CL na Copa: A Coréia do Sul na busca pelo título de surpresa na Rússia

UMA NOVA COSTA RICA?

Por Antônio Cláudio Rodrigues da Silva

A Coreia do Sul chega para o Mundial da Rússia, seu nono mundial, sem muitas esperanças. Tendo caído ainda na fase de grupos no Brasil em 2014, ao conquistar apenas um ponto, os resultados esperados para 2018 não são muito distintos. 

O país disputou esse torneio pela primeira vez em 1954, quando, em um formato diferente do atual, jogou apenas duas partidas e acabou sendo massacrada, perdendo de 9 a 0 para a Hungria e de 7 a 0 diante da Turquia. O melhor resultado nas Copas foi em 2002, ano em que sediou a competição junto ao Japão, terminando-a em quarto lugar, após ter eliminado a Itália e Espanha nas oitavas e quartas de final, respectivamente, e ao encontrar a eliminação enfrentando a Alemanha nas semifinais, além da derrota sofrida contra os turcos na disputa de terceiro lugar. No entanto, a campanha nesta edição ficou marcada pelas polêmicas de arbitragem, as quais teriam beneficiado os donos da casa e influenciado diretamente na eliminação de italianos e espanhóis.

O caminho até a Rússia com mudança de comando:

Nas eliminatórias asiáticas, os sul-coreanos não tiveram uma vida fácil. Apesar da primeira colocação na segunda fase, na terceira parte da qualificação a Seleção apresentou um aproveitamento irregular, tendo quatro vitórias, três empates e três derrotas ao longo dos 10 jogos. Em julho de 2017, o estilo de jogo burocrático da equipe, o risco de não se classificar e os resultados ruins não agradavam, fatos que culminaram na demissão do então técnico, o alemão Uli Stielike. Em seu lugar, foi contratado o ex-jogador, auxiliar e comandante da Coreia do Sul sub-23, Shin Tae-Yong; ele também será o comandante nesta Copa de 2018. Após a mudança, o futebol apresentado não mudou muito, e o pragmatismo se manteve, mas a classificação acabou vindo mesmo assim, através de uma segunda posição no grupo I, com 15 pontos, atrás somente do Irã e à frente de Síria, Uzbequistão, China e Catar.

O grande destaque e seu drama:

Mesmo com as perspectivas não sendo nada animadoras, o futebol adora ser imprevisível. Para surpreender a todos na Rússia, os asiáticos contam com o seu principal jogador: Son Heung-Min. Artilheiro do time nas Eliminatórias com nove gols, ele atua normalmente pelo lado esquerdo do campo. É ambidestro, rápido, inteligente, habilidoso, tem um bom drible e passe. O meio campista de 25 anos é um dos grandes destaques do Tottenham na atual temporada, na qual soma 18 gols e 11 assistências em 52 partidas e, antes disso, havia feito ótimas campanhas jogando a Bundesliga pelo Bayer Leverkusen.

Além da motivação por jogar um grande torneio representando seu país, e a grande fase na carreira, Son tem mais um motivo para arrebentar neste Mundial. Isso porque, caso a Seleção não fique entre as três primeiras colocadas, ele teria que interromper a carreira por um tempo. O que acontece é o seguinte: na Coreia do Sul, os homens são obrigados a servir o exército por 21 meses até completarem 28 anos (o craque fará 27, ano que vem); contudo, um jogador de futebol pode conseguir “fugir” dessa lei se for campeão dos Jogos Asiáticos, que ocorrerão em agosto de 2018, ou garantindo um pódio nas Olimpíadas ou na Copa do Mundo. Caso contrário, Son precisará abandonar os Spurs, mesmo que temporariamente, no seu melhor momento. Ou seja, o melhor jogador sul-coreano irá à Rússia para dar tudo de si e mais um pouco.

Personagens que merecem atenção:

Outros dois integrantes da equipe que podem fazer a diferença são Ki Sung-Yeung e Koo Ja-Cheol. Ki é jogador do Swansea City, atua como volante, é destro e tem 29 anos; na atual temporada ele marcou duas vezes e deus três passes para gols, em um total de 32 partidas disputadas. Atuando um pouco mais a frente, como meia-atacante, Ja-Cheol jogou 29 vezes com o Augsburg , da Bundesliga, e conseguiu dois gols; ele também tem 29 anos e é destro. Ambos os atletas foram os vice-artilheiros da Seleção durante as Eliminatórias, com quatro gols cada e, depois de Son, são quem mais podem fazer a diferença em uma equipe inconstante, que não faz muitos gols, mas também não possui uma defesa segura. E isso é possível de ser provado através dos números da terceira fase da qualificação para 2018: nas dez partidas disputadas, os coreanos tiveram 11 gols a seu favor e 10 contra.

