O declínio do Corinthians no segundo turno do Brasileirão

TIMÃO VAI DEIXAR A TAÇA ESCAPAR?

Por Lucas Oliveira, MG

Desde o início, quando o Timão começou a grande campanha que possui no momento – 17 vitórias, 7 empates, 2 derrotas e cerca 70% de aproveitamento – até os mais otimistas torcedores tinham em mente (ou deveriam) que em algum momento da competição o clube conheceria os primeiros tropeços.

No entanto, a primeira derrota veio em circunstâncias muito atípicas para o time de Carille. Perder em Itaquera para o então vice-lanterna Vitória certamente não estava no pensamento nem do mais pessimista dos torcedores. Após a meta de Cássio ser vazada logo aos onze minutos da primeira etapa com um rápido contra-ataque do time baiano, o que vimos foi literalmente um jogo de ataque contra defesa. O Corinthians chegou a possuir mais de 70% da posse da bola em determinado período da partida, mesmo assim, não foi efetivo o suficiente para aproveitar as poucas chances reais criadas. Além disso, os meio campistas pouco produziram e forçaram os famosos “chuveirinhos” pelas laterais do campo, tornado o ataque do Timão mais previsível a cada descida.

durante o jogo entre Corinthians/SP x Vitoria/BA realizado esta tarde na Arena Corinthians, valido pela 21a. rodada do Campeonato Brasileiro de 2017. Juiz: EDUARDO TOMAZ DE AQUINO VALADAO . Sao Paulo/SP/Brasil/ 19/08/2017. Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
Carrille apreensivo. | Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

Perder para os baianos obviamente não estava nos planos, tampouco ser derrotado para o lanterna Atlético-GO uma semana depois, e novamente em Itaquera. Após o fiasco diante do lanterna, a equipe de Carille teve um período de duas semanas sem confrontos em seu calendário.

Com o início da 23ª rodada, a expectativa para o clássico diante do Santos cresceu consideravelmente após o Vasco da Gama bater o Grêmio pelo placar mínimo, o que criou a chance de que mais uma vez o Corinthians poderia colocar dez pontos de diferença entre ele e o segundo colocado. Entretanto, não foi isso o que aconteceu. O que vimos foi um Corinthians totalmente dominado pelo esquema montado por Levir Culpi e que mais uma vez encontrou enormes barreiras para propor o jogo quando seu adversário lhe cedia a posse da bola e optava por aquela que tinha sido sua principal arma no primeiro turno, o contra-ataque.

O Santos fez uma de suas melhores exibições — senão a melhor — durante toda a temporada, foi consistente do início ao fim e soube inibir de forma magistral o plantel escolhido por Fabio Carille. O Corinthians novamente não conseguiu levar perigo ao seu adversário, a não ser por um chute de Romero que serviu somente para mostrar aos torcedores o motivo de Vanderlei merecer tanto uma convocação para a Seleção. Gabriel, Rodriguinho e Jadson pouco produziram no meio campo, consequentemente, Jô ficou limitado a vir buscar a bola na intermediaria para tentar produzir algo diferente.

O que mais chamou a atenção de todos foi o envolvimento que o ataque santista conseguiu criar em cima da melhor defesa do campeonato. Lucas Lima demonstrou uma pro-atividade que não víamos a um bom tempo e foi o nome do jogo, armando o ataque, desmantelando as linhas corintianas com dribles rápidos e distribuindo passes precisos por toda porção ofensiva do campo. O outro destaque santista foi o atacante Bruno Henrique, que deu muita dor de cabeça para um dos melhores defensores do campeonato, Fagner. Usando de dribles rápidos e muita velocidade nas beiradas do campo, Bruno levou vantagem sobre o lateral corintiano em boa parte das jogadas e foi assim que foi construído o primeiro gol do Santos.

Após sofrer o gol de Lucas Lima, mais uma vez vimos aquele mesmo Corinthians que também perdeu para Vitória e Atlético GO. Um time com enormes dificuldades de armar o jogo e conseguir levar perigo real ao gol adversário quando sai atrás no marcador.

Corinthians perdeu para o Vitória quando a equipe baiana era vice-lanterna do Brasileirão Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
Corinthians perdeu para o Vitória quando a equipe baiana era vice-lanterna do Brasileirão Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

Contra o Vasco, na rodada seguinte, o gol de Jô só veio de forma irregular, na vitória magra por 1 a 0. Já os jogos seguintes, como os diante de São Paulo e Cruzeiro, fora de casa, ambos por 1 a 1, podem ser a mostra que o time conseguirá administrar a vantagem, que neste momento é de oito pontos para o Santos, o segundo colocado, e nove para o Grêmio, o terceiro.

Ainda faltam 12 jogos para o término do campeonato, e aquela ideia de que a taça tinha dono está um pouco abalada. Como espectadores, o que nos resta é esperar a próxima rodada, contra o Coritiba, para poder observar como o time de Fabio Carille irá encarar essa sequência ruim de resultados e se isso poderá ou não comprometer a campanha impecável construída no primeiro turno.

1 Trackbacks & Pingbacks

  1. Fluminense x Flamengo: seria um déjà vu? - Cenas Lamentáveis

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*