CL na Copa: ¡Aquí viene Los Cafetones!

A torcida aguarda ansiosa pela Copa do Mundo aos gritos de "cantando, cantando, yo viveré! Colômbia, tierra querida!"

Por Talles Costa, MG

A Confederação Colombiana de Futebol nunca conquistou um mundial. O seu título mais importante é a Copa América de 2001, jogada em seu próprio país. Nas Copas, a melhor colocação foi o 5º lugar aqui no Brasil. Esse resultado, além da quarta posição nas eliminatórias para a Copa da Rússia – indo para sua 5ª participação – deixou uma grande esperança para os colombianos que têm, na história dos mundiais, 18 Jogos: 7 vitórias, 2 empates e 9 derrotas, tendo marcado 26 gols e sofrido 27, somando 43% de aproveitamento.

O caminho nas Eliminatórias não foi muito fácil: 7 vitórias, 6 empates e 5 derrotas – um total de 50% de aproveitamento. Na busca pela classificação, houve tropeços, vaias, dúvidas, reencontros e acertos. Esta foi a dinâmica para conquistar a vaga e, assim, conseguir apoio dos colombianos – e alguns brasileiros, sobretudo da cidade de Chapecó – no mundial.

Sorteada para o grupo H, a seleção do belíssimo uniforme com camisa amarela, calção azul e meias vermelhas promete agitar as cidades de Saransk, Kazan e Samara, onde enfrenta, respectivamente, Japão no dia 19/06, Polônia no dia 24/06 e fecha contra Senegal em 28/06. No histórico recente de confrontos, a seleção colombiana levou vantagem sobre seus adversários. Contra o Japão, na última Copa, o placar foi 4 a 1. Em 2006 enfrentou a Polônia e venceu por 2 a 1. Já contra os africanos, será o primeiro confronto na história.

Para quem já teve o goleiro Higuita e Valderrama – jogador com mais partidas pela seleção, 111 – responsáveis por colocar Los Cafetones no mapa mundial do futebol, os nomes de hoje são, digamos, mais badalados para o lado do futebol europeu.  Dos 35 jogadores convocados na pré-lista, pelo técnico argentino José Pékerman 16 atuam na Europa e apenas 5 na própria Colômbia, sendo o restante espalhados planeta afora.  Pékerman está a frente da seleção desde 2012, e sob seu comando a Colômbia ganhou da França por 3 a 2 e teve um empate zerado nos dois últimos amistosos.

A lista final ficou assim: 

Goleiros: José Fernando Cuadrado (Once Caldas-COL), David Ospina (Arsenal-ING) e Camilo Vargas (Deportivo Cali-COL)

Defensores: Santiago Arias (PSV-HOL), Frank Fabra (Boca Juniors-ARG), Yerry Mina (Barcelona-ESP), Johan Mojica (Girona-ESP), Óscar Murillo (Pachuca-MEX), Dávinson Sánchez (Tottenham-ING) e Cristian Zapata (Milan-ITA)

Meio-campistas: Abel Aguilar (Deportivo Cali-COL), Wilmar Barrios (Boca Juniors-ARG), Juan Cuadrado (Juventus-ITA), Jefferson Lerma (Levante-ESP), Juan Quintero (River Plate-ARG), James Rodríguez (Bayern München-ALE), Carlos Sánchez (Espanyol-ESP) e Mateus Uribe (Amética-MEX)

Atacantes: Miguel Borja (Palmeiras), Carlos Bacca (Villarreal-ESP), Falcao García (Monaco-FRA), José Izquierdo (Brighthon-ING), Luis Muriel (Sevilla-ESP).

Na preparação para a Copa do Mundo, a seleção teve um evento de despedida de seus torcedores, em 25 de maio: uma espécie de amistoso entre os convocados. E no dia 1º de junho um amistoso sem gols com o Egito.

Com o estilo de jogo  muito cobrado por Pékerman, de posse de bola, passes verticais e muitas ultrapassagens em velocidade, sobretudo dos laterais, para criar espaço e desarticular a marcação, o esquema é diferente: um 4-3-1-2. Isso dá liberdade para quem atua no meio, esperando a passagem, arrematando de longa distância ou alçando para dois atacantes. O ponto negativo é a defesa, bastante incerta e vazada nas eliminatórias. O destaque é o artilheiro na última Copa do Mundo com 6 gols, James Rodriguez, que voltou a demonstrar seu bom futebol no Bayern de Munique e, ao lado de Falcão García – maior artilheiro da seleção com 28 gols marcados – Cuadrado e Carlos Bacca, pode levar a Colômbia a sonhos mais empolgantes no frio da Rússia.  

No jogo que garantiu a classificação ao mundial, empate em 1 a 1 contra o Peru, James disse, ainda no gramado, com um tom bastante engasgado e de desabafo: “As eliminatórias são muito complicadas, e se ganha como ganhamos hoje, com um jogo grandíssimo. Para os que não acreditavam, estamos en el mundial hijueputa”. Em coletiva na sala de imprensa, o capitão mudou o tom e foi discreto: “Espero que possamos mostrar um bom futebol na Rússia e fazer um bom mundial. Temos que nos preparar mais. Estava empolgado e extravasei. Agora é lutar para fazer um bom mundial, assim como em 2014”.

E os atletas não estarão lá sozinhos. De acordo com a FIFA, cerca de 33 mil colombianos compraram ingressos para a Copa, deixando o país sul-americano na segunda colocação na aquisição de ingressos, perdendo apenas para os anfitriões russos. Segundo um estudo elaborado pelo Portal Home To Go, os colombianos, com um custo médio de R$14,6 mil, são quem mais terão de gastar para assistirem aos jogos. Mesmo que o Peso Colombiano tenha sido o que mais se valorizou em relação ao rublo russo, cerca de 11,04%, entre os países classificados para a competição. Para uma melhor noção, o Real equivale a 793,39 Pesos Colombianos.

A seleção ficará hospedada em Kazan, Tatarstan, parte do Distrito Federal do Volga, Zona Econômica da Rússia Europeia. A província tem quase 4 milhões de habitantes, metade de sua capital Bogotá. Nem os 12.658 quilômetros que separam os dois países, ou 12 horas em um Airbus A380, diminuirão a gigantesca expectativa. A torcida aguarda ansiosa pela Copa do Mundo aos gritos de “cantando, cantando, yo viveré! Colômbia, tierra querida!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*