O dia em que o árbitro fez um gol e decidiu o Santos x Palmeiras

Árbitro entrou para a história do futebol paulista após marcar gol no clássico entre Santos e Palmeiras

O árbitro José de Assis Aragão (de preto) atuando durante a partida entre Palmeiras e Santos FC, válida pelo segundo turno do Campeonato Paulista de 1983. O jogo estava nos acréscimos, o jogador Jorginho, do Palmeiras, arriscou um chute e a bola ia para fora, mas bateu nas pernas do árbitro - mal posicionado ao lado da trave- e entrou. Sem querer, Aragão marcou o gol de empate do time palmeirense, que pedia por 2 a 1.
Por: Jean Costa, RS

Todo estadual guarda suas preciosidades envolvendo times, camisetas, lendas e personagens – que vão de jogadores até o mais folclórico torcedor. Mas entre os protagonistas e antagonistas do futebol, aquele que deveria ser apenas mais um nome recorrente, acaba se tornando famoso. No Paulistão de 1983 um juiz chamado José de Assis Aragão entraria para a história após um lance incomum.

O campeonato daquele ano foi vencido pelo Corinthians, mas nenhuma das finais disputadas contra o São Paulo tinha uma história tão curiosa para ser contada quanto o Santos x Palmeiras. O protagonista foi o árbitro, mas não por um erro ou por expulsar algum atleta.

A vida de um juiz não é nada fácil. Mesmo quando tem uma atuação perfeita, ele não escapa das críticas. É uma profissão ingrata. Uma falha custa a carreira, mas o que poderia ocorrer se um juiz marcasse um gol? Sim. Isso realmente aconteceu, caro leitor. Pode isso, Arnaldo? Pelo que a história nos conta: sim. O árbitro é neutro dentro de campo.

A partida ocorreu no dia nove de outubro de 1983, em um confronto válido pelo Campeonato Paulista. O Alvinegro Praiano saiu na frente do marcador com Paulo Isidoro. No segundo tempo o Verdão empatou com Capitão, que estreava naquele clássico contra o Peixe. Lino, que já havia feito a jogada do primeiro gol santista, pôs o Santos novamente na frente no Morumbi, após grande jogada de Serginho que na raça tocou para seu companheiro marcar o segundo gol. Até esse momento da partida tudo se encaminhava para uma vitória preta e branca, mas José de Assis Aragão acabaria aparecendo nos minutos finais.

Jogadores do Palmeiras cumprimentam o juiz após o fim da partida (Foto: reprodução/anotandofutbol.blogspot.com)
Jogadores do Palmeiras cumprimentam o juiz após o fim da partida (Foto: reprodução/anotandofutbol.blogspot.com)

A sensação de tomar um gol nos acréscimos é terrível, não é, caro leitor? Agora pense em algo que para nós até pode parecer engraçado (no fundo), mas que na verdade consegue ser ainda pior para o torcedor que vivenciou o momento. Um gol de juiz nos acréscimos. Só perder um título ou ser rebaixado nos minutos finais pode ser pior do que isso.

José de Assis soube controlar bem o confronto, mas entrou para a história justamente no último minuto dos acréscimos com um dos lances mais curiosos e bizarros da história do nosso apaixonante futebol. Escanteio para o time alviverde. A bola é afastada. Confusão na área. Jorginho aproveita o rebote da defesa santista e é rede. Gol de empate palmeirense no Morumbi, mas eis que o árbitro aparece. Mal posicionado dentro de campo (por que diabos o juiz estava dentro da grande área? ), foi graças a este curioso e improvável protagonista que a equipe igualou o marcador

A bola ia para fora, mas bateu no juiz José de Assis Aragão e morreu no fundo das redes. Gol que serviria de alegria para os palmeirenses e espanto dos santistas que tomavam conta do ilustre Morumbi. Os jogadores do Santos bem que reclamaram, mas como o árbitro estava na linha de fundo, ao lado da trave direita do goleiro, ele acabou sendo considerado como ponto neutro, logo, o gol foi legal e José de Assis, em vez de correr pro abraço, correu para o meio para validar o tento palmeirense.

Fontes: jornalggn.com.br  e andreoli.blogosfera.uol.com

1 Comentário em O dia em que o árbitro fez um gol e decidiu o Santos x Palmeiras

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*