Grupo F

Passar para as oitavas de finais dessa Copa do Mundo será algo muito complicado, já que ao seu lado, no grupo F, estão seleções como a Alemanha, atual campeã, México e Suécia. A estreia ocorrerá no dia 18 de junho, domingo, às 9h, tendo os suecos como adversários no estádio Nizhny Novgorod. Na segunda rodada será a vez de enfrentar o time mexicano, em um sábado, dia 23 de junho, no estádio Rostov, às 12h. O terceiro jogo ocorrerá na quarta-feira, dia 27 de junho, tendo como local a Arena Kazan e horário às 11h.

(Provável) Elenco:

Goleiros:

Seung-Gyu Kim: 27 anos, atua no Vissel Kobe, da primeira divisão japonesa.

Jin-Hyeon Kim: 30 anos, atua no Cerezo Osaka, da primeira divisão japonesa.

Hyeon-Uh Jo: 26 anos, atua no Daegu FC, da primeira divisão sul-coreana.

Zagueiros:

Jeong-Ho Hong: 28 anos, atua no Jeonbuk Hyundai Motors FC, da primeira divisão sul-coreana.

Min-Jae Kim: 21 anos, atua no Jeonbuk Hyundai Motors FC, da primeira divisão sul-coreana.

Hyun-Soo Jang: 26 anos, atua no FC Tokyo, da primeira divisão japonesa.

Yeong-Seon Yun: 29 anos, atua no Seongnam FC, da segunda divisão sul-coreana.

Laterais direitos:

Cheol-Sun Choi: 31 anos, atua no Jeonbuk Hyundai Motors FC, da primeira divisão sul-coreana.

Yong Lee: 31 anos, atua no Jeonbuk Hyundai Motors FC, da primeira divisão sul-coreana.

Laterais esquerdos:

Jin-Su Kim: 25 anos, atua no Jeonbuk Hyundai Motors FC, da primeira divisão sul-coreana.

Ju-Ho Park: 31 anos, atua no Ulsan Hyundai, da primeira divisão sul-coreana.

Meio campistas:

Sung-Yong Ki (volante): 29 anos, atua no Swansea City, da primeira divisão inglesa.

Woo-Yong Jung (volante): 28 anos, atua no Vissel Kobe, da primeira divisão japonesa.

Chang-min Lee (meia-atacante): 24 anos, atua no Jeju United FC, da primeira divisão sul-coreana.

Jae-Seong Lee (meia-atacante): 25 anos, atua no Jeonbuk Hyundai Motors FC, da primeira divisão sul-coreana.

Koo Ja-Cheol (meia-atacante): 29 anos, atua no Augsburg, da primeira divisão alemã.

Min-uh Kim (meia esquerda): 28 anos, atua no Sangju Sangmu, da primeira divisão sul-coreana.

Son Heung-Min (meia esquerda): 25 anos, atua no Tottenham, da primeira divisão inglesa.

Keun-Ho Lee (meia esquerda): 33 anos, atua no Gangwon FC, da primeira divisão sul-coreana.

Ki-Hun Yeom (meia esquerda): 35 anos, atua no Suwon Bluewings, da primeira divisão sul-coreana.

Chang-Hun Kwon (meia direita): 23 anos, atua pelo Dijon, da primeira divisão francesa.

Centroavantes:

Hee-Chan Hwang: 22 anos, atua pelo RB Salzburg, da Primeira Divisão alemã.

Shin-Uk Kim: 30 anos, atua no Jeonbuk Hyundai Motors FC, da primeira divisão sul-coreana.

Treinador:

Tae Yong-Shin: 47 anos, seu último trabalho foi como técnico da Coreia do Sul  sub-20.

Fontes: IG, Futbox, GloboEsporte, Transfermarkt, ESPN, Cores das Copas, CDB, Soccerway

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*