paulista.

Hoje, o Grêmio Osasco está na Série A-3 do Paulista, sem patrocínio, sem elenco para disputar na ponta. Para alguns, foi ação precipitada da diretoria trazer Dodô e Viola quando a equipe estava muito bem. Para outros, o elenco rachou após a chegada dos jogadores. Talvez o principal time da cidade teria jogado a primeira divisão paulista.

 

Texto: Lucas Almeida

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*