Zulia Fútbol Club: o desconhecido venezuelano

Time com 12 anos de idade busca se firmar no cenário sul-americano

[Foto: Reprodução/Vavel]

Por: Alan Silva, RJ

No ano de 2005, foi fundado o clube mais desconhecido da Libertadores de 2017, o Zulia. Situado na cidade de Maracaibo, a mais jovem equipe da atual edição do torneio busca se firmar no cenário venezuelano e, posteriormente, no sul-americano. Um fator que contribui para alcançar tal objetivo é justamente a inaugural participação na maior competição de times da América do Sul.

A história se inicia com o título de um torneio amador, considerado como a quarta escala nacional, em 2005/2006. No ano seguinte, o Zulia sagrava-se campeão da Segunda Divisão “B”, equivalente à terceira divisão nacional e conseguia o acesso para a “segundona” de seu país. Na temporada 2007/2008, a jovem equipe alcançava o acesso para a elite nacional com a conquista do título da “Série B venezuelana”. Ali, atingia um de seus principais objetivos desde a sua inauguração.

[Foto: Reprodução/Facebbok]
[Foto: Reprodução/Facebook]

Entretanto, ao chegar à divisão principal e diante de uma melhor qualidade técnica de seus adversários, a equipe venezuelana não conseguia repetir o histórico de conquistas dos anos anteriores, fazendo apenas temporadas medianas. O destaque ficou por conta da classificação para o primeiro torneio internacional da equipe, a fase prévia da Copa Sul-Americana alcançada na disputa de 2011/2012. A campanha não foi satisfatória, já que foi eliminado na fase inaugural pelo Deportivo Táchira. Após essas decepcionantes trajetórias, o ex treinador da seleção da Venezuela, Cesar Farias, assumiu o comando em 2015 com o intuito de fazer com que o clube chegasse ao seu objetivo principal: ser o maior da Venezuela.

O auge da história do clube venezuelano aconteceu em 2016, ano em que conquistou seus dois principais títulos na elite nacional. Nesta temporada, obteve as conquistas da Copa Venezuela e o Torneio Clausura. E através destas campanhas, alcançou a oportunidade de disputar a Copa Libertadores da América de 2017. Um fato curioso é que a equipe foi a sétima melhor campanha entre todas as agremiações, porém, chegou até a final através de confrontos de mata-mata com seus rivais. Para chegar até essas taças, ousou no seu futebol, saiu do estilo de jogo defensivo utilizado pela maioria dos times e passou a aplicar um futebol mais vistoso, menos preocupado com a defesa, e sim, com o poder ofensivo da equipe.

E para a disputa do maior torneio de sua história, o Zulia vai contar com dois reforços importantes. O clube acertou as contratações do goleiro Renny Vega e do meio campista Juan Arango, ambos com várias convocações para a seleção venezuelana. Através destas aquisições, a equipe busca mesclar a experiência desses já renomados jogadores com a juventude do seu atual plantel. O destaque do time é o armador Jefferson Savarino, de 20 anos, já cobiçado por alguns clubes europeus. Porém, o atual presidente do Zulia disse que fará de tudo para manter o talentoso atleta.

 [Foto: Site Zulia FC]
Jefferson Savarino [Foto: Divulgação/Site Zulia FC]

Comandados pelo técnico César Marcano e com a chance de mostrar o seu futebol para o mundo, o Zulia vai utilizar o conhecido estádio José Pachenci Romero, palco de jogos da Copa América de 2007, para surpreender os seus adversários no Grupo 7 da atual edição. Ao seu lado na chave estão a Chapecoense, o Nacional (Uruguai) e o Lanús (Argentina).

Fontes: ZuliaGlobo EsportePlano Tático

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